segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Adeus 2007, Olá 2008

A todos um Excelente 2008
São os votos do Olhar Direito...................

domingo, 30 de dezembro de 2007

Temas para 2008

Aqui desvendo um bocado daquilo que pretendo que seja discutido neste espaço:

Em Portugal, vamos ter:

  • Discussão politica: Em torno da actuação do Governo. Da possivel remodelação. Das reformas.
  • Oposição continuará a ser falada. Até onde podem ir Menezes,Santana e Portas?. Em ano de véspera de eleições, a politica vai dar que falar.
  • O desporto vai voltar a este espaço. Depois do fracasso que foi o outro blogue, os temas desportivos vão ser discutidos aqui.
  • Questões como o referendo, a sociedade em que vivemos e a cidadania vai merecer um espaço próprio

No plano Internacional

  • O grande destaque vai para as eleições Norte-Americanas. Vamos acompanhar a par e passo, a luta para a Casa Branca, com possiveis intervenções de "norte-americanos". E a introdução de etiquetas em relação a este tema.
  • As eleições espanholas também vão merecer atenção
  • Continuamos a falar sobre a Europa, com vários artigos. Porque a UE não se esgota num unico problema.......
  • Iremos recuar um pouco no tempo e falar um bocado de "história". Falaremos dos grandes acontecimentos do Século XX.

Novidades

  • Vamos falar sobre as cidades do Mundo.
  • Sobre os países que fazem a nossa história
  • Iremos introduzir um pouco de cultura neste blogue, falando sobre cada maravilha do mundo

Espero que em 2008 continuem a visitar e apreciar este espaço

Um Muito Obrigado

sábado, 29 de dezembro de 2007

Factos e Figuras de 2007

Desafio-vos a um seguinte jogo. Vou escolher o acontecimento do ano, a figura, a surpresa e a desilusão de 2007.........
  • Acontecimento do ano : Eleições Intercalares em Lisboa. Foi uma novidade depois de Carmona Rodrigues ter ganho com á vontade, as eleições de 2005.
  • Figura do ano: Joe Berardo. Apareceu em quase todos os noticiários. Durante o ano inteiro. Ora por causa de Rui Costa, pelo BCP, mas mais pelo facto da sua colecção ter "finalmente" sido exposta.
  • Surpesa do ano: A recente crise do BCP. É um mau sinal o que aconteceu no maior banco privado português.
  • Desilusão do ano: Pedro Santana Lopes e Paulo Portas. Duas figuras que voltaram ás lides partidárias. E ao seu comando. Desiludiram porque prometiam muito na sua "volta" e confirmaram que estão "gastos".

Agora cabe a vós , leitores assíduos deste blogue de desvendarem as vossas escolhas.....

O fim dos pequenos partidos?

Quer o Tribunal Constitucional(TC) que todos os partidos politicos com menos de 5000 militantes sejam extintos.
Ora isto, acabava com partidos como o PND,PNR,PCUS,PPM,PT.
Dirão uns, que os partidos não são para brincar e é necessário que estes tenham uma base de militantes que lhes permita fazer uma politica á sério e com meios suficientes.
Outros afirmam, que cada um é livre de criar o partido ou organização que entenda. São livres de se reunir em associação.
Estes partidos, apesar de serem considerados "pequenos" fazem falta à democracia. Se não nos revemos num dos 5 grandes, temos a possibilidade de apoiar e votar num destes..........
Como é que o BE chegou ao que é hoje? De certeza que não foi do nada. Para chegar a partido com assento parlamentar, teve que passar por um processo de amadurecimento.
São os pequenos partidos que nos animam durante a campanha eleitoral. Porque são sempre os mesmos que aparecem nos noticiários,jornais, direitos de antena. As mesmas caras. De tanto ver a cara do lider de um grande partido, ficamos fartos. E as ideias são sempre as mesmas.
O que aprecio nestes "peixinhos" é a sua variedade nas ideias e propostas. Podem não ser as melhores, mas ao menos "mexem" connosco......
E o que seria dos direitos de antena sem a participação de Manuel Monteiro, Pinto Coelho, Garcia Pereira e Ermelinda Pereira do PCUS?

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Nomeações Politicas?

Vem à baila este tema com o recente caso do BCP. Tudo porque Armando Vara (militante do PS) transita da CGD para o banco privado. O PSD reagiu com indignação à transferência do ex-Ministro de Guterres. Isto porque era militante do PS. Não criticou a competência da pessoa em questão. Ao longo dos anos, PS e PSD quando estão no Governo costumam indigitar dirigentes para cargos em Empresas e Instituições Publicas. Ora, estamos perante um banco privado. Mesmo assim, as criticas não param. Mesmo sabendo que para Instituições Privadas, quem escolhe os membros das suas direcções são os accionistas,sócios,fundadores etc,etc..... O que é de criticar é a atitude dos dois partidos que costumam andar nas chefias do governo. Sempre que há uma nomeação politica, lá vem o "inimigo" criticar e fazer queixinhas na Comunicação Social. Só há uma forma de resolver isto. Criar uma lei que defina competências e critérios para as nomeações politicas. Porque é que nenhum partido fez isto? Ou será que esta lei é feita consoante as suas medidas? Se se faz sempre a mesma coisa, porquê criticar? Não é melhor esperar para ser Governo e fazer a mesma coisa? Talvez sem criticas houvesse maior legitimidade, ou não?

quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Morte de uma democrata

Corre mundo a notícia de que a ex primeira-Ministra e candidata ás eleições no Paquistão, Benazir Bhutto foi assassinada. Não foi um acidente. Foi com intenção? E que com propósito?
É de esperar que a Comunidade Internacional reaja a este acontecimento. Nomeadamente, por parte dos EUA e da NATO.
Estará a democracia no Paquistão condenada? Este acto revela um medo daqueles que não querem uma democracia naquele país?
O que aconteceu no Paquistão pode influenciar outros países vizinhos que querem uma mudança? E como reagirá a Comunidade Internacional perante tão macabro acontecimento?

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

a politica portuguesa Parte I

A politica portuguesa é feita da melhor forma? Como conseguir arranjar votos? Qual a melhor propaganda politica?
São aqueles que estão à frente dos orgãos de poder que decidem o rumo a tomar em certas áreas. Mas é povo que vota neles. Que confia nas acções que posteriormente vão tomar. É por isso que se costuma dizer que é o povo que manda.
Em Portugal, a politica é feita por partidos. São eles que mandam. Que têm acesso aos orgãos de poder. AR,PR e autarquias locais. Para se poder candidatar a um destes orgãos é necessário que se esteja filiado num partido politico. Ou então fazer "carreira" através dos partidos. É dificil chegar-se a PR, sem que anteriormente se tenha feito uma "carreia partidária".
O nosso sistema politico é dominado por cinco partidos. Da Direita para a Esquerda, são eles que dominam a atenção dos portugueses. Conseguem isso através da propaganda. Na televisão, rádio, jornais, cartazes,comícios.
A nossa politica é muito dominada pelos outdoors e jantares-comícios. É nestes dois pontos que hoje em dia se ganham eleições.
A Esquerda é muito popular. Costuma fazer politica chegando muito perto das pessoas. Procurando saber quais os verdadeiros problemas dos cidadãos, para depois propagandear nos orgãos próprios e com isso passar a mensagem de que estão interessados naqueles problemas.
A Direita, faz a sua politica de uma forma mais liberal e conservadora. Procura ganhar votos através de jantares,comícios e na televisão. Nota-se muito que os principais lideres partidários têm um espaço quase diário nas televisões.
A nossa forma de fazer politica é esta. Ou chegando perto das pessoas, ou aparecendo nos media.
Será que não haverá outras formas? Outro modo de propaganda?
Qual a melhor de conquistar os votos aos portugueses?

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Natal na Blogosfera....

Quero desejar um BOM Natal aos amigos da Blogosfera:
  • Ao Clube dos Pensadores
  • Ao Notas Soltas e Ideias Tontas
  • Ao Psicolaranja
  • Ao Poetisar
  • Ao Vox Patriae
  • Ao Lodo No Cais
  • Ao Agre e Doce
  • Ao Silencio Culpado
  • Ao Cegueira Lusa
...........a todos os Blogosféricos Um Santo Natal e que no próximo ano estejamos a festejar mais um Natal...

Um abraço do Olhar Direito

domingo, 23 de dezembro de 2007

Nova Lei (Anti) Tabaco

No inicio do próximo ano, vai entrar a nova lei do tabaco.
Vai ser proibido fumar em centros comerciais, restaurantes e discotecas.
Refiro que é uma lei bastante americanizada. E antiquada. Nada condizente com os novos tempos.
É dificil compreender como é que não se pode fumar num restaurante ou centro comercial.
As pessoas deviam ser livres de fazer o que entenderem. Não se devia criar guetos para fumadores.
Existem questões de saude publica que devem ser tratados com mais preocupação.
Não considero que este seja uma questão de saude publica.
Em qualquer espaço publico deve haver igualdade de oportunidades e de tratamento.
No meu entender, qualquer pessoa deve poder fumar em qualquer lugar, a não ser que isso represente um perigo para o estabelecimento.
Existe aqui uma certa discriminização em relação aos fumadores.

sábado, 22 de dezembro de 2007

Tony Blair : Uma nova forma de liderar

A Inglaterra viveu um dos seus melhores períodos com Tony Blair à frente de Downing Street.
De 1997 a 2007, a Grâ-Bretanha viveu anos de prosperidade e de afirmação na Europa e Mundo.
Em termos internos, Blair "abriu" o seu Partido á classe média. Deixou de ser um partido exclusivo dos trabalhadores e sindicalistas. Razão pelo qual ganhou três eleições.
Introduziu um salário minimo e milhões foram investidos na saúde e educação.
O estilo de Blair é muito próprio, sempre um Gentleman. Verdadeiro British!
Conseguiu igualmente manter uma relação cordial e de Estado com a Monarquia. Essa figura bastante importante em Inglaterra.
No plano externo, Blair juntou-se a Bush na Guerra do Iraque e não se arrependeu de tal facto. Como outros o fizeram.............
Na Europa, nunca deixou de defender os interesses ingleses no seio da UE. Mas sem perder a identidade britânica. Não aderiu ao Euro e meteu reservas quanto ao futuro tratado europeu.
Tony Blair, foi um Gentleman. Tanto na politica como fora dele.
Não é por acaso que é o enviado do Quarteto para a Paz no Médio Oriente............

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Natal diferente para os Kosovares

Vai ser um Natal diferente para os lados do Kosovo.
Adiada a proclamação de independência, programada para dia 10 de Dezembro, aquela região nos balcâs vive na intranquilidade de saber se vai ou não haver conflito armado.
De um lado a UE e EUA, do outro Russia e Sérvia.
A questão que se coloca é saber até quando o impasse que está a ser criado vai durar. E se a via diplomática não vai ser substituida pela bélica.
Que consequências terá um possivel conflito armado no futuro da Europa?
Será que os Kosovares estarão preparados para que tal aconteça?
Se Pristina for a nova capital de um país europeu, não corremos o risco de acontecer o mesmo em outros sitios da Europa? Como em Espanha?
Este vai ser sem duvida um Natal diferente para os Kosovares.....

Natal

Nesta época é tempo de recordarmos daqueles que mais gostamos
De lembrar daquilo que de bom aconteceu durante o ano
De pensar naqueles que pouco ou nada têm e dar um bocado da nossa parte a eles
De reflectir sobre aquilo que está mal na nossa sociedade e do que podemos para modificar
De escolher uma forma de ajudarmos os outros
E que nesta quadra consigamos transformar os nossos sonhos em realidade, pelo menos no que á força para que tal aconteça, diga respeito...
Um Santo e Feliz Natal

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Presentes................. amorosos e envenenados

Em época natalícia, propunho-vos um desafio:
Oferecer presentes.....
Uns que sirvam para demonstrar a nossa admiração por certa pessoas
Outros para que tenham um significado negativo. Presentes envenenados, que contenham "armadilhas"!
Os presentes que ofereço com admiração e dedicação vão para três pessoas.
  • Al Gore : (um Prémio Nobel) Por ter ganho o Prémio Nobel e tenha conseguido alertar as pessoas para um problema bem real e com consequências futuras; o ambiente
  • José Rodrigues dos Santos:(uma televisão que só dava o telejornal) Por tudo o que se passou á sua volta. Pelas injustiças que se foram cometendo. Por tudo isto, e não ter vindo para os jornais ou televisão fazer cacique e jogo sujo
  • Marques Mendes:( uma estátua na futura sede do PSD). Por tudo o que fez pelo PSD. Pelo que teve de aguentar. Pela coragem de ter posto em causa o seu lugar em prol de uma democracia limpa. E por ter saído do PSD, de cabeça erguida. Como se tem visto, não era por culpa de Mendes que o PSD não ganhou nenhum debate com o PM.......

Agora os envenenados..............

  • Pedro Santan Lopes: (um livro de memórias). Para perceber que as pessoas têm o seu tempo. Na politica como na vida. E que por certas vezes, o facto de "voltar" não faz com que as coisas melhorem. Por vezes, pioram. PSL teve o seu tempo, não o aproveitou........
  • Hugo Chavez (livro de Constitucional). Para saber o que é a democracia. A liberdade. E os direitos fundamentais. Estendia este presente a todos os ditadores africanos que recentemente passearam em Lisboa
  • Luis Filipe Vieira (Cartao de Sócio do Benfica). Começar a reflectir o que é o Benfica, a sua grandeza e a mistica que aquelas camisolas transportam...........

Lanço o repto a todos os que costumam por aqui passar neste blogue....

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

UE Parte VII: A Presidência Portuguesa

Quando estamos no final da III Presidência Portuguesa da UE, é tempo de fazer alguns balanços: É justo realçar aquilo que foi feito pelo Governo de José Socrates. Em conjunto com o Presidente da Comissão, a nossa presidência correu muito bem. Foram tratados vários temas relevantes. A organização das Cimeiras com o Brasil, Russia e África foram os pontos mais altos. Foi possivel estabelecer parcerias com estes países, fundamentais para o desenvolvimento económico e politico da UE. Em termos logisticos correu tudo bem. Não houve qualquer problema de maior com a "produção" desta cimeira. Volvidos seis meses, sobre o inicio da nossa aventura europeia, é tempo da Eslovénia conduzir os destinos europeus. O que acharam da nossa presidência? Da maneira como foi conduzida? Dos temas relevantes que foram tratados? E será que no futuro é possivel repetir tão

domingo, 16 de dezembro de 2007

Sistema Pluralista ou Bipartidário?

O nosso sistema politico deve ser de apenas dois partidos ou pluralista?
O sistema bipartidário comporta vantagens como a "facilidade" de entendimento entre os dois partidos e a rápida resolução de questões de interesse nacional.
Num regime de dois partidos, tudo o que tivesse relacionado com o processo legislativo seria mais democrático. Isto é, haveria um "entendimento politico" na feitura das leis. O diploma era analisado e votado consoante aquilo que os dois partidos decidissem.
É natural que este sistema seja considerado anti-democrático. Haveria um défice democrático. Pois só se poderia votar naqueles partidos.
Quanto ao sistema pluralista, comporta riscos de uma diversidade excessiva de partidos politicos. Sabendo de antemão que as ideologias nos tempos que correm, são praticamente as mesmas.
É excessivo o numero de partidos com assento na AR. Há o risco de não haver unanimidade na feitura das leis. Na sua resolução e aprovação.
O que é necessário, é haver consenso e não constantemente diferenças.
É naturalmente o sistema mais democrático. Com ele, conseguimos escolher aquele partido com que mais nos identificamos, sem necessidade de optarmos por um partido politico porque "sim".
Tanto o sistema pluralista como o bipartidário podem servir para o sistema português.
Mas sendo a sociedade portuguesa bastante dividida e não tendo um "partido" que apoie do principio ao fim, não seria o sistema pluralista o mais adequado?

sábado, 15 de dezembro de 2007

Durão a Prémio Nobel?

Recentemente, o Presidente de Timor Leste, Ramos Horta afirmou que o Durão Barroso deveria ser agraciado com o Prémio Nobel da Paz.
É dificil de perceber em que contexto Ramos Horta afirmou isto.
Se num contexto de amizade ou politica.......
Esqueceu-se o Presidente de Timor, da Cimeira das Lajes em 2003? Aquela que "lançou" a Guerra no Iraque , meses mais tarde?
Ou será que num contexto de ajuda da UE (e de Portugal), Ramos Horta teve necessidade de "elogiar" o seu "amigo"?
Será que Durão Barroso merece este titulo? Esta distinção?
Ou que é considerado um dos responsáveis pela catástrofe que atingiu o Iraque?
Porque razão Ramos Horta proferiu tais palavras a propósito do português?

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

UE Parte VI: Tratado de Lisboa

Considero que hoje é um dia histórico para Portugal.
Pela primeira vez na história da UE, a nossa capital vai dar nome a um tratado Europeu.
Este facto, só por si é inédito.
Que implicações tem este Tratado no futuro da Europa?
Com o Tratado de Lisboa, vai haver maior flexibilidade em termos instituicionais. Estas vão ser menos dependentes umas das outras, e cada uma delas vai ter o seu papel especifíco.
A votação vai deixar de ser por unanimidade. Está consagrado o regime da Dupla Maioria, que prejudica os Estados mais pequenos.
É nas relações externas que este Tratado vai mudar. Existirá uma maior cooperação entre os Estados-Membros. Os conflitos armados serão resolvidos em conjunto pelos 27. Não existe a possibilidade de haver situações parecidas como aquela que se viveu aquando da Guerra no Iraque.
Foi dado um passo importante para a construção europeia. Não vai ficar por aqui.
Mas este dia já é histórico. Lisboa ficará agora no mapa europeu.
Será uma espécie de "capital europeia" até à celebração de um novo tratado.
Agora resta saber de que forma será ratificado o tratado.....
O que fica no ar é saber se com a assinatura de sucessivos tratados não estaremos a caminhar para uma Europa federalista onde o centro de decisão será Bruxelas..............
Este dia abriu portas a uma Nova Europa e também a Portugal......
O que acham deste 13 de Dezembro de 2007?

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

UE Parte V: O que queremos para a Europa?

A dois dias da assinatura de mais um tratado europeu convêm fazer uma reflexão sobre aquilo que queremos para a (nossa) Europa...... Falemos da Europa em si! Dos seus problemas e o modo como os resolver. Numa Europa a 27, as desigualdades entre os paises tende a evidenciar-se. Apesar dos esforços para haver uma maior proximidade entre nações, o sentido parece ser o contrário. Parece-me que com o novo tratado, vai acabar a rotatividade das Presidências. Paises como Portugal, Estónia,Bulgaria, poderão ter assim um espaço de manobra reduzido no que toca a implementar as suas politicas e ideias no espaço da UE. Será que é isso que queremos? É de bom senso que a Presidência da UE, seja entregue a uma figura. No que toca às instituições, é necessário reforçar o poder legislativo do Parlamento Europeu. É este orgão que representa os cidadãos. Quanto ao Conselho Europeu deve ser visto como "orgão das Grandes Decisões". Aquelas que impliquem um maior consenso no seio da UE. No actual figurino, este orgão tem uma função quase-legislativa. A Comissão deve ser o "Governo da Europa". A Europa é hoje um espaço de liberdades e direitos consagrados. Será isso suficiente? Queremos uma Europa completamente aberta à entrada de novos povos, arriscando com isso a possibilidade de existirem atentados à nossa segurança e mesmo no emprego? Uma Europa mais "aberta" e liberal? Ou fechada em si e com critérios de admissão? Será que com os novos tratados perdemos a nossa soberania? A nossa identificação nacional? O poder de decidir livremente sem pensar nos outros 26? Deveremos pensar apenas em nós ou na Europa como um todo? Que beneficios tivemos com esta Uniao a 27? O que queremos para a Europa é o que se pergunta...........

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

De quase Presidente a Prémio Nobel

Al Gore recebeu o hoje o Prémio Nobel da Paz.
Fê-lo com toda a pompa e circunstância. Mas deixou um alerta. Contrariando todas as formalidades que estas cerimónias exigem, o norte-americano preferiu alertar as pessoas para as questões ambientais.
"Uma verdade inconveniente" - foi talvez o melhor contributo que Al Gore deu à Humanidade. Até mais que o próprio Presidente dos EUA. As alterações climáticas dominam a actualidade global. É por causa delas que o Mundo está em alerta. A convenção de Quioto parece que não tem que ser aplicada a alguns paises. Gore após a derrota eleitoral contra W.Bush, em vez de ficar "de fora" preferiu dar o seu contributo de uma forma diferente. Lançou-se nas questões ambientais e assim conseguiu a sua vitória. Não conseguiu ganhar a corrida à Casa Branca, mas é considerado um homem que contribuiu para a Paz. E isso é muito mais importante do que ser Presidente dos EUA......... Será que um dia vai voltar? E para onde?

domingo, 9 de dezembro de 2007

África : Um continente com duas faces?

Terminada a II Cimeira UE-África realizada em Lisboa, é tempo de retirar algumas conclusões:
1º Não há duvida nenhuma que o continente africano precisa da ajuda da Europa. Em termos financeiros, sociais, médicos e politicos.
Devido à história entre estes dois continentes talvez haja uma "obrigação" da Europa em ajudar os africanos......
Será que tem de ser assim?
2º A maior parte dos chefes de Estado africanos são ditadores. Governam os seus países de forma autoritária. Muitos deles financiam o terrorismo, a corrupção e vivem com o dinheiro do petróleo.
Não haverá maneira de pôr termo a isto?
3º O continente africano é talvez o mais pobre. É nele que o flagelo da sida, fome e pobreza são mais acentuados.
O que fazer para acabar com isto?
4º Governantes como Mugabe, Omar-al Bashir, Menes Zweni, Eduardo dos Santos e Kadhafi continuam impunes à Justiça. Controlam os seus países da maneira como entendem e estão cada vez mais ricos. Enquanto que os seus povos vivem na pobreza e com riscos de saúde elevados
Até quando?

sábado, 8 de dezembro de 2007

Mulheres no poder

O que têm de comum Christina Kirchner , Angela Merkel, Yulia Tymoschenko, Michelle Bachelet e quem sabe Hilary Clinton?
Ninguém tem duvida de que são mulheres.
São mulheres que lideram (ou lideravam, no caso da Ucraniana) os seus países. São primeiras-ministras ou Presidentes.
De há uns anos para cá, as mulheres têm ocupado cargos com relevância politica.
Agora, parece que estas cinco personagens (só para citar as mais conhecidas); conseguiram chegar ao mais alto cargo politico.
Que repercussões em termos internacionais têm estas lideranças? Será que se algum destes países fosse governado por um homem haveria o mesmo respeito diplomático?
Como vêm os seus povos serem governados por mulheres? Haverá desconfiança? cepticismo? menos respeito?
A verdade é que estas cinco lideres conseguiram chegar ao poder pelas suas ideias, mensagem e vontade de afirmação da sua nação.
A politica, nomeadamente os mais altos cargos da nação, deixaram de ser da exclusiva propriedade dos homens. Há cada vez mais mulheres a afirmarem-se politicamente.
E em Portugal, será que há condições para uma mulher chegar a Presidente da Republica?

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

UE Parte IV: Cimeira UE-África

Começa hoje mais uma cimeira realizada pela presidência portuguesa da União Europeia.
Desta vez, os convidados são os Presidentes Africanos.
Mas há dois em especial que vão suscitar curiosidade:
Em primeiro lugar, o presidente do Zimbabwe e ditador Robert Mugabe. Por causa da sua visita, o seu hómologo Gordon Brown não virá a terras portuguesas.
Entretanto, o Ministro dos Negocios Estrangeiros veio referir que por ele Mugabe não viria a Portugal.
Então Mugabe vem por indicação de quem? Sócrates? Cavaco? Durão?
Será que vale a pena sentar á mesa com um ditador e deixar a velha aliada Inglaterra em casa?
Em segundo lugar, a vinda do Presidente da Libia é algo de caricato. Até nas suas exigências.
Uma tenda montada no forte de São Julião da Barra, para sua Excelência se sentir em casa.
O Governo português não poderia dizer que não. Como não rejeitou a vinda de Mugabe, iria negar um pedido destes a Kadhafi?
O que importa agora é retirar o que de melhor se passar na Cimeira.
Com ou sem camelos................

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

A mediatização dos processos judiciais

Casos como os da Casa Pia, Apito Dourado ou Madeleine Mccann são exemplos da interferência da Comunicação Social na Justiça.
Até que ponto isto é admissivel num Estado de Direito democrático?
Será que a Justiça funciona bem assim?
A Comunicação Social não quererá ter aqui um papel interventivo e social na condenação?
Não será que os agentes da Justiça; Juizes e Advogados não deveriam reagir contra esta condenação jornalistica? E não são os principais culpados? Visto serem eles quem têm acesso total ao processo.........
Estes três casos são um exemplo de como existe interferência dos media na Justiça.
A forma como se "condena" na praça publica é um mau presságio para o futuro; da justiça e do jornalismo.
A máxima "todos são inocentes antes da sentença transitar em julgado" deve ser sempre respeitado.
Até na Comunicação Social........

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Ideologias politicas no Século XXI

No século XXI que ideologias predominam no mundo?
Será que ainda se pode falar em Esquerda e Direita? Nao vivemos num mundo em que estas ideologias estão gastas?
E o centro? É plausivel falar num centro? Aquele que não se identifica nem com esquerda nem com direita? Mas então, o centro identifica-se com o quê? Com as duas ao mesmo tempo?
Nestes tempos de globalização é dificil classificar um partido que seja de esquerda ou direita.
Se exceptuarmos a China, Os EUA e os paises da América do Sul, concluimos que por esse mundo fora, existem poucos países que adoptem uma ideologia própria. E que a sua população se reveja na sua totalidade nestas crenças.
Temos a China comunista, os EUA que não admitem ideologias esquerdistas e os paises da américa do sul totalmente totalitárias e que variam do Socialismo exacerbado à Extrema-Direita.
Aqui não entram as ditaduras do Médio-Oriente pois essas são classificadas de fanáticas.
Podemos afirmar sem receio que nos tempos que correm as ideologias são muito diferentes daquelas que fizeram a história do século XX.
E por isso mesmo é mais dificil existirem conflitos armados de grandes proporções......

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Venezuela e Russia

Ontem estes dois países foram a eleições.
Na Venezuela, houve um referendo para votar as alterações constitucionais propostas por Hugo Chavez, com vista a reforçar os seus poderes. Nomeadamente a questão da ilimitação de mandatos.
Na Russia, realizaram-se eleições legislativas para a Duma. O Partido do Presidente conquistou por volta de 70% dos lugares no parlamento Russo. Isto para que Putin quando não poder mais ser Presidente, candidatar-se a Primeiro-Ministro. Uma bela troca
O que têm de comum Putin e Chavez?
Ambos querem dominar os seus paises. Sem qualquer controlo democrático.
Curioso o facto de serem dois países com participação importante no controlo do petróleo. Principalmente a Russia.
Ontem Putin ganhou, mas Chavez perdeu.
Será que perdeu mesmo?
Estamos igualmente perante dois países que querem fazer "frente" aos EUA e a W.Bush.
Quanto à Venezuela parece ter acabado a ideia de um Socialismo do Século XXI. A ilimitação de mandatos, o controlo da economia por parte do Presidente, a censura e as detenções sem acusação. Parece ter começado o fim do ciclo Chavista. Foi uma importante vitória daqueles que acreditam numa democracia.
Ontem Hugo Chavez calou-se mesmo.
Na Russia, a situação inverte-se. Putin reforçou o seu poder. Parece agora determinado em fazer deste país uma potência ao nivel dos EUA.
É importante estarmos atentos ao desenvolvimento politico,económico e social destes dois países.
O que parece é que ainda vamos ouvir falar deles daqui para a frente...........

sábado, 1 de dezembro de 2007

Natal e Restauração

1 de Dezembro..............
Foi hà 367 anos que Portugal recuperou a sua independência tão mal entregue aos Espanhois.
A chamada Restauração de Independência do Reino. Mais uma data monárquica.
Ao assinalarmos esta data, estamos a celebrar a luta, entrega e o sacrificio pela causa portuguesa.
A todos aqueles que heroicamente lutaram neste dia, um obrigado
Mas volvidos 367 anos, não estaremos nós jugados novamente às armas (quero dizer, poder económico) dos espanhóis?
Começa hoje o mês do Natal. Essa data que é celebrada de forma sentimental em todo o mundo.
Nesta quadra, não existe empresa nenhuma que não "utilize" o Natal para promover algo.
A quantidade de anuncios, promoções, brindes,ofertas e outras situações que incluam o Natal é enorme.
Será que a palavra Natal e esta época não está a perder um significado religioso e a ganhar um consumista?
Share Button