Etiquetas

terça-feira, 31 de maio de 2011

Curso ou carreira politica?

Uma das questões desta campanha que mais me interessou foi a questão entre a experiência de Socrates e o amadorismo de Passos Coelho. Se por um lado, a politica precisa de pessoas que saibam "mexer" os cordelinhos e os "cantos à casa", por outro são politicos vindo da esfera politico-partidária que o nosso sistema precisa. Ora, nestas eleições os dois candidatos a Primeiro-Ministro, pelo menos os dois mais fortes; representam a questão acima colocada. Passos Coelho apesar de ter sido Presidente da JSD, nunca teve nenhum cargo politico antes de ter sido Presidente social-democrata. Alguns acusam-no de inexperiência politica, e de não ter vindo do aparelho. Socrates é um homem que fez carreira politica, teve no governo. Fez um percurso dentro do "aparelho". Há quem esteja farto destes estereotipos e que é necessário acabar com os carreirismos na politica. É interessante esta discussão do ponto de vista sociológico. A escolha no dia 5 de Junho também vai passar por esta questão. O caminho no futuro, o da politica; terá necessariamente de passar por pessoas que tenham experiência e sucesso nas suas profissões e tragam essa mais valia para a politica. É preciso de uma vez por todas que os nossos representantes na AR, Governo e até PR tenham qualidade humana e técnica. E isso só se consegue com melhor formação. E não é nas distritais, concelhias que se aprende....

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Estamos na NOKIA!

Olhar Direito agora com uma nova funcionalidade : Na Nokia , gratuito e ao vivo!

Reduzir a gordura do Estado

Um dos temas que mais se discute nesta campanha eleitoral é o facto de se reduzir o peso do Estado. O chamado emagrecer a gordura que o Estado tem sobre as pessoas e a economia.
Este é um tema que há muito se discute. Todos falam em reduzir o numero de institutos publicos, freguesias, câmaras municipais, extinguir os governos civis, diminuir o numero de assessores, entre outras medidas. Normalmente só se costumam lembrar aquando de campanhas eleitorais. Só que este ano há um problema : O Memorando do FMI obriga a que desta vez se reduza efectivamente a gordura do Estado.
E porque tem o nosso Estado todo este peso?
Pelo simples facto deste Estado meter o nariz em tudo. Desde a saude, educação, desporto, administração interna. Para qualquer coisa é criado um gabinete de estudo que depois vai concluir que é necessário institucionalizar essa medida. Estes Institutos Publicos servem normalmente para fiscalizar a referida actividade, mas no fundo servem para empregar muitas pessoas e criar dificuldades de burocracia.
O problema das freguesias e autarquias é semelhante. São demasiadas e só servem para complicar e gastar rios de dinheiro. Há que reduzi-las mas de forma acertada. E não para um numero menor para depois ter que aumentar novamente.
Outro problema é o numero de pessoas que costumam acompanhar os PM, Ministros, Autarcas, entre outros.
À boa maneira portuguesa, o mais importante é ter um "assessor" para tratar da roupa e outro para os discursos.
Houve um partido que propoe reduzir o Estado, enquanto que o actual PM não diz uma palavra sobre isto. Sabemos o quanto os socialistas gostam de gastar,gastar, gastar....
O Estado tem de ter uma intervenção fiscalizadora na sociedade, daí que não seja preciso muitos edificios para fazer esse acompanhamento.

domingo, 29 de maio de 2011

Olhar a semana - Para a semana Mudamos?

Daqui a uma semana o país vai novamente a votos, depois de em Janeiro ter ido às urnas por causa da Presidência da Republica. Pior, é que estas eleições surgem dois anos depois das ultimas legislativas. Este acto eleitoral surge num período complicado : o FMI acaba de entrar em Portugal e há o risco iminente do país entrar em bancarrota ao ponto de ter de sair do Euro. Dia 5, também se vai escolher entre a aceitação ou não do FMI nas nossas contas. A grande escolha é entre a mudança e a continuidade. Se Socrates ganhar, não haverá mudança. Nem de atitude ou politica. Se for Passos Coelho, o país poderá sofrer mudanças significativas. Passos Coelho, que está a ganhar credibilidade; pode ser visto como uma espécie de salvador. Para uns, ele tem a solução para os problemas do país; pois tem-se apresentado como um politico diferente do habitual. Para outros, o lider do PSD é mais do mesmo e as pessoas à sua volta não são de confiança. De Socrates já sabemos o que esperar. Agora podemos ou não gostar da sua politica. Uma coisa é certa é ficará na história da politica portuguesa : os anos Socrates serão lembrados, até pelo numero de escandalos em que o actual PM se viu envolvido. Há um aspecto que nenhum dos dois vai escapar : Quem perder terá a sua carreira politica acabada. Tanto de um lado como do outro, vão exigir a cabeça em caso de derrota. E se Socrates ainda poderá concorrer a Belém porque foi um PM com duração, já PPC não poderá mostrar serviço. Ainda há um terceiro elemento nesta odisseia : Portas. O lider do CDS terá destinos diferentes consoante os resultados : o seu partido formará sempre governo com um dos grandes. Se for preciso um governo de salvação nacional, até pode ser que Cavaco o nomeie PM..... se não for para o governo, tendo em conta que o CDS vai obter um excelente resultado; continuará a ser uma voz incomóda para o futuro PM. Falta falar da Esquerda. O PCP continuará igual a si mesmo e o BE vai descer o que provocará descontentamento relativamente à actual liderança. O Bloco já não entusiasma.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Mais participação cívica

Agora é o tema do referendo ao aborto que domina as atenções na campanha eleitoral. Por isso hoje falamos da necessidade de fazer reformas na participação cívica das pessoas na vida politica.
O instituto do referendo é a unica forma dos cidadãos poderem participar na discussão das matérias de relevância nacional.
Em Portugal já se realizaram três consultas populares : dois sobre o referendo ao aborto e um sobre a regionalização. Nenhum deles foi vinculativo porque a participação foi muito baixa. Esse é um dos problemas deste instituto que visa aproximar os cidadãos dos eleitores : a chamada democracia directa.

Acho que o referendo está completamente ultrapassado e não serve para nada, mas estas eleições deveriam servir para introduzir algumas alterações no sentido de permitir aos cidadãos uma maior participação na vida politica, mesmo legislativa.
Há quem fale na introdução de uma câmara baixa, composta por cidadãos. É certo que nestas eleições, muitos independentes integram as listas dos partidos. Isso é um pau de dois bicos : por um lado não vai impedir a chamada "votação partidária" mas pode trazer algo de novo. O facto desses "independentes" estudarem matérias que sejam relevantes para o interesse publico e implementá-las no debate publico.

O PSD e o CDS renovaram as suas listas com muitos "independentes" . O PS ainda tem muito caminho por desbravar.
Se os actuais responsaveis politicos não perceberem a necessidade de aproximar a democracia dos cidadãos, podem estar a perder muitos votos.
Repito que o referendo é um instrumento inutil. Podia ser facultado aos cidadãos poderem sugerir projectos de lei, indo directamente para o plenário e não estar sujeito à vontade dos partidos como acontece com as petições.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Publico vs Privado

O PS tem feito desta campanha uma escolha entre o que é publico e privado. Depois de perceber que a culpabilização do PSD pela actual crise não colhe frutos, virou-se para uma proposta fantasma vinda dos sociais democratas.
SNS, Escola Publica, privatizações têm dominado esta campanha.
Em Portugal sempre houve a tradição de se privilegiar e dar mais investimento ao sector publico. O SNS é um exemplo disso. No entanto, não há duvidas nenhumas que os hospitais privados têm melhores condições e funcionam de forma mais eficiente do que os publicos. Ainda há esse estigma em Portugal. Quanto ao ensino, é ela por ela. Tanto o publico como o privado têm bastante qualidade.
Num país moderno e avançado como Portugal, hoje em dia esta é uma velha discussão. Com a globalização e a entrada da economia de mercado em vigor em todo o mundo, não faz sentido trazer estes temas para uma campanha eleitoral. E ainda por cima, o actual PM foi o grande responsável pela destruição do Estado Social. Veja-se os numeros do desemprego. Ah, e também ele fez imensas PPP´S.
Questiono é se, tendo a possibilidade de criar melhores condições não deverá a aposta ser feita mais no privado. É que se o serviço for melhor, a qualidade superior e houver interesse por parte de quem quer investir, porque não apostar mais nessa área?
Seria importante trazer mais qualidade a todo o serviço publico que está perder influência. Até porque o investimento publico tem sido muito pouco.
Infelizmente, ainda existe o papão de entregar tudo aos privados. É um discurso muito tipico da Esquerda portuguesa. A realidade é que são os particulares que conseguem meter a máquina a trrabalhar e a render.
Certas pessoas ainda não perceberam que o Mundo agora é capitalista e só sobrevivem os mais fortes e capazes.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

O problema das Maiorias absolutas

O PR apela a uma maioria absoluta depois das eleições de 5 de Junho. Os partidos com hipoteses de vencer também querem o poder autoritário. Mas será a maioria absoluta a solução para um país em crise?
No quadro actual, a constituição de uma maioria absoluta seria o ideal, porque com a imperatividade de cumprir os acordos com o FMI, esse governo traria mais estabilidade. Apesar do ruído da oposição, as medidas seriam obrigatoriamente cumpridas e estabelecidas sem qualquer dificuldade. Neste momento, o que o país precisa mais é de estabilidade politica e uma vitória esmagadora dia 5 de Junho de um partido ou de uma futura coligação seria ouro sobre azul.
Resta saber como será a governação maioritária com o FMI, sendo certo que haverá pouca margem de manobra para implementar medidas a nível financeiro e económico. A troika está atenta.
Mas isso é nos tempos que correm.
Diferente opinião tenho se o país estiver sem a alçada do FMI.
Uma Assembleia sem um partido maioritária é mais presente e activa. Todos as forças politicas têm de chegar a um consenso e haverá mais espaço para o debate e o aperfeiçoamento da legislação. Não se criam governos autoritários nem Assembleias arrogantes em que apenas domina a vontade do partido no poder.
Então porque não resultou o governo minoritário de Socrates? Porque o actual PM não soube ler os resultados eleitorais de 2009 e não percebeu que tinha de mudar de rumo e politicas para se aguentar.
A atitude do actual PM não se deve em governos minoritários e para evitar "apanhar" pessoas como Socrates é que é preferivel que a Assembleia não tenha nenhum partido maioritário.
Sendo assim, nas actuais circunstâncias só é admissivel sair uma Assembleia maioritária, para bem do país mas nem tanto para a democracia pluralista.

Fugir para onde?

O país está um caos. Sem governo, com o FMI a adoptar um plano rigoroso de austeridade, com a provável saída do Euro e com a crise social que vai emergir em Portugal nos próximos anos. Com tudo isto o país vai ficar "louco".
Assim, a solução é irmos embora.
Mas para onde?
Qual será o vosso destino após deixarem este cantinho á beira mar plantado?

terça-feira, 24 de maio de 2011

Laranja a subir

Pedro Passos Coelho veio com uma ideia inovadora : reduzir o numero de feriados ou então metê-los à segunda feira para que não calhe a meio da semana e assim interrompa o período de trabalho.
Há muito que se fala nisto no nosso país. Temos feriados e festas a mais, inclusive importamos dias de descanso vindos do estrangeiro, o que é inamissivel.
Numa altura em que o PSD parece descarrilar nas sondagens, propostas como estas vêm dar credibilidade ao lider social-democrata.
Apesar de ser acusado de ter uma agenda liberal, PPC está firme nas suas propostas e no seu caminho. Nunca antes um lider do PSD foi tão arrojado no seu programa do governo e propôs medidas que fazem um corte com o passado.
As pessoas estão a sentir isso e sabem que o PSD está mais reformista e renovado.
Não obstante alguns tiros no pé durante a pré-campanha, parece que os ultimos dias vão ser laranjas......

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Vir charters da China para a campanha

São indianos, africanos, paquistaneses......... Vêm de Lisboa, Amadora, Sintra. São pagos para encherem os comicios do PS e aplaudirem quando o "Prime Minister of Portugal" subir ao palco. Em troca recebem uma merenda. Foi o Socrates, diz uma mulher enquanto a outra mete o dedo no meio da boca como sinal de "tá calada". Precisa o PM e o PS de descer tão baixo...... De certeza que vão vir charters da China nos próximos dias. Basta um telefonemazinho a Futre

Tema V : Eutanásia

És a FAVOR ou CONTRA a Eutanásia?

domingo, 22 de maio de 2011

OLHAR A SEMANA - EDIÇÃO ESPECIAL 100 - A DEMOCRACIA ESTÁ ESGOTADA?

Jorge Pinheiro – A democracia é um bem raro. Os países que não a têm, querem; os países que a têm, parecem estar fartos. A democracia permite liberdade de expressão e liberdade de escolha. Podemos dizer o que queremos. Podemos votar na diferença. Então, porque a criticamos? A verdade é que a democracia é um regime que requer aperfeiçoamento permanente. E o povo pode e deve contribuir para esse aperfeiçoamento. Então porque nos limitamos a dizer mal e não fazemos críticas construtivas? Será que o mal vem dos Partidos Políticos? Porque não se renovam os Partidos? E porque não tentamos nós a sua renovação? Porque cada vez menos gente se revê nesses Partidos? Será que a democracia representativa tem de evoluir para uma democracia mais directa? E como é isso possível, sem gerar anarquia? Pessoalmente vejo com grande desencanto a representação parlamentar e os governos saídos de eleições. Serão livres estas eleições? Os projectos mal se conhecem; discutem-se de forma demagógica; sempre as mesmos caras; a dizer sempre o mesmo e a fazer, depois, o que bem lhes apetece? As oligarquias partidárias são fechadas e visam apenas preservar-se no poder. Presas por lóbis, defendem interesses e, pelo caminho, perpetuam-se no poder e criam cargos para si mesmo. Onde está a nossa liberdade? A nossa escolha? No voto útil ou no voto inútil?

Francisco Castelo Branco – Felizmente para nós a democracia não está esgotada. Ela está bem de saúde e recomenda-se. O simples facto de podermos escolher e mudar aquilo que está mal diz tudo. Ora, se as coisas não funcionassem e tivessem de continuar na mesma, aí sim estaríamos mal.
Ficar parado e baixar os braços não é solução. Os partidos precisam de se abrir mais à sociedade? Claro que sim. Mas como é que isso se faz?. Tem de haver maior transparência? Sem duvida. Há que acabar com o nepotismo e aristocracia partidária que se tem instalado há 10 anos.

Eu pergunto se não é o povo que é preguiçoso, inculto e que não se interessa pelas questões da politica, porque “não interessa”, ou “dizem sempre o mesmo”. Só mesmos os desatentos é que afirmam que os políticos falam sempre a mesma cassette.

Tem de haver uma mudança por parte das pessoas, dos eleitores. São eles que têm o poder de eleger aqueles que os vão representar, bem ou mal isso é outra questão. É ao povo que cabe decidir o que é melhor para o país e quem deve comandar o seu destino. Se as pessoas se alheiam da democracia, isto fica entregue a quem?

JP – A verdade é que estamos a viver um simulacro de democracia. O voto é a ilusão de participarmos nos nossos destinos. Entregamos o voto e esgotamos a intervenção cívica. Os Partidos e os lóbis económicos não querem mais intervenções cívicas. E quando as estimulam, são completamente controladas. As oligarquias políticas dos Partidos do Centro encarregam-se de gerir a coisa pública. Os Partidos são dominados pelos grandes interesses económicos. São eles que mandam nos governantes. São eles que lhes dão emprego. São eles que lhes respaldo e reforma. Nós, depois de votar, passamos a ser contribuintes, consumidores e clientes bancários. Meros números. Estatística. Gado… Mudar? Sem dúvida. Mas como e para onde? A situação de Portugal é irrelevante. Bastava que houvesse bons gestores. Preocupante é a situação na Europa, em geral, e nos USA. A Conferência de Davos, o G20, controlam tudo. É lá que a cabala se passa. E enquanto não entendermos isso, andamos a fazer um favor ao poder económico. Andamos a fingir que há democracia. A democracia passou a ser um negócio. Nada (ou quase) se pode impedir. Os políticos deixaram de interessar. São meros escravos. Escravos que potenciam os negócios ao poder económico: a saúde, o ambiente, as águas, os planos de reforma… Por isso., a democracia se esgotou. Não é credível. É um logro. 

FCB - Temos de ser nós, quem vota a torná-la credível. Se quem está lá não tem qualidade ou é corrupto temos de agir para evitar que cheguem ao poder. Como fazemos isso? Participando na própria democracia. Lutando por uma melhor classe política, por ideias construtivas e acima de tudo não nos deixarmos enveredar por essa teia.
Nenhum sistema é perfeito, mas este dá-nos a garantia que ninguém se perpetua no poder. Que ele está bem distribuído e existem órgãos fiscalizadores da actuação dos governantes. Não há poder absoluto, sendo o povo que detém essa maioria.
E o sinal que a democracia está bem viva é o aparecimento de movimentos cívicos e candidaturas independentes a órgãos públicos como as autarquias locais e mais recentemente para a Presidência da Republica. A democracia também hoje se faz na blogosfera e nos fóruns que são cada vez mais frequentes. A democracia não se esgota na hora de votar…
Ora, eu pergunto como seria uma Assembleia da Republica composta por cidadãos independentes. Seria uma grande confusão, pois não se conseguiriam organizar, poucos teriam capacidades técnicas e políticas, muitos não saberiam lidar com a pressão de ter de resolver assuntos em que fosse necessário alcançar acordos e unanimismos…
Seria complicado não?

 JP – Concordo. Seria muito complicado. A questão é que a mudança só existe com revolução. Estamos num tempo em que o abismo económico e o social espreitam. Ou, melhor, estamos já em queda livre. Apenas não queremos admitir. Não há tempo já para mudanças “por dentro”. Não há tempo para conquistar os partidos. A inércia em que vivemos na Europa, o medo de perder subsídios e regalias, vai matar a democracia. Um dia destes acordamos e o dinheiro vale zero. Nesse dia acabou a democracia. Como atacar esta questão? O povo está subserviente; os magnates tem o “complot” feito; os políticos obedecem… Como se sai daqui, em tempo útil, sem ser a tiro? É que, quer se queira, quer não, há uma questão civilizacional. Estamos à beira de enfrentar uma escravatura mundial. O reino do arbítrio total. Os fantasmas estão a chegar… Olhem a história de Roma.

 FCB - Revolução? Sair a tiro? Mas isso é precisamente o que a democracia não defende. A justiça pelas próprias mãos e as revanches fazem parte do passado. É por terem acabado certos vícios que o sistema funciona. Apesar das críticas, hoje existe mais liberdade, igualdade, oportunidade, participação cívica. O sistema não é perfeito, concordo, mas nenhum é. E depois de anos e anos de monarquia, de um século em que as ditaduras levaram aos conflitos armados, a democracia é o resultado final de séculos de regimes políticos autoritários e obsoletos.
O tráfico de influências e os complots políticos só acabam quando continuarmos a lutar por um sistema mais limpo. Mas em todo o lado.
Porque se for a tiro, aquele que “matar” o sistema vai querer ocupar a cadeira por se julgar um “salvador”. Foi isto que aconteceu nas ditaduras do Médio Oriente e que estão a sofrer revoluções. E o que querem os seus povos? A nossa democracia.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

A outra final

Depois da Final de Dublin, o país assistiu a mais uma final. Desta vez politica. Pela primeira vez na história da democracia, o debate teve direito a claque. PS e PSD levaram os seus apoiantes para as instalações da RTP e assim demonstrar aos lideres o seu apoio.

Para ser muito português, só falta os confrontos fisicos. Mas não demorará muito, até porque daqui para a frente vai haver mais manifestações deste tipo. E daqui a uns anos estamos a assistir a cenas de pancadaria partidária. Estamos a evoluir para uma campanha à americana! Claques, debates, comentários, sondagens( outro facto novo!!!). A primeira pergunta : para onde caminham as nossas campanhas?

Socrates ao ataque com a Revisão constitucional e o SNS. Passos Coelho a defender-se muito bem e não deixando Socrates antecipar-se e acusá-lo de ser o responsavel pela actual crise. Nesse ponto o lider do PSD esteve muito bem porque foi primeiro. Passos respondeu muito bem a todas as questões levantadas pelo PM, não se deixando atrapalhar nem intimidar. Bateu muitas vezes na culpa do Governo PS em relação à crise e defendeu as suas propostas, esclarecendo tudo o que o PM levantava.

Sócrates foi igual a si mesmo. Com a tentativa de disfarçar a situação. É bom que no dia 5 de Junho os portugueses escolham bem. A técnica de trazer papeis para os debates é de outro tempo.

Para primeiro debate, Passos Coelho esteve muito seguro e teve uma atitude importante : atacou Socrates desde o inicio e isso foi fundamental para "acalmar" Socrates. Agora já não há mais debates, a campanha faz-se na rua e dia 5 é o voto que vai decidir.

Eu vou votar contra Merkel

Esta semana tivemos mais um ataque de nervos vindo da Bundestag. Como quem diz, mais uma ingerência na nossa soberania.
A sra Merkel disse que era preciso uniformizar a idade da reforma e as férias. É mais um sinal rumo ao federalismo europeu mas sempre com a batuta e ordem da chanceler alemâ.
Quem a ouve falar pensamos que estamos perante uma PM Europeia votada por todos os habitantes europeus. A Sra Merkel de certeza que não conhece a realidade de todos os paises.
Quererá esta suposta lider europeia transformar a UE nuns Estados Unidos? Não sabe ela que cada Estado tem a sua legislação própria..... Achar-se-á ela um Obama?
O pior veio depois quando deu mais uma bicada aos portugueses. Supostamente, nós os preguiçosso do Sul temos férias a mais. Podemos ter excesso de feriados e pontes, mas temos o direito a descansar, até para não ficarmos com os tiques sombrios desta senhora. Aposto que um dos homens da Troika ficou escandalizado com o que se passou na páscoa e foi fazer queixinhas à sua mamâ.
Daí que a mãe de todos os europeus ( não eleita ou sequer reconhecida...); viesse agora bater nos portugueses, como já vem sendo habitual. Terá ela sofrido algum desgosto amoroso com um português?
Não sabemos ao certo. Aquilo que eu sei é que mais uma vez o povo português ficou sem defesa. Nenhum governante reagiu e ainda por cima estamos em campanha eleitoral.
Fico sossegado porque como diz Cavaco, é para não criar má imagem junto dos credores.
Ok estou esclarecido!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Os Extremos tocaram na Troika

Nem parecia que estávamos perante um debate entre candidatos da pura Direita e da Extrema Esquerda. Portas e Louçâ não se insultaram, quase que concordavam em certos aspectos e poucas foram as diferenças espelhadas entre os dois.... Até que apareceu a troika.

Louçâ diz que vamos ficar pior porque isto vai conduzir a ainda mais pobreza e desigualdade. Portas diz que se não há dinheiro é preciso ir buscá-lo a algum lado. Também na forma como o problema seria resolvido os dois divergiram.

Estas foram as unicas discordâncias entre os dois. Diga-se de passagem que estavam os dois muito calmos e seguros de si.

FCP Master

FC Porto é o melhor. Custa dizer mas a verdade é que o clube azul e branco vai amealhando titulos atrás de titulos.
E se vencer no Jamor ultrapassa o Benfica em numero de titulos. E estou certo que PC não descansará enquanto não passar a ser o clube com mais campeonatos no nosso país.

A melhor Mega é de manhâ

São 7.15 e lá toca o meu despertador. A primeira coisa que faço é ligar o rádio e ficar na cama a curtir a musica.

As Megas manhâs são o melhor remédio para acordarmos bem disposto. Todos dizem isto, mas é um facto que acordar a rir transforma o dia. O André e a Teresa são uns porreiros, a mula é chata porque dá pouco dinheiro e é preciso estar no google para acertar na pergunta chave. O pior mesmo são as bacoradas que os ouvintes dizem no Mr.Bombastic, um jogo onde é preciso responder a perguntas um tanto ou quanto "estúpidas".

Não me esqueço quando foi perguntado a uma ouvinte qual era a substância do café, ela respondeu "Cocaína". Brutal.

Por vezes, apetece-me partir o rádio porque eu quero ouvir musica e não gramar com os gritos dos locutores logo pela manhâ.

E quando eles perguntam qual é a melhor rádio do Mundo? Não vos apetece dizer outra estação? As vezes sim, mas estariamos a mentir. A Mega conquistou a rádio pela sua musica, locutores, oferta de prémios e passatempos diversificados. Tenho um grande problema, quando casar como vai ser? A Mega ou a mulher?

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Portugal a arder de Joana Amaral Dias

Amanha pelas 18h30 no Quartel dos Bombeiros Voluntários de Lisboa

Final de Dublin

FC Porto e Sporting de Braga.
Pela primeira vez na história do futebol português e europeu duas equipas de Portugal vai disputar o segundo trofeu da UEFA.
O FC Porto que já tem na sua vitrina 4 titulos europeus, vai em busca do quinto. Numa década já é a terceira final europeia, isto para além das presenças consecutivas na Liga dos Campeões. Os actuais campeões europeus não perderam no campeonato. Venceram a supertaça e eliminaram o Benfica na Taça de Portugal. Se conquistar os dois trofeus em causa, a equipa azul e branca ultrapassa o Benfica em termos de trofeus. É um sinal dá que pensar aos dois clubes de Lisboa. Se um anda pelas ruas da amargura a tentar evitar a belenização, o outro apesar da glória alcançada o ano passado tem de rever algumas matérias para tirar roubar o espaço mediático ao FCP.
Uma coisa é certa : Não é por acaso que Mourinho e Villas Boas tiveram os primeiros sucessos no Dragão.
O Sporting de Braga tem vindo a crescer nos ultimos anos. Desde que António Salvador pegou no clube que os arcebispos são o quarto grande. Não em termos de titulos ou massa adepta mas de resultados. Depois da era Jesualdo, o Braga deu o salto. O Segundo lugar o ano passado, 4º este ano, vitórias ante equipas de topo e a chegada a uma final europeia. Por isto o Braga já é grande : é o quarto clube português a conseguir chegar a uma final da uefa. Não esquecer que este ano o clube bracarense já amealhou 15milhões de euros só na Liga Europa. Ainda falta a Champions.....
Apesar do favoritismo azul e branca, do outro lado mora uma equipa guerreira e um treinador de top que se quer despedir em grande.
Para os maldizentes do futebol nacional, esta é a prova que o futebol português está em grande.

Tema do Dia XXVI

Quem vai levantar o caneco?

terça-feira, 17 de maio de 2011

Se tivesse sido em Portugal....

( DSK em Tribunal. Esta imagem está em todos os jornais do Mundo, e como tal não poderia deixar de estar aqui)

Com a notícia da prisão do Director do FMI ainda bem fresca na nossa memória, muitos são aqueles que fazem as comparações sobre o sistema judicial norte-americano e português. Ao que parece o julgamento do francês estará para breve, coisa impensável no nosso país. Se bem se lembram, o caso Casa Pia, Freeport, Face Oculta ainda se andam a arrastar nos tribunais.
Outras das questões que se levantam é saber se em Portugal, homens com poder e influentes teriam o mesmo destino que Strauss Kahn parece levar.
Se atendermos ao nosso sistema judicial e politico a resposta é um contundente não. E se houvesse detenção, por certo que já estaria cá fora mediante o pagamento de uma caução. O que para um homem que lida com dinheiro todos os dias não é problema nenhum. É de recordar que a Juiza norte-americana recusou o pagamento da fiança de um milhão de dolares. Quantia suficiente para que qualquer juiz português se deixasse corromper e deixar DSK livre à espera de julgamento. E mesmo este seria realizado muitos anos após a detenção, podendo DSK ser candidato a um qualquer cargo publico.
É duro dizer isto mas é a realidade.
Em Portugal não há a coragem para prender os mais poderosos. E são muitos os exemplos. Condenados com pena suspensa, pagamento de fianças irrisórias e outras histórias.....
Parece que lá fora funciona tudo bem, se tivermos em linha de conta a quantidade de poderosos que estão atrás das grades.
Tudo isto merece reflexão, e em tempo de eleições os nossos candidatos deviam dar mais atenção à justiça e não fazer umas reformas nos códigos processuais para freguês ver.
Para que as nossas autoridades não recearem o FMI, quando for necessário actuar com justiça.

Encontrámos o verdadeiro culpado...

Foi ontem revelado o verdadeiro problema do país : o Memorando de Entendimento não está traduzido para português.
Durante o debate de ontem, Clara de Sousa fez uma das mais "estupidas" perguntas que um jornalista deve fazer. Ainda por cima, interrompeu Jerónimo de Sousa.
Mais tarde, a jornalista Catarina Neves fez questão de questionar o PM sobre o mesmo assunto. Ao que este replicou . "Desculpe, mas acha que isso é mesmo importante?".
É Sr.Primeiro Ministro! É de extrema importância!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

8.8 - HISTÓRIA DE PORTUGAL - A QUEDA DO IMPÉRIO



1 - A globalização começou com Portugal. O Império Marítimo de português foi o primeiro a nível mundial. Começou em 1415, com a tomada de Ceuta e acabou em 1825, com o reconhecimento da independência do Brasil. Quatro séculos de aventuras e desventuras. Primeiro foi o comércio de escravos e o ouro da Guiné. Depois as especiarias do oriente. As madeiras e o açúcar do Brasil. Finalmente, o ouro e os diamantes de Minas Gerais.
Foi, acima de tudo, uma expansão económica, mascarada com um álibi religioso, como convinha na época. O Papado apoiou e a evangelização fez-se “a bem da nação e a bem de deus” (que era praticamente a mesma coisa). A cobiça pelas almas era igual à cobiça pelas especiarias. O primeiro impulso foi do Infante D. Henrique. D. João II planeou o Império. D. Manuel foi o executor. O apogeu veio com D. João III. O desastre começou com D. Sebastião. O sonho acabou com as invasões napoleónicas e a fuga de D. João VI para o Brasil.

2 – O Império português é um dos maiores enigmas da História. Foi o primeiro e é o último. Um país pequeno, com pouca gente, pobre, com poucos recursos e culturalmente atrasado. E, no entanto… Em meados do século XVI, Portugal estava presente em Goa, em Ormuz, em Ceilão, na Indonésia, na China, no Japão, no Brasil, na Terra Nova, em toda a África Ocidental, em Moçambique, na costa oriental africana, no Magrebe, nas Ilhas Atlânticas. Faltou a América do Norte, que Colombo levou para a coroa espanhola, talvez por engano ou talvez não. O Império português coloca uma série de questões embaraçosas para qualquer historiador: para além da falta de dimensão crítica para abarcar tantos territórios, porque razão essa pequena nação foi tão bem sucedido a partir de 1440? E porque razão, quando finalmente acabou o Império, se tornou uma sombra de si mesmo, em apenas 50 anos? E porque a posse de um Império nunca actuou como catalisador económico e cultural para Portugal, ao contrário das outras nações da Europa?

3 – Há nos Descobrimentos portugueses (e também nos espanhóis) um misto de cobiça e devoção, que constitui a força motora principal. Os Descobrimentos são uma sucessão de actos de ferocidade e selvajaria, praticados por homens impiedosos que bombardeavam, sem apelo, os portos asiáticos e os barcos de mercadores. Degolavam, sem piedade as tripulações dos pangaios islâmicos, cortavam mãos e pés e enviavam de volta ao chefe local, com uma nota a recomendar que os utilizassem para fazer caril. Inicialmente roubavam, mais do que comerciavam e a pirataria era uma indústria florescente. Os negros, os turcos, os mouros, eram “infiéis” e, como tal, possuíam “a maldade de todos os homens maus”. Podiam ser mortos e torturados, porque “deles não era o reino dos céus”. Hoje, Vasco da Gama e Albuquerque estariam na lista dos mais procurados do Tribunal Penal Internacional.
Os Portugueses abriram uma brecha no Oriente. Um ataque que destruiu as redes comerciais até então nas mãos de mouros e venezianos. Um ataque que teve consequências culturais, políticas e sociais enormes: reinos desapareceram; outros foram divididos; a China e o Japão foram arremessados para um isolamento hostil, de que só há poucas décadas estão a sair. O mundo globalizou-se à força de canhão.

4 – Acabado o Império, poucos benefícios sobraram para Portugal. Enriqueceu a monarquia e a alta nobreza. Lisboa atingiu uma certa prosperidade que ainda conserva. Depois dos primeiros e heróicos tempos de aventura e pilhagem, sucederam-se os tempos de exploração ineficaz, cada vez mais inerte, à medida que as décadas passavam. Os portugueses foram ultrapassados pelos holandeses e ingleses, até na arte de navegar. Portugal, apesar de ter dado ”novos mundos ao mundo”, deu pouco mundo a si mesmo. Manteve-se conservadoramente velho e católico. Um Império rígido, ortodoxo e decadente. Um Império que foi apodrecendo com o passar dos séculos, até ao retorno definitivo ao velho continente. Parece que ficámos moribundos de tanto esforço feito… Continuamos aqui amarrados, agora sem norte e sem naus.

Jorge Pinheiro

Se a estupidez pagasse imposto....I

A história da detenção de Dominique Strauss-Kahn por eventuais abusos sexuais em Nova Iorque é a prova que como por uma estupidez a carreira de uma pessoa pode ir por água abaixo num ápice.
Salvaguardando a presunção de inocência que todos os cidadãos têm direito, é um facto que este escândalo acabou com uma eventual sucessão ao Eliseu.
E mais, a imagem do FMI ( que está muito na moda) também fica tocada.
De facto, as pessoas que têm poder normalmente caem por actos irreflectidos ou estupidos. O que quer dizer que não conseguem usufruir desse estatuto, antes pelo contrário, muitas das vezes abusam da sua posição.
O caso de Dominique Strauss-Kahn é um exemplo.
A nossa sociedade está cheio destes casos e só uns quantos são apanhados com a mão na massa.
Afinal nem sempre os grandes génios ou as pessoas com posição estão livres de "cometerem erros infantis", " sem reflectirem".
Uma coisa é certa : as autoridades norte-americanas apanharam o "Grande Peixe"

domingo, 15 de maio de 2011

Olhar a Semana - Cadroga

Esta semana, o ex-Ministro de Cavaco Silva, que está ajudar Passos Coelho no programa de governo e também responsável pelo acordo no Orçamento, conseguiu fazer com o que PSD tenha perdido as eleições.
As suas declarações ao comparar Socrates a Hitler, a dizer que a TSU será de 8 pontos e não de 4 como pretende Passos Coelho, e por fim aquela frase infeliz na SIC Noticias, deitaram por terra qualquer esperança de maioria absoluta mas também vitória no próximo dia 5.
O que se passou com Eduardo Catroga foi mais um episódio do desnorte desta campanha social-democrata. Primeiro foi a escolha de Nobre, depois o atraso na divulgação e agora esta triste figura que um homem respeitado e conceituado fez aos olhos de todos os portugueses. Como é óbvio, à boa maneira o PS pegou no descuido e contra-atacou.
Aliás, as contradições têm sido mais do que muitas na laranja, e parece não existir um rosto visível e que mande. Todos falam dos mais variados sem nexo de causalidade. De tal forma que Catroga já disse que iria "entrar de férias". Ora, isto num partido com responsabilidades e que pretende vencer eleições com maioria não pode acontecer, porque dá imagem de desnorte e falta de rumo.
O PSD está a cometer demasiados erros e a isso não é alheio o facto de já ter percebido que a maioria já foi, o PS continuar a subir e o CDS ainda não ter confirmado que vai para o poleiro com os sociais-democratas.
Esta tentativa de Passos Coelho abrir os seus colaboradores a pessoas da sociedade civil não está a dar bons resultados.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

À Direita tudo empatado...será?

Hoje foi o debate entre os dois homens da Direita e que poderão formar um governo.
Só que Portas avisou logo que se o PSD não quis uma coligação pré-governamental, não deu certezas de uma aliança após as eleições.
Acusou o PSD de ser muleta do governo.....
Ora, este é um discurso à PM. Especialmente quando afirmou que o PSD e CDS podiam ter cada um 23%. Nunca o lider do CDS meteu a fasquia tão alta. É um facto que o PP anda a crescer pelo facto do seu trabalho no Parlamento mas também devido ao empenho do seu lider que agora parece estar a alcançar um feito inédito. Seria engraçado ver Portas como PM.
Foi a primeira vez que um lider do CDS meteu o Presidente do PSD no bolso. Passos Coelho estava branco, pálido, um pouco à vontade com o atrevimento vindo do outro lado. Conseguiu corrigir com a questão da Taxa Social Unica, mas pode perder votos se o CDS insistir na questão da ajuda dos Sociais-Democratas ao governo por ter aprovado o Orçamento e assim ajudado à crise.
Quando votou contra o "budget", Portas parecia que estava a adivinhar este cenário. Agora tem as portas abertas para não só criticar o PS mas também PPC.
À Direita a questão é saber se os votos ganhos pelo CDS não dariam uma maioria absoluta ao PSD, que pelas vias normais já devia estar hà milhas de distância do PS...

always Coca - Cola

A bebida mais famosa do Mundo acaba de comemorar 125 anos de existência. Nada melhor do que iluminar a sede com as cores da empresa em tamanho gigante.
Sem duvida, que a Coca Cola , mais do que uma bebida é uma marca a nível mundial. Quem não associa aquela garrafa mitica à bebida mais refrescante do Mundo?
Enquanto alguns refrigerantes desapareceram do mercado e outras ganham nova vida, a Coca Cola continua em alta, mesmo com a ameaça de novos produtos que procuram cativar sobretudo os mais novas.
A verdade é que quem experimenta Coca Cola já não quer mudar de bebida. Aquela é a sua preferida até ao fim da sua vida. É como o cigarro ou uma droga......
Por muito que haja variedade de escolha, a Coca Cola é a companheira em qualquer refeição. Vinho? Cerveja? água? Nada disso. Coca Cola e mais nada!
Também no marketing, esta empresa é a numero 1. Os seus anuncios cativam qualquer pessoa pela diversidade e imaginação. E tudo para promover uma bebida.
Mas nem tudo são rosas. Há quem diga que a Coca Cola pode matar. É celebre aquele teste de meter um bife e depois deitar a bebida por cima.
125 anos de existência e liderança de mercado é obra e tudo se resume a um momento de prazer na hora de beber....

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Póstroika

Um video de autoria de João Maria Condeixa

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Factos da Década (16) : Dissolução do Governo de Santana Lopes

Em 2004 , Portugal viveu a sua primeira crise politica desde a instauração da democracia.
Após a fuga de Durão Barroso para Bruxelas num momento em que o país ultrapassava dificuldades financeiras, coube a Pedro Santana Lopes chefiar o executivo. Após tantos anos tinha chegado o momento pelo qual o Menino Guerreiro tanto ansiava. Conseguiu ser Primeiro-Ministro sem necessitar de eleições, embora a nomeação fosse perfeitamente legítima.
Foi por aí que começou a queda de Santana Lopes. Nenhum dos lideres da oposição lhe deu legitimidade democrática no cargo, chegando ao ponto de no primeiro debate mensal, tanto Socrates como Louçâ se terem dirigido ao então PM por Dr. Santana Lopes. A questão da legitimidade durou meses e encheu muita tinta.
Muitas foram as trapalhadas da governação, a começar pelo discurso de tomada de posse. Ninguém vai esquecer aquele momento de atabalhoamento que certamente ficará nos aneis dos apanhados da nossa democracia.
Com tantos casos, a 30 de Novembro de 2004, o Presidente da Republica de então Jorge Sampaio decide dissolver a maioria PSD-CDS e convocar eleições antecipadas. O sonho do Menino Guerreiro estava desfeito. Ou não porque recandidatou-se nas eleições de Fevereiro de 2005 contra o então recém-eleito secretário Geral do PS José Socrates.
Foi com a entrada de Santana Lopes no governo que começou a crise que até hoje perdura.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Quedas diferentes

A semana passada ficou marcada pela morte de Osama Bin Laden, inimigo número 1 dos Estados Unidos.
Hoje há notícias que a Nato intensificou os raides aéreos em Tripoli. No mesmo dia, a UE no seu papel de ainda tentar ter alguma voz, aprovou sanções contra o regime Sírio.
A pouco e pouco os grandes lideres, na sua maioria ditadores; vão caindo. É verdade que desde Mubarak ainda não houve mais nenhuma queda mas a instabilidade na região vai prosseguindo. Kaddafi será sem duvida o próximo a cair, e certamente cairá quando levar uma bala. Terá o mesmo destino de Bin Laden e Saddam Hussein.
Curioso, que o Ocidente, e nomeadamente os Estados Unidos disseram desde a primeira hora que não se iriam envolver nas questões internas dos países, mas até hoje e tirando a Tunisia não têm feito outra coisa. Assim esta também é uma guerra do Ocidente. Vivemos em globalização e por isso é importante uns tomarem conta dos outros.
Ao contrário do que se esperava, o pós-Mubarak no Egipto não está a ser fácil. O conflito entre religiões intensificou-se e a desordem é ainda maior. Talvez o ex-ditador tivesse razões para não sair do poder antes de Setembro.
Já a Libia pós Kaddafi poderá desmembrar-se. Tendo em conta as várias etnias e que após a sua queda surgirão movimentos armados; a Libia tal como hoje a conhecemos pode acabar. Mas também é um facto que pouco conhecemos deste país.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Não há casamento!

Socrates bem tentou, mas Paulo Portas não vai aceitar o pedido de casamento para formar uma coligação pós governamental após dia 5 de Junho.

Portas esteve muito bem ao manter a sua coerência : Tem vindo a pedir a demissão do PM e agora foi bem claro. Não vai apoiar um PM que durante 6 anos destruiu o país.

Esta foi a ultima tentativa de Socrates tentar formar uma maioria no Parlamento se vencer as eleições. Rejeitado pelos outros partidos, restava o CDS, só que este não está para aí virado.

Assim, Cavaco Silva vai ter um enorme problema se Socrates e o PS vencerem mesmo que seja por um voto.

O CDS ganha pontos com a sua coerência e é por aí que estão a subir nas sondagens.

Quanto a Socrates parece ter o destino marcado....

Uma questao de debater...

Hoje : Socrates vs Portas
Jerónimo vs Louça
Louçâ vs Socrates
Passos Coelho vs Jerónimo
Portas vs Passos Coelho

A melhor análise aqui!

domingo, 8 de maio de 2011

Olhar a Semana - Qual bom acordo?

Esta semana o país ficou a par das medidas de austeridade que vão ser implementadas no nosso país por força da ajuda externa.
Não são apenas medidas para serem aplicadas com vista à redução do défice, mas profundas reformas que vão ter de ser feitas de forma a emagrecer o Estado e mais importante a relançar a economia. A redução dos serviços do Estado e as privatização de empresas como a TAP, ANA, EDP, Caixa , entre outros mostram bem a limpeza que o FMI veio cá fazer. Neste caso, não é só o dinheiro que tem de ir para o OE destas empresas, a grande questão é os chorudos salários dos seus administradores que o povinho vai ter deixar de pagar.

No rescaldo do acordo alcançado, e à boa maneira portuguesa; os três maiores partidos portugueses vieram a terreiro dizer que se tratava de uma boa negociação. Espanta-me o facto dos nossos politicos ( governo e oposição), virem com a conversa que "foi bom para o país". Como é possível que tenha sido necessário vir o FMI, UE e o BCE fazer aquilo que nenhum dos três partidos ousaram tentar quando tiveram responsabilidades governativas, e chegados ao dia do anúncio das medidas, realizarem conferências de imprensa regojizarem-se com o plano de austeridade?

É obvio que não estamos perante nenhum bom acordo, até porque se o FMI entrou em Portugal foi porque o Estado estava calamitoso. Este pedido de ajuda externa só envergonha quem durante os ultimos 10 anos governou Portugal, e nisto incluo o PSD/CDS que estiveram 3 anos no poder mas que também deixaram as contas publicas em maus lençois. Lembram-se da obsessão pelo défice de Manuela Ferreira Leite?

Socrates, Catroga e Portas deviam e os seus aparelhos partidários deviam ter vergonha e pedido desculpa aos portugueses, porque isto é o resultado de anos e anos de despesismo, descontrolo, más politicas e o mais grave de tudo : falta de dizer a verdade aos portugueses.

O que aconteceu na 3ªfeira foi o bater do fundo, o reinventar de um país. Até 2013 vamos ter alguém a cuidar de nós, mas depois estamos de novo por nossa conta..... voltaremos ao mesmo?

Ninguém gosta dele...excepto um!

Pedro Passos Coelho admite fazer governo com o PS mas sem Socrates

Jerónimo Sousa admite fazer governo com o PS mas sem Socrates

Francisco Louçã deixa em aberto a possibilidade de haver uma maioria de esquerda no Parlamento mas sem Socrates, o Sr.Troika

Paulo Portas admite o quê?

Tendo em conta que Socrates está na linha da frente para vencer, só o ultimo terá um tacho governativo...

sábado, 7 de maio de 2011

Campanhas eleitorais, o que vamos ouvir?

A campanha eleitoral está aí à porta e todos os partidos preparam as suas máquinas para que no dia 5 de Junho alcançem os resultados.
Ao contrário de anos anteriores, esta vai ser uma campanha diferente. Poucas vão ser as promessas anunciadas, porque todos sabemos quem vai determinar a politica nos próximos 3 anos. Chama-se FMI.
Pelo que todos as forças politicas ( PS incluido....) vão ter muito cuidado em anunciar megaprojectos que o país não pode suportar.
Assim, teremos a habitual troca de acusações entre PS e PSD, cada um responsabilizando o outro por esta crise. Socrates terá um tom mais forte e convincente, enquanto o PSD andará à procura da melhor resposta.
O CDS de Portas vai manter-se fora desta guerrilha de forma a conquistar votos. O seu trabalho no Parlamento bem como a sua atitude perante a crise está a dar frutos. Se não se envolver muito no meio dos dois partidos, Portas pode muito bem crescer politicamente.
A esquerda radical irá ter uma campanha anti-FMI e contra a intervenção. Ora, este tipo de linguagem vai trazer dissabores, sobretudo ao BE que parece perder terreno. Os portugueses sabem que sem intervenção externa o país cairia na bancarrota e sempre é melhor ter uns tipos estrangeiros a mandar do que os nossos politicos. Os portugueses já perceberam isso, daí que a linguagem radical de esquerda passa cada vez menos.
Assim teremos uma campanha dominada essencialmente por um brincadeira de miudos : A culpa foi tua, diz um.... Não, foi tua, responde o outro!
Que dirá o FMI disto?

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Concentradíssimos nas....Eleições!

Porque a política nos apaixona é uma das razões da existência deste blogue, a partir de hoje e até dia 5 de Junho estamos em MODO ELEIÇÕES!

Sempre por um Portugal diferente...., o lema da cobertura das eleições deste ano.

Figuras da Década : Usain Bolt (16)

Usain Bolt, ou o Foguete; é o homem mais rápido do Mundo. Nasceu a 21 de Agosto de 1986 na Jamaica. Estes são os seus recordes:

100 M:

Reebok Grand Prix de Atletismo de Nova Iorque em 2008 - 9.72

Final Olimpica de Pequim 2008 - 9.69s

Campeonato Mundo Atletismo em Berlim - 9.52s

Tem também o recorde Mundial dos 200m - 19.19s

Nem uma chita o consegue apanhar

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Assembleia de Pinguins - FIM

(...)

O aquecimento global já durava há vários e muitos animais já tinham morrido nas Caçola. Este acontecimento fez com que tribos rivais dessem as mãos e se unissem em torno de um objectivo : salvar a vida do outro e não a do próprio.

Focas, Leões Marinhos, alguns tubarões, Antalya e outras espécies já haviam falecido. Familias destruídas por causa de um acontecimento natural. Muitos perguntava o porquê desta situação.

Ao contrário de outras tribos, os Penguzan conseguiram manter todos os seus membros vivos. Já lá não estava Luisim mas a vida tinha de continuar. Já era a segunda vez que eles passavam por uma situação destas e portanto já sabiam os truques para sobreviver. Tinham algum armazenamento, mas tinham de ser discretos para não atrair visitas inesperadas. Sobretudo dos vizinhos e invejosos Rocker.

Contudo, a esperança já era pouca e entre todos havia uma certeza : Iriam todos morrer. Tal como da primeira vez, se tivessem de falecer que o fizessem todos juntos e unidos. Era esse o lema dos Penguzan, mesmo tendo passado por algumas situações desagradáveis.

Certo dia, e quando a Comunidade das Caçolas já tinha quase toda falecida, ao mesmo tempo que a esperança dos Penguzan ia morrendo, eis que do fundo do horizonte surge um enorme barco ....

- Hey, Vejam vem aí alguém!!! - exclamou de imediato Carolim....

Todos se levantaram para ver a silhueta que lá ao fundo se aproximava. Acorreram para a praia a fim de se certificarem melhor.

- É Zavi!!!! Tenho a certeza que é ele!!! Aquele barco não engana ninguém. Ele voltou para nos salvar novamente!!!! - gritou um dos pequenos.

A comunidade saltou toda e começou a cantar em uníssono. O milagre tinha acontecido uma segunda vez. E o amigo Zavi jamais se havia esquecido deles.

- Olá amigos, contentes por me voltarem a ver? - perguntou Zavi.

Os pinguins ajoelharam-se perante o seu novo Deus.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Vitória da Geração à Rasca

Trabalhadores independentes vão passar a ter subsidio de desemprego. Ao fim de 37 de democracia, a igualdade é atingida. Valeu a pena protestar!

A Ementa servida pelo FMI

  • Fim dos Feriados e das Pontes - Esqueçam o 10 de Junho, o 5 de Outubro e o 25 de Abril. O unico que vai ser criado é o 4 Maio - dia da Salvação Nacional
  • Corte nos automóveis, telemóveis e outras benesses para os Ministros, Presidentes de Câmara e outros governantes. A partir de agora circula tudo no Metro ou Autocarro. Se comprarem um carrinho também não faziam mal pois isso iria aumentar as exportações
  • Corte radical nos institutos publicos e Associações.
  • Redução do número de deputados para cinco. Cada partido tem direito apenas a um representante na AR para assim também diminuir o barulho.
  • Redução da circulação do Metro, Carris e outros Serviços de Transportes Publicos. A ideia é acordar cedo mais possível para começar a facturar logo de manhâ.
  • Esqueçam jantar ou almoçar fora - Comer na cantina da empresa ou em casa será uma regra. Os restaurantes vão fechar.
  • Discotecas nem pensar. Para produzir o país tem de ter a cabeça limpa, a começar pelos jovens. E como estes são o futuro do país, há que mantê-los fechadinhos em casa a ver noticias.
  • Os bancos já não emprestam mais dinheiro. Depois de terem os cofres vazios há que voltar a encher.
  • Fim dos Beneficios fiscais. Tanto na educação como na saude.
  • Quem tiver o Kit Sócio Benfica também já não poderá usufruir dos magnificos descontos.
  • Acabaram-se as promoções nos hipermercados, Semanários ou Bombas de gasolina.
  • Fim da República e a reinstauração da Monarquia, sendo que seremos governados pelos acabadinhos de casar Duques de Cambridge , William and Kate Middleton

terça-feira, 3 de maio de 2011

A Ementa

No mesmo dia em que o FMI vai anunciar as medidas que o nosso país vai ter que tomar para que as nossas contas publicas entrem definitivamente no rumo certo, OLHAR DIREITO publica algumas medidas mais radicais que a troika gentilmente nos forneceu para dar conhecimento ao publico.

Estejam atentos!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

A chave

Paulo Portas quer ser Primeiro Ministro. Não se trata de um soundbyte de campanha, mas tendo em conta a situação que o país atravessa tem toda a legitimidade para aspirar a tal lugar. Senão vejamos:

Cenário 1 Como não vai haver maioria absoluta socialista ou social-democrata, um dos dois partidos vai ter de negociar com o CDS. Ora, se Portas não for PM de um governo laranja ou rosa, terá certamente um papel fundamental na orientação na coligação que vier a formar. Este é o cenário mais plausível, mas o CDS terá sempre um papel fundamental.

Cenário 2 Caso Socrates vença e precise da ajuda centrista, e como Portas não quer o actual PM na chefia do governo, podemos assistir a uma troca. O CDS viabiliza uma maioria absoluta no Parlamento mas Socrates terá de sair forçosamente. Para bem do país.

Cenário 3 Pelo facto do CDS poder vir a obter um resultado acima dos 10%, isso vai impedir que PS e PSD obtenham um bom resultado. Perante isto, o PR pode ser chamado a resolver a questão criando um governo de salvação nacional. Ora, se o PSD não governa com Socrates e vice-versa; Cavaco Silva para unir toda a gente, poderá vir a chamar Portas para que os três partidos formem governo. Não é em vão, que o Presidente do PP se sente tão confiante para a jornada eleitoral. Até porque o CDS está nas boas graças do povo : Não foi ele que provocou estas eleições ao governar mal ou não criar as condições necessárias para existir estabilidade politica.

Rest in Peace Usama

Hoje aconteceu aquilo que milhões de americanos desejavam : Usama Bin Laden já não mais respirará neste Mundo. Provavelmente vai ter com as milhares de virgens que estão à sua espera.
A luta que o Ocidente há muito trava chegou ao fim. Finalmente um dos maiores terroristas do Mundo, e também dos melhores; está morto.
Com o seu aniquilamento, a pergunta se estamos mais seguros a partir de hoje faz todo o sentido. É natural que alguém ocupe o seu lugar, mas há organizações que só funcionam bem quando têm um lider forte. Os Estados Unidos sabem disso muito bem e por isso é que travaram uma luta até que o corpo do terrorista falecesse.
Também morreu o filho de Khaddafi. Mais uma morte que fragiliza os terroristas deste planeta. A pouco e pouco o Mundo vai ficando mais respirável e seguro.
Curioso é verificar que se criticam os EUA por tentarem matar pessoas que são consideradas altamente perigosas, e depois quando o conseguem, aqueles que não gostam da politica externa norte-americana aplaudem fervorosamente. Estou a falar daqueles que hoje festejam em frente à casa branca a morte do terrorista, mas que muitos deles eram anti-guerra no afeganistão.
Goste-se ou não, o Mundo tem de ver-se livre destes tiranos.
Share Button