sábado, 31 de março de 2012

Bandeira da Líbia

Tendo a Libia um rico historial, a sua bandeira mudou ao longo dos acontecimentos.

Esta é a mais recente, tendo substituído a que identificava o regime de Kaddafi. No entanto, muitos guardaram a Bandeira da Monarquia tendo em vista uma revolução contra o regime do ex-ditador. Foi o que aconteceu e neste momento, a bandeira oficial adoptada pelo Conselho Nacional da Revolução é a que está na imagem.

Voltando um pouco atrás, esta bandeira foi adoptada em 1951, após a criação do Reino da Líbia. Em 3 de Agosto de 2011, foi novamente aprovada como simbolo oficial daquele país.

O seu desenho deve-se a Omar Faiek Shennib e aprovada pelo Rei Idris Al Senussi (Emir de Cirenaica e Rei da Libia).

As cores foram escolhidas por diversas razões:

O encarnado por causa do sangue sacrificado para a liberdade da Libia.

O preto para lembrar os dias negros dos libios ocupados pelos italianos.

O verde para representar a sua riqueza principal : a agricultura.

A estrela e o Crescente é uma homenagem ao Rei Idrissi.

Só como nota de curiosidade, a bandeira verde usada por Kaddaffi estava relacionada com a sua filosofia política. Ideias que escreveu no seu Livro verde. Esta também é a cor que simboliza o Islão....

Tal como o país que passou por diversas fases, as suas bandeiras têm muito historicismo.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Dilúvio no Largo do Rato

A deputada independente Isabel Moreira veio criticar o porta-voz do PS, pelo facto do partido, da direita e de alguma imprensa, estarem a querer dividir o PS entre os socráticos e não socráticos. De facto, tanto o governo e a actual liderança do PS tentam demarcar-se dos anos Socrátes fazendo várias referências ao que de mal aconteceu no passado.

Como está escrito aqui, este PS parece estar em Guerra Civil, e apenas passou meio ano sobre a liderança de António José Seguro. Coisa que está a correr mal. É um facto que António Costa também não ajuda e parece ser ele o principal causador dos conflitos dentro do grupo parlamentar escolhido pelo anterior PM.

Não se entende como é que uma deputada independente tem tanta liberdade para criticar a estrutura do Partido. Assim é mais dificil de detectar o pensador desta estratégia para derrubar a actual liderança. Se fosse um militante com história no partido, muito provavelmente a fonte seria rapidamente desvendada.

Aos poucos vão-se levantando vozes contra a liderança de Seguro e as histórias de "jogos de sombra" são cada vez mais, não havendo espaço de manobra para António José fazer uma oposição ao Governo, porque a sua própria bancada está a causar-lhe dificuldades.

A unica dúvida é saber se é o filosófo de Paris que coordena a sua bancada ou o intelectual de Lisboa o causador deste dilúvio.

Festa do Queijo em Manteigas

O trajecto para lá chegar é longo e sinuoso, mas com tempo tudo se alcança. Para aproveitar um bom petisco ninguém se queixa.
Na Vila de Manteigas, há delícias regionais para todos os gostos, até para aqueles que gostam de fazer a sua dieta.
É a festa do queijo, do fiambre, da manteiga e do presunto. Dos grandes fabricantes nacionais até aos internacionais mais conhecidos como o Roquefort. No entanto, continuamos sem saber se o Limiano tem um pingo de vergonha e aparecerá para os comes e bebes, mas é da França que o cartaz ganha mais relevância além-fronteiras.
E os preços são do melhor. Não há promoções como no Pingo Doce mas o IVA aqui não entra não, porque há que preservar o que é nacional, já que nos supermercados as marcas estrangeiras predominam.
Quanto ao beber, diz-se que é de borla!

quinta-feira, 29 de março de 2012

Encontro para a História

Os dois lados força encontraram-se em Havana, por ocasião da visita de Bento XVI a Cuba. Esta fotografia dá-nos a certeza que o lado bom e o mau podem conviver numa sociedade. É curioso que Fidel vestiu-se de preto ( representa o mal) e o Papa usou as vestes brancas ( significam a paz..).
Apesar das palavras bonitas e encorajoradoras de Sua Santidade, Fidel e sus camaradas, pouco devem ter ligado aos avisos.
Para a história fica este encontro, mas também a tentativa de um Papa para expandir a liberdade religiosa num país onde os católicos são perseguidos e mal-tratados. Agora é hora de voltar a soltar os dissidentes cubanos....

De rejeitado a candidato

A política e a vida dão voltas que supreendem todos. De facto, o que hoje é verdade, amanhâ é mentira, ou vice versa.
No espectro politico nacional existem aqueles se sentem excluídos num momento, mas depois aparecem do nada a fazerem declarações bombásticas.
O tema presidenciais já mexe e ainda faltam 4 longos anos, com legislativas e autárquicas pelo meio, mas os candidatos já se colocam em bicos dos pés. Eu não sei se são efectivamente candidatos ou candidatos a candidatos, mas a realidade é que basta algum nome falar em Presidenciais que é logo notícia. Primeiro foi Costa, agora temos um Capucho.
Curioso é que há dias, o ex-presidente da Câmara de Cascais, que se retirou por motivos pessoais; veio afirmar que se sentia excluido do seu próprio partido e ameaçava mesmo repensar a sua actividade militante. António Capucho, não gostou da forma como saiu de Conselheiro de Estado. Como não se lembraram dele, o caminho é a saída. Isto foi dito antes do Congresso social-democrata.
Hoje, eis que rejeitado pelo partido; Capucho afinal quer Belém. E que, não se iludam aqueles que o "mataram" politicamente, porque neste momento não tem qualquer cargo político e está disponível para tudo e mais alguma coisa.
Onde é que eu já li isto? Um senhor chamado António Costa que recentemente lançou um livro e que também não negou uma candidatura a Belém. Se Costa vai tentar o Largo do Rato, António Capucho também quer Belém mas por via da São Caetano à Lapa. Mais do que isso, o ex-presidente dos cascalenses, quer é condicionar Pedro Passos Coelho e a sua liderança, sendo uma espécie de sombra do actual PM.
Não haja dúvida que a preparação para o assalto a um cargo político é feito "pela calada". Passos Coelho que se cuide, porque já tem dois possíveis sucessores.
Infelizmente, para Capucho aqueles que são possíveis candidatos antes do tempo, nunca chegam a passar das intenções.

SERÁ?

França e Alemanha são os culpados da crise, diz primeiro-ministro italiano (Sol)

A crise na zona euro «está quase a terminar». A opinião pertence a Mario Monti. O primeiro-ministro italiano aproveitou igualmente para depositar sobre a França e a Alemanha grande parte da responsabilidade no escalar da crise que ainda afeta a Europa.

quarta-feira, 28 de março de 2012

A Grande Viagem dos Salmões - O retorno XXI

(...)

Caglão havia regressado a Masutzt para procurar Salmodiana mas também saber notícias de Samolipe, embora isso fosse secundário. A viagem podia continuar sem o lider daquele grupo, já que o mesmo se havia portado como um fraco. No entanto, para subir o rio e enfrentar as correntes, as secas e os vários perigos era necessário alguém que os orientasse, e mesmo não sendo desejado, Salmolipe era o único que tinha a experiência para o fazer.

Chegado a Masutzt, Caglão foi ao encontro dos locais que tinha estado aquando da paragem. Perguntou a vários salmões se tinham visto Salmodiana. Ninguém dava uma resposta positiva, e perante essa situação o Salmonix começava a ficar preocupado. Quando já estava sem esperança de a encontrar, vê um salmão em dificuldades e completamente arrasado. Tratava-se de Salmolipe. Estava bastante mal tratado e não se conseguia levantar. As suas escamas haviam sido danificadas.

Embora com um ar despreocupado e tendo um certo desprezo, Caglão foi ao encontro dele. Estendeu uma barbatana para que Salmolipe regressasse à vida, mas este com o seu orgulho ferido não aceitou, preferindo ir por si. Apesar de tudo, ainda conseguiu saltar um "obrigado".

- Está tudo bem? O que te aconteceu? Viste Salmodiana? Nós estamos prontos para começar a subida do rio. Temos que o fazer mais rapidamente para aproveitar o facto do rio estar perfeito para nós. E além disso, não queremos perder a corrida para os outros, pois não? - aproveitou Caglão para espicaçar Salmolipe.

- É verdade, temos de nos meter rapidamente a caminho. Mas antes é preciso encontrar Salmodiana. - concluiu Salmolipe.

(continua dia 2...)

Doações partidárias

Há quem olhe para a democracia britânica como um exemplo a seguir. Em termos de regras mas também no que toca à ética e moral na política. Contudo, os britânicos não estão de forma alguma impunes ao que se na maioria dos países. O uso do poder público é por vezes abusivo.
Em 2009, registou-se um autêntico "assalto" ao dinheiro público, com a maioria dos Deputados a gastarem aquilo que não deviam.
Agora é o governo liderado por David Cameron que está sob fogo cruzado. Tudo por causa de jantares com a presença de doadores. No fundo, o que estava sob o menu era quanto é que esses financiadores iriam oferecer ao Partido Conservador. É interessante que a polémica centra-se, não no montante doado, mas no número de jantares que se realizaram. Esta parece uma discussão à portuguesa.
Este é mais um dossier para Cameron gerir, depois do isolamento europeu e das suas consequências. É engraçado que em Inglaterra não há nenhum governo que não passe por este tipo de situações.

Concorrência ao serviço do povo

O Decreto-Lei 67/2012 de 20 de Março institui a criação dos tribunais de propriedade intelectual, da concorrência, regulação e supervisão.
Esta foi uma promessa governamental cumprida por Passos Coelho em conjugação com a Ministra da Justiça.
Para livrar os tribunais de processos relacionados com matérias generalizadas, houve a necessidade aumentar o número de oportunidades, para que questões relacionadas com as matérias atrás referidas sejam resolvidas o mais depressa possível. No fundo, também permite às entidades mais opções.
Curioso é o facto da Concorrência, regulação e supervisão terem agora uma "sala" para a resolução de litigios. Num país onde estas três matérias estão completamente dependentes do Estado e dos jogos políticos, não se entende a criação de um tribunal. Se nem as autoridades responsáveis por estes sectores; caso mais óbvio é a Autoridade da Concorrência; conseguem impor as suas decisões, como é que os tribunais irão ser respeitados?
Talvez a criação destes tribunais seja uma resposta à falta de capacidade para regular e supervisionar determinados aspectos.
O caso mais óbvio e notório é a questão dos combustíveis. Como irão proceder os consumidores? E os tribunais terão força para acabar com este cartel que se verifica no nosso país? Penso que não, até porque nem o Estado tem força para impor as suas leis. Sectores como o da electricidade e o da Energia são bem paradigmáticas da força dos poderes instituídos e que levam os consumidores ao desespero.
Embora ainda seja cedo, para perceber como vão funcionar estes tribunais e que questões irão ter força para decidir, mas à primeira vista parece ser mais uma inutilidade do ponto de vista legal. Terão força jurídica mas duvido que conquistem a força politica.

terça-feira, 27 de março de 2012

O Papa no meio do comunismo

O Papa Bento XVI está em Cuba para uma visita oficial. As recepções ao papa em Cuba são sempre motivo de interesse, devido à imposição de um regime que teima em não acabar. Fala-se muito de esperança, abertura, direitos mas ninguém quer ouvir a palavra liberdade.
A questão é que ninguém deixa que essa "liberdade" seja pronunciada, e ainda para mais, frente ao lider religioso mais pacifico do mundo.
Se sabemos de antemão que, Joseph Ratzinger acredita que o comunismo falhou, a sua visita áquela ilha não é mais do que uma tentativa para encontrar o caminho da esperança, mesmo que os opositores ao regime e toda espécie de ameaça à ditadura seja especialmente silenciada por estes dias.
Há uns tempos, escrevi aqui, se o Papa, não este mas a figura; tinha um papel político. Há quem considere os dois pontos de vista, mas a verdade é que Ratzinger sendo um estudioso, não deixará de nos seus sermões tentar penetrar nos ideiais comunistas que ainda teimam em perdurar em Cuba.

Vícios



Nem é só o facto de ser um ex-ministro do pior Governo de Portugal desde que me lembro. Nem é o facto de ser uma pessoa que não é da Caixa Geral de Depósitos, e como tal não a poder representar em nenhum board. Nem é sequer o facto de ter sido Ministro com a tutela da CGD, enquanto o actual chairman da CGD era presidente executivo da mesma. Nem é o facto de ser um político e um professor de Finanças, pouco conhecedor do mercado de telecomunicações e de se preparar para ir para uma empresa privada.
É o absurdo do presidente não executivo da CGD (Fernando Faria de Oliveira) se preparar para pôr um político, ex-ministro das Finanças que a tutelou, um homem que não tem carreira nas telecomunicações, em representação do banco do Estado na administração da Portugal Telecom. Quando tem indicações claras da troika para vender, o mais depressa possível, as participações em empresas fora do sector bancário, como é o caso desta participação de 6,23 por cento na PT.
“A Caixa Geral de Depósitos vai ser um banco estritamente centrado no negócio bancário", já o disse o Presidente executivo da CGD (José de Matos). Mas para Faria de Oliveira o mundo não mudou, continua a ser como dantes. Faria de Oliveira continua a não resistir à tentação de ser arquitecto das estruturas accionistas das empresas privadas e de pôr a CGD ao serviço da definição de administrações de empresas. Ora em nome do centro de decisão nacional, ora em nome da competência profissional dos administradores. Como se a CGD fosse Deus e Faria de Oliveira o seu profeta. Mesmo quando essa política de estratega na defesa dos centros de decisão nacional arrastou o banco do Estado para os prejuízos que teve no ano passado. Não sei se é ingenuidade ou vaidade o que move Faria de Oliveira. Um misto das duas coisas?
Vem isto propósito das declarações de Faria de Oliveira ao Negócios: O presidente não executivo da CGD que propôs o nome de Fernando Teixeira dos Santos para integrar a lista como administrador não executivo da Portugal Telecom, em representação da Caixa, por considerar que "constituiria uma mais-valia de relevo para a PT". E pergunto eu: o que tem Faria de Oliveira a ver com isso, isto é, com a PT?

segunda-feira, 26 de março de 2012

Mais um na corrida

Em Braga mora um projecto vencedor. Um presidente ambicioso e competente, uma estrutura sólida e uma cidade cada vez mais afecta ao clube local, deixando o coração azul e branco ou encarnado.
Não é um epifenómeno, nem um novo Boavista. Estamos sim perante mais um grande do futebol português. Com a ascensão braguista, haverá menos comida para os clássicos três grandes.
Uma coisa é certa : Em três anos, a equipa de António Salvador consegue o apuramento para a Champions. Notável!

A Grande Viagem dos Salmões - Salguão XX

(....)

Salmonisco e o seu grupo acabavam de entar no estuário do rio. A subida ia começar a ser feita de modo tranquilo e sereno. Ao contrário de Salmolipe, o lider dos Salmonix não deixava ninguém ficar para trás. Este era um lider em que todos confiavam e acreditavam o destino das suas vidas.

A seca já tinha passado, e previam-se fortes tempestades para aquela zona. No entanto, havia sempre risco desta previsão falhar. Alguns salmões não quiseram entrar precisamente devido a esta situação.

Salguão, já tinha quase idade de velho e as aventuras eram mais que muitas. No meio da comunidade, tinha a alcunha de "Soldado", pois ele havia ajudado muitos companheiros nestas viagens mas também em lutas travadas entre as várias comunidades de salmões. A conquista de território também era uma tarefa típica destes peixes. Ao passar por Salmonisco, Salguão decidiu acabar ali com a aventura.

- Meu caro, Salmonisco não vou poder seguir-te. As minhas barbatanas já não dão para mais. Foram muitos anos a subir este rio e por aqui também vi muitos companheiros a perderem a vida. Já estou velho demais para passar pelo mesmo. Espero que tenham sorte e tragam Salmonão são e salvo. - afirmou Salguão vertendo uma lágrima no canto do olho.

- Tenho pena mas compreendo a tua decisão. Espero que a viagem de regresso seja tranquila. Daqui a uns meses espero encontrar-te em casa para festejarmos o resgate do nosso amigo. - retorquiu Salmonisco.

- Assim será.

Deram um abraço e cada um seguiu o seu caminho. Salguão era o ultimo da fila, pelo que já estavam todos à espera de Salmonisco para iniciar a subida.

O velho salmão heroi partiu de regresso a casa. No entanto, em pleno alto mar um enorme vulto surgiu do nada com a boca aberta e pronto para ingerir.

Salguão não mais veria os seus companheiros porque havia sido engolido por um tubarão.

(continua dia 28....)

Alterar CRP e...o gás

O discurso de ontem de Passos Coelho no XXIV Congresso Social-democrata trouxe um ponto importante para a discussão política : uma alteração constitucional para inscrever o limite do défice orçamental na Constituição.

Passos lançou um repto ao PS e ao seu líder, António José Seguro. Estranho, é que Seguro tenha respondido a esta proposta com uma contra proposta bem mais esquisita. O secretário-geral do PS pretende a liberalização do gás e da electricidade para que os portugueses possam pagar mais barato. Este é um ponto importante, mas não era desta resposta que o país e o próprio Passos estavam à espera.

Concorda ou não com o dueto Merkozy e com o Coelho? Aceita introduzir um limite do défice orçamental na CRP?....Perante o repto, Seguro responde com o gás e a electricidade. De ser para não se queimar mais enquanto lider socialista ou então quer iluminar o caminho para o governo. Caminho esse que está cheio de obstáculos.

Para que não tenha a mesma atitude que está a ter em relação ao memorando da troika, Seguro devia ter uma resposta neste momento. A não ser que começe por negar mas acabe por aceitar.

domingo, 25 de março de 2012

Revolução liberal está em marcha

Do congresso social-democrata apenas ficam os discursos do lider laranja, porque de resto assistimos apenas a uma entronização do mesmo por parte de todos. É sempre assim, nos congressos em que o Partido está no governo, embora em comparação com o PS, as reuniões do PSD são menos "estilo partido comunista".

A grande mensagem do conclave social-democrata foi a necessidade de unir os portugueses nesta fase dificil. Primeiro a austeridade e depois a retoma económica. O problema é que devia existir mais medidas de estimulo à economia e nesse ponto concordo com António José Seguro.

Retirar o Estado da Economia é o ponto fulcral da acção política de Passos Coelho. No fundo, para o Primeiro-Ministro há que deixar o mercado funcionar por si mesmo.

Foi igualmente importante a sua mensagem em relação à questão dos salários.....e como o PM cumpriu todos pagam e não há excepções. Assim se calam algumas bocas de esquerda.

Se tentar unir o país nesta fase dificil é a grande prioridade de Passos, pelo menos já conseguiu a união do partido à sua volta, coisa que há uns anos atrás era complicado. No congresso estiveram Menezes,Santana, Mendes e até Marcelo. Alguém viu Manuela Ferreira Leite?

sábado, 24 de março de 2012

Continuando pelo Sul....

Parece que nestas eleições, Romney vence nas primárias realizadas durante a semana e Santorum consegue os seus melhores resultados ao fim de semana. Continuando pelo sul, hoje é a vez do Estado do Louisiana ir a votos. Já falta pouco para Romney atingir os 1,144 delegados necessários, mas ainda não tem a eleição garantida, embora se mantiver a toada não terá grandes dificuldades. Em jogo estão 46 delegados. A vantagem está no ex-governador da Pensilvânia, que parece talhado para ganhar os Estados do Sul. Se iremos assistir ao renascer de Santorum, não colocamos em duvida a quase vitória de Romney na nomeação, apesar das dúvidas de Newt Gringich que está na corrida, porque não tem outra alternativa.

Portas é o novo amigo do Coelho

A presença de Paulo Portas no Congresso do PSD representa a unidade e cooperação dos dois partidos no Governo. Apesar das tormentas, PSD e CDS estão unidos em tirar o país das amarras do FMI....
Por enquanto é assim e depois logo se vê.....
É notório que a importância de Portas neste governo é enorme e isso só lhe traz vantagens para ele e para o seu partido. No fundo, se alguém perder votos nas próximas legislativas por causa das medidas de austeridade será sempre o PSD e nunca o CDS, e por isso é que Portas se resguarda tanto, dando maior protagonismo a Passos Coelho e a Relvas. É que nas próximas legislativas, os dois partidos irão a votos sozinhos e o CDS irá tirar pontos ao PSD.
A influência de Portas é tão grande que Passos até o leva ao Congresso, fazendo dele a grande atracção da reunião magna. Jardim, Marcelo, Rangel, Montenegro....todos eles foram "apagados" com a presença de alguém que não partilha dos mesmos ideais mas que foi a figura do encontro.
E isto aconteceu no dia em que o próprio Portas ganha a guerra contra Gaspar em relação à nomeação de Teixeira dos Santos para administrador não executivo da PT. O que obrigou Passos Coelho a não ter a coragem de negar essa realidade à frente Portas.
O congresso do PSD começa bem para Portas.

Bandeira da Jordânia

Esta bandeira foi baseada na Bandeira da Revolta Árabe contra o Império Otomano durante a Primeira Guerra Mundial.

As cores horizontais ; preto, branco e verde representam os califados de Abássidas, Omíadas e Fatímidas.

O triângulo encarnado representa a dinastia Hashemita e a Revolta Arábica.

A estrela tem um duplo significado :

1- representa os sete versos do primeiro sura no Alcorão.

Há também quem ache que representa os sete montes à volta de Amâ, capital da Jordânia.

2- representa a unidade das pessoas Arábicas.

sexta-feira, 23 de março de 2012

DO LOMBO?!

A austeridade «está a sair-nos do lombo» (Sol)

O caminho não é fácil, mas o Governo não vai abrandar. Passos Coelho reconheceu, na abertura do Congresso do PSD, que sabe o que a política de austeridade «tem custado».

"Não é o Estado que tem o direito de escolher a felicidade"

Ora muito bem dito. Foi por isto que votei no lider do PSD para Primeiro-Ministro. Quem assim fala sabe muito o quer e para onde vai.

CRIANÇAS SOLDADO É- NOS PERMITIDO PERMITIR?


Consumo e tráfico de drogas
A criança tem o direito de ser protegida contra o consumo de estupefacientes e de substâncias psicotrópicas, e contra a sua utilização na produção e tráfico de tais substâncias.
Exploração sexual
O Estado deve proteger a criança contra a violência e a exploração sexual, nomeadamente contra a prostituição e a participação em qualquer produção de carácter pornográfico.
Venda, tráfico e rapto
O Estado tem a obrigação de tudo fazer para impedir o rapto, a venda ou o tráfico de crianças.
Outras formas de exploração
A criança tem o direito de ser protegida contra qualquer outra forma de exploração não contemplada nos artigos 32, 33, 34 e 35.
Tortura e privação de liberdade
Nenhuma criança deve ser submetida à tortura, a penas ou tratamentos cruéis, à prisão ou detenção ilegais.
A pena de morte e a prisão perpétua sem possibilidade de libertação são interditas para infrações cometidas por pessoas menores de 18 anos.

A criança privada de liberdade deve ser separada dos adultos, a menos que, no superior interesse da criança, tal não pareça aconselhável.
A criança privada de liberdade tem o direito de beneficiar de assistência jurídica ou qualquer outro tipo de assistência adequada, e o direito de manter contacto com a sua família.
Conflitos armados
Os Estados Partes tomam todas as medidas possíveis na prática para que nenhuma criança com menos de 15 anos participe directamente nas hostilidades.
Nenhuma criança com menos de 15 anos deve ser incorporada nos exércitos.
Os Estados devem assegurar protecção e assistência às crianças afectadas por conflitos armados, nos termos das disposições previstas pelo direito internacional nesta matéria


ACCB

Os manifestantes "especiais"

Estas fotografias estão a correr o facebook, e as noticias relacionadas com elas estão em todos os orgãos de informação. No decorrer da manifestação de ontem dois jornalistas foram agredidos. Um da Lusa e outro da AFP.
Convêm recordar que em qualquer manifestação ou mesmo num cenário de guerra, ninguém deve ser protegido, muito menos é admissível que se pare um carga policial, para uns senhores poderem tirar fotografias. E, segundo os agentes, os jornalistas nem sequer estavam identificados, condição necessária para se distinguir os profissionais de um simples manifestante.
É o que se faz em cenários de guerra, onde os jornalistas andam com coletes e capacetes de cor distinta para serem facilmente identificados. Mesmo assim muitos acabam por ser raptados e morrer, como se viu recentemente na Libia.
Novamente, corre por aí um sentimento anti-policia por causa dos incidentes de ontem. Tudo por causa do suposto dever de liberdade ou informar. É verdade que esses direitos existem, mas não se podem obter mediante favores especiais. Quando digo "favores especiais", é querer que no meio de uma manifestação tenham "privilégios" e que os policias adivinham só porque andam com uma máquina na mão. Não podia ser um manifestante a tirar fotografias ao protesto?
Está de novo lançado uma campanha contra a PSP, feita por um corporativismo que insiste em ser intocável neste país. É impressionante que quando a Polícia reage e defende a ordem pública, ninguém mais se cala. Adorava saber se a Policia, que tem o dever de proteger os bens e as pessoa de certos comportamentos animalescos, não fizesse nada. Ainda por cima, são agentes que arriscam a vida para garantir o normal funcionamento do Estado de Direito.
E nós vivemos em Portugal, porque se fosse lá por fora tudo seria muito pior e exigente.

Barómetro Político - A actuação do governo

Para finalizar esta primeira análise do Barómetro Politico - OLHAR DIREITO, analisamos a seguinte questão:

Como está a ser a actuação do governo?

Não é de espantar que na opção Muito Boa, o executivo de PPC tenha apenas 7% ( 4votos). Com tantas medidas de austeridade é complicado conseguir a união de todos. No entanto, é importante que se diga que 33% (19 votos), considera que o Governo está a fazer um bom esforço, não esquecendo que é preciso implementar mais medidas e fazer as reformas prometidas 14% (8 votos).

Comecei pela avaliação positiva ao trabalho do Governo. A maioria não está satisfeita, mas reconhecem o esforço da maioria para levar o país para a frente. É preciso ainda trabalhar mais.

Em relação às opções no sentido negativo, 21% (12 votos) acha que o Governo está a ser um desastre, sendo que 17% (10 votos), tem a convicção que o PPC e a sua equipa é muito fraca. Estes são aqueles que acham que com as medidas de austeridade não vamos a lado nenhum e que é necesário mudar de rumo ou mesmo de governo. No fundo, para estas pessoas o governo há muito que perdeu o Estado de graça.

No fim, 7% (4 votos) consideram média, a actuação do executivo.

quinta-feira, 22 de março de 2012

O bom senso imperou

Após anos a discutir a possibilidade/necessidade de construirmos o TGV, o Governo de Passos Coelho decidiu deixar cair, e bem, o troço Poceirão-Caia. Era este o primeiro troço a ser construído. Depois deste mais haveriam de nascer.
A atitude do Governo revela bem que a prioridade neste momento é a recuperação financeira do país e o lançamento da economia. Ao contrário do que achava Socrates, não é pelo TGV que vamos estar desligados da Europa.
Além das inúmeras ilegalidades que esta construção pareceria estar sujeita a ter.
O Governo matou dois coelhos com uma cajadada só : não só acabou com mais um elefante branco, como também evitou estarmos perante mais uma construção irregular.
Não haverá nem Aeroporto de Lisboa nem TGV no Portugal Moderno dos próximos anos....

Causas & Coisas - a ultima aula

Hoje o Professor José Gonçalves Proença, ex Ministro do governo Salazar, lecciona a sua ultima aula da cadeira de Direito Internacional Privado. Os anos de ensino foram tantos que o Ilustre Professor conseguiu ser o docente de várias gerações da mesma familia. Não só teve o neto como aluno, mas também sua tia e avô.
De facto, não deve ser fácil atravessar estas gerações. Foram quase 80 anos......
Nas conversas sobre a competência e interesse das aulas deste Catedrático, há sem dúvida um aspecto que é comum : Apenas a primeira aula teve o privilégio de ter uma assistência digna de registo, porque no resto do período as salas estavam completamente vazias.
Não por culpa da qualidade de oratória do Ilustre, mas sim porque o escorço histórico não interessava muito numa cadeira desinteressante, complicada e sem qualquer utilidade para a vida prática.
No fundo, era importante marcar presença na aula de apresentação, mas depois havia coisas mais interessantes para fazer do que estar a ouvir o professor a citar o livro de cor e salteado....foram tantos anos!
E nem a obrigatoriedade nas aulas teóricos mudou a mentalidade dos alunos. Parecia que a mentalidade ia saltando de geração em geração de forma automática.
O pior tormento para os alunos eram as orais. Quando o Ilustre chegava à sala, os alunos tremiam de medo. Muitos no dia anterior, rezavam para que a oral fosse dirigida pelos professores assistentes. Volta e meia, o Ilustre Professor aparecia para "queimar" alguns alunos. No exame oral era complicado convencer que a matéria estava a ser bem dita, até porque ao entrar na sala o sentimento de receio era uma realidade. A preocupação não era com a oral, mas com quem iamos calhar.
O mais normal era 90% dos alunos chumbaram, e os restantes 10% passarem mas com o dezito e com uma "dádiva do Ilustre Professor", mas no fim o alívio era enorme porque a cadeira do Ilustre já tinha sido feita. E não esquecer, que mesmo quando a oral corria bem, os alunos corriam o risco de serem mandados embora da oral a meio por deficiência de compreensão do Ilustre Professor e não por culpa do aluno que até sabia bem a matéria. Este ultimo não sabia porque havia chumbado.
No dia de hoje, muitas destas histórias acabam. Não sabemos se as orais continuam mas em relação ás aulas é definitivo. No entanto, fica na história da Universidade Portuguesa, e em especial de Coimbra, a imagem de um grande homem e de um Professor genial, não obstante os relatos e as intrigas de quem foi ensinado.
De certeza, que o Ilustre Professor sairá sob uma enorme salva de palmas, apesar dos presentes na cerimónia também partilharem do mesmo sentimento que estas palavras tão bem expressaram.

NOTÍCIAS DO PARAÍSO

quarta-feira, 21 de março de 2012

A Grande Viagem dos Salmões - os Ursos XIX

(...)

Salmolipe ficou desfeito após a tareia que os rosados lhe deram. Afinal, o grande Salmão que fazia frente a Salmonisco de forma cobarde, não era assim tão forte como aparentava.

Enquanto que, numa atitude de amizade e respeito; os restantes membros do grupo de Salmolipe esperavam pelo seu chefe, Caglão sentiu a falta de um membro.

- Falta aqui alguém - Avisou Caglão.

- É Salmodiana - alertou Salmofia.

- Onde está ela? Não vei connosco porquê?

- Ela desapareceu em Masutzt e nunca mais a vimos, pensava que estaria com Salmolipe.

- Não podemos partir sem ela, mas também não convêm subir o rio muito tarde, até porque depois vêm as grandes tempestades e é dificil aguentar as correntes.

-Vou voltar para trás em busca de Salmodiana. Ninguém sai daqui até ao voltar, mesmo que Salmolipe ordene, pois torna-se complicado subir o rio se formos só nós os dois.

Caglão rapidamente voltou para Masustzt com o intuito de procurar o rasto de Salmodiana.

Na vasta planície e com a imensidão da pradaria, Uki e Uka brincavam um com o outro. Não importava se a quantidade de pêlos que os dois traziam no seu corpo musculado, apesar do sol abrasador que se fazia sentir para aqueles lados da Columbia. Os dois Ursos Pardos esperavam pacientemente que a sua familia, e principalmente os seus pais, trouxessem a comida que tanto necessitavam. Daí a uns anos, já seriam eles que teriam de descer para o rio a fim de alimentar as suas futuras crias, mas enquanto isso não sucedia os dois entretinham-se a arranhar a face um do outro.

(continua dia 26)

Parar o país para quê?

Esta figura ilustrativa demonstra bem o que os sindicatos andam a fazer a este país. Arménio Carlos nem sequer completou três meses à frente da CGTP e já convocou uma greve geral. Ainda bem, que a UGT não alinha neste disparate, porque não vale a pena parar o país quando este precisa é de trabalho e produtividade. Os Sindicatos são para defesa dos trabalhadores e não para prejudicá-los, porque todos nós sabemos que menos um dia de trabalho é também menos dinheirinho que entra no final do mês. A CGTP está a tornar-se uma espécie de FENPROF do sindicalismo "geral" e as pessoas começam a olhar com desdém para estas atitudes.
As plataformas sindicais estão velhas e gastas e só prejudicam os seus "comparsas", porque não defendem o essencial : melhoria de salários, melhores condições de trabalho, crescimento da economia e da produtividade........
Já manifestei o meu descontentamente em relação às greves aqui e aqui. Esperemos que o PS não caia na tentação de apoiar este tipo de iniciativas, porque quando assim fôr o seu lider cai em total descrédito.
Achar que parando o país, o mesmo se desenvolve é completamente descabido e não tem nenhuma justificação. Para além de terem perdido os a razão, a CGTP há muito que acabou com o sentido de Estado. E eu a pensar que o problema era de liderança.

Romney soma e segue

Mitt Romney venceu as primárias do Illinois e colocou-se numa posição de vantagem para ser o nomeado republicano. De facto, tanto Santorum como Romney têm alternado nas vitórias, mas o ex-governador do Massachussetts tem conseguido vencer nos Estados com maior peso. Assim, Romney obteve 529 delegados, contra os poucos 249 de Santorum.
Nesta altura, muitos questionam a continuidade de Rick Santorum na corrida isto porque não é certo que ganhe as primárias da Pensilvânia, a sua terra natal. No próprio partido republicano há quem duvida da capacidade de Rick ainda se manter na luta contra Romney. Uma coisa é certa, a questão da pornografia não ajudou em nada o derrotado de ontem.

terça-feira, 20 de março de 2012

Rick contra a pornografia

No dia da eleição no Illinois, Santorum vem com uma nova ideia : "A pornografia causa profundas alterações no cérebro às crianças e adultos, para além de destruir casamentos e relações". Esta é apenas um excerto do manifesto que está no site do candidato.
O ex-governador da Pensilvânia afirma mesmo que a "América está a sofrer uma pandemia com a pornografia".
Esta é uma questão que também foi discutida no legado W.Bush. Na altura, o ex-presidente, também Republicano criou uma força contra as pequenas produtoras. Santorum quer ir mais longe e atacar os grandes filmes obscenos. Estejam eles na Net, Tv, cabo ou mesmo no pequeno Ipad....
Depois de declarar-se contra a contracepção, Santorum abre uma nova guerra para proteger a familia, as crianças e a ética nos media e na própria sociedade. Estamos na presença de um candidato muito conservador, mas que se adequa àquilo que a típica familia norte-americana defende.

Brasil vs. Thor, o deus do trovão


Thor Batista. Fonte: divulgação.

Imagine que Américo Amorim, o homem mais rico de Portugal, tivesse um filho de 20 anos (eu não sei se ele tem) e que este filho, ao voltar de Coimbra para Lisboa, em seu carrão esporte, atropelasse e matasse um ciclista na autoestrada. Haveria clamor público a respeito disto em Portugal?

Pergunto isso, porque foi exatamente o que aconteceu no último sábado aqui no Brasil: Thor Batista - filho de Eike Batista, o homem mais rico do Brasil e sétimo mais rico do mundo - atropelou e matou um ajudante de caminhoneiro na autoestrada que liga Petrópolis ao Rio de Janeiro.

Thor, herdeiro de um bilionário com uma glamorosa modelo e símbolo sexual, branco, musculoso, loiro e com o nome de um deus nórdico, recém saído da adolescência, vinha de Petrópolis, localizada a 66 km do Rio de Janeiro, em seu Mercedes-Benz SLR McLaren, quando atropelou e matou, em circunstâncias ainda não esclarecidas, Wanderson Pereira dos Santos, preto, pobre, filho de pai desconhecido e abandonado pela mãe, que vinha em sua bicicleta velha de volta para a sua casa na favela.

Estes dois homens, apesar de viverem vidas opostas social, racial, cultural, familiar e, principalmente, financeiramente, uniram-se em um evento macabro no qual um deles perdeu a vida e o outro vai carregar em sua consciência, até o fim dos seus dias, o peso de uma morte.

Para a opinião pública brasileira, tão acostumada às novelas das 2h, 17h, 16h, 19h, 21h e 23h, mais do que um acidente, isso se tornou uma história de bandido e mocinho.

A grande maioria deu a Thor Batista o papel de vilão, pelo simples fato de que é um privilegiado, ou, usando o palavreado que li na internet, “um plaboyzinho filhinho de papai inconsequente”, e o mocinho é Wanderson, trabalhador, pobre, abandonado pelos pais e mártir.

Tal fato revela um traço muito importante da cultura brasileira: aqui não se admira aqueles que vencem na vida, ser rico e bem sucedido não é virtude, mas sim defeito e dos graves.

O brasileiro, com o seu histórico de escravidão e pobreza, sempre viu os ricos como os inimigos, pois muitos deles chegaram ao topo usando a violência, corrupção e abusando da impunidade. É uma inveja misturada com indignação, até justificável, pois, infelizmente, são poucos os que conseguem enriquecer de maneira honesta neste país.

Então, Thor foi eleito o vilão não porque se comprovou que ele foi o culpado pelo acidente, mas sim porque é filho de Eike, aliás, é assim que os jornais o chamam em suas manchetes.

Neste caso específico, li muitos comentários que diziam: “ele é filho de bilionário, isso não vai dar em nada, ele vai comprar a polícia e a Justiça, daqui a pouco vão processar a família do morto para pagar o conserto do carro do Thor”.

Teve outro que disse: “para mim, só porque é filho de quem é já está errado”. E o mais engraçado é que, em resposta a este comentário, outro disse: “O que é isso rapaz? Não pense assim, ele é filho de um trabalhador, não é filho de político”. Confesso que nesta parte eu ri, ser político é pior do que ser rico.

O Wanderson, por outro lado, apesar de ter sido alçado ao posto de mártir, quase não é citado, ninguém tem compaixão dele ou da família, ninguém usa a internet para dedicar-lhes palavras de conforto por conta de seu brutal falecimento, ele é apenas o símbolo da luta do bem contra o mal. Ninguém se importa com ele enquanto ser humano!

E, para ser sincera, acredito que, no fundo, as pessoas tampouco se importam com o Thor, porque as pessoas não o odeiam, mas sim o seu pai, pelo simples fato de que Eike é o homem mais rico do Brasil.

Antes que algum maluco brasileiro leia este post e ache que eu estou defendendo o Thor, porque o analfabetismo funcional é também algo grave em meu país (não estou sendo presunçosa, é que eu conheço o meu povo), esclareço que apenas estou analisando o comportamento da opinião pública brasileira diante da notícia. .

Dos fatos concretos, tudo o que se sabe é que Thor Batista não estava alcoolizado, que prestou socorro, mas que não houve muito a fazer, pois o corpo de Wanderson ficou completamente dilacerado, o que pode dar margem a suspeitas de que o jovem estivesse acima da velocidade permitida, o que será comprovado pela perícia.

Ontem, Thor deu sua versão dos fatos no Twitter, disse que Wanderson atravessou inadvertidamente a autoestrada e causou o acidente. Infelizmente, Wanderson já não está aqui para dar a sua versão, mas o advogado da família alega que houve irregularidades na perícia do automóvel, que o atropelamento se deu no acostamento e não na pista.

De fato, faço um adendo em relação ao advogado, pois me chamou bastante atenção que uma família sem recursos como a de Wanderson já tivesse um advogado particular tão rápido, sendo que este deu declarações na imprensa de que entraria com uma ação de danos morais e materiais contra Thor e que só depois avaliaria se era o caso de dar início a um processo criminal. Ou seja, pensa-se primeiro em arrancar dinheiro dos ricaços e só depois vamos ver se clamamos por Justiça. Não deveria ser o oposto?

Não critico a família por ter um advogado, muito pelo contrário, é essencial que tenham um em uma situação como esta, apenas acho triste essa inversão de valores feita por meu colega de profissão, que soou um tanto quanto oportunista de sua parte, pois duvido muito que uma família enlutada tenha outra prioridade senão a de fazer Justiça.  

Quanto ao acidente, eu me abstenho de opinar, porque não estava lá e não presenciei os fatos, como que vou emitir um juízo de valor sobre algo que não sei? Ademais, até o momento, não saiu nenhum laudo pericial e a investigação da polícia ainda não terminou.

Diferente de grande parte dos meus compatriotas, não vou prejulgar ninguém. Discordo do clichê que diz que não devemos julgar ninguém, muito pelo contrário, até entendo que todos temos o direito de julgar todo mundo, afinal todos temos direito a ter uma opinião. E o que é ter opinião senão julgar? O que não temos é direito de prejulgar, isso sim é perigoso e mesquinho.

Entendo que o trânsito no Brasil é uma selva mais perigosa que a Amazônia e tanto os motoristas, quanto pedestres, motociclistas (estes são os que mais fazem loucuras) e ciclistas são potenciais causadores de acidentes.

Logo, vou esperar a Polícia dar o seu parecer final antes de emitir opinião e aproveito para prestar meus sentimentos a ambas as famílias, especialmente, a de Wanderson, pois perder um ente querido, desta maneira, é extremamente doloroso.

Larissa Bona

Santorum quer "limpar" a região

Hoje é mais um dia de eleições nos Estados Unidos. A saga continua no Estado do Illinois. De referir a vitória de Romney em Porto Rico com a obtenção dos 20 delegados possíveis, devido ao sistema winner takes all.
Segundo as sondagens, Romney tem uma boa vantagem sobre Rick Santorum. Aliás, esta dupla tem vindo a dominar não só as sondagens mas também as votações finais. Gingrich e Paul há muito que estão fora da jogada, mas o seu objectivo é conseguir ser util a um dos candidatos.
Santorum conseguiu vencer nos Estados vizinhos do Iowa, Minnesota e Missouri, pelo que espera um bom resultado nesta região. Partir de trás nas sondagens e vencer já não seria novidade para o ex-governador da Pensilvânia. Quanto a Romney precisa desta vitória para conseguir o apoio dos republicanos mais conservadores.
Neste momento, são 280 o número de delegados que separa os dois da frente.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Barómetro Político - Qual o melhor lider?

Continuamos a análise ao Barómetro Político OLHAR DIREITO, com uma nova questão:

Qual o melhor lider partidário?

Nesta questão, temos de estabelecer duas diferenças : Os lideres que estão no governo e por isso o seu trabalho é avaliado como um todo, e os lideres que estão no Parlamento na Oposição.

Há aqui uma verdadeira supresa, à semelhança do que aconteceu com a anterior questão. Aqui Paulo Portas e Pedro Passos Coelho, os dois lideres dos partidos da maioria governamental estão coladinhos um ao outro, com vantagem para o Presidente do CDS. Não sei se é por estar muito caladinho mas Portas reune 37%(18 votos) contra 32% (17 votos) de Passos Coelho. É mais um sinal positivo que o Governo tem actuado de forma positiva para os leitores do blogue. Apesar da contestação (ainda pouca) ao Executivo, os dois partidos têm conseguido evitar divergências na praça publica. E isso tem contribuido para uma maioria sólida e eficaz.

Os lideres da Oposição estão bastante atrás nesta votação. António José Seguro reune apenas 15% (8 votos). De facto, a prestação do lider socialista tem deixado a desejar muito por culpa das várias contradições em relação ao memorando da troika, mas também porque a sombra de Socrates e o fantasma de António Costa pairam na bancada parlamentar socialista. Seguro tem que se preocupar com Paris e agora mais recentemente com Lisboa. O mais gritante na sua liderança é o facto de mudar de opinião em relação às medidas de austeridade assinadas pelo PS. O actual Secretário-Geral chegou mesmo a afirmar que não foi ele que assinou o memorando. Ora, um lider responsável não pode dizer isto.

Jerónimo e Louçâ estão muito próximos. O Comunista com 11% (6 votos) e o Coordenador do Bloco tem 5% ( 3 votos). Com uma maioria de Direita no Parlamento, a esquerda radical tem mais dificuldade em impôr-se e já nem Louçã tem a capacidade para enfrentar PPC como fazia com Socrates. Mudam os politicos e as politicas também.

A confiança dada aos lideres da maioria é importante. Não só porque reconhecem mérito na recuperação do país, mas sobretudo por causa do discurso. Tanto Passos Coelho como Portas estão empenhadas a ajudar Portugal a sair desta situação.

Analisaremos a actuação do governo na próxima questão do Barómetro Politico OLHAR DIREITO.

A Grande Viagem dos Salmões - A vingança XVIII

(...)

Apesar de liderar um dos grupos que tentavam salvar Salmonão, muitos torciam o nariz a Salmolipe. Ele era visto como um salmão fraco, com alguns problemas de personalidade. No entanto, tinha uma capacidade de persuasão enorme que conquistava qualquer um.

Votado ao quase esquecimento, o salmão rebelde estava agora sozinho e sem defesas, porque a maioria dos Salmonix que haviam partido com ele, já nadavam para o estuário do rio, Salmodiana incluida.

- Aonde estão os meus companheiros? - atirou um Salmolipe à beira de um ataque de nervos.

- Estás sozinho. Todos te abandonaram e ninguém quis te vir ajudar. - afirmou Salozito.

- Que vieste cá fazer se sabias que não és bem vindo? - perguntou Sabazotivo

- Viemos salvar Salmonão que está preso nas grutas da foca Ajak.

- A sério? Que aconteceu? - questionou Sabazotivo.

- Na viagem do ano passado, uma foca conseguiu capturá-lo enquanto atravessámos o mar. Sem dar conta por isso acabámos por "encontrar" o habitat de um inimigo. Salmonão ficou por lá e nós não conseguimos ajudá-lo na altura, mas prometemos voltar. - concluiu Salmolipe.

- Não te podemos deixar ir sem levares um castigo - ameaçou Salozito. Ao vires para esta zona, achamos que estás à procura de problemas e por isso mesmo vais ter aquilo que mereces.

Salmolipe estava encurralado por 6 salmões rosados de enorme estatura física mas também muito compridos. Não havia escapatória possível e desta a vingança iria ser feita.

(continua dia 21....)

13.3 O Poder Absoluto: uma Visão Holista

A forma de poder a que comummente quiseram designar por absoluto não é mais do que a repetição da história pós-cesarista que desembocou em Império Romano. Augusto, imperador esclarecido, reordenou o poder romano acabando com as intromissões militares no poder civil, concentrando de vez todo o poder executivo, secando o legislativo e nomeando os governadores das províncias. Para alguns poderá parecer que tudo se muda para finalmente tudo ficar na mesma, no entanto, a forma de concentração encetada por Augusto em nada se assemelhou à experiência falhada de César, e o poder executivo, uma vez nas mãos do imperador assim se foi mantendo, entre altos e baixos, até à divisão do império e à posterior dissolução. Concentração de poder é uma repetição da história, fruto de arranjos elitistas e oligárquicos que têm à frente a voz encantatória de um homem; o que não se repete são as estruturas desse mesmo arranjo.

Se na Europa feudal se manteve o desejo de unificar as coroas dos pequenos príncipes a partir da concentração de poderes numa figura, a partir do século XVI e com a confirmação das soberanias como forma de acabar com os conflitos sangrentos do XVII, a concentração de poderes estabeleceu-se dentro de fronteiras. Tal como descreveu Max Weber, a criação de novas classes burocráticas envolvendo o monarca e confirmando o seu poder sobre a profissionalização dos militares e a colecta de impostos, abriram brechas para que as luzes do século XVIII despontassem em chefias esclarecidas. No entanto, este fenómeno a que se deu o nome de poder absoluto encontra não só paralelos históricos como uma continuação dependente; por exemplo, para o exemplo português Agostinho da Silva não deixou de dizer que com D. João I começara o absolutismo quando este, concentrando em si o poder de delegar terras, inaugura uma nova fase da organização dos donos do poder; processo esse que Raymundo Faoro irá descrever não como mero epifenómeno mas raiz do que designou de patrimonialismo. Seja como for, fenómeno político ou processo, a verdade é que em Portugal o primeiro grande sinal de concentração de poder vê-mo-lo não no poder coactivo mas no poder simbólico, isto é, quando D. Sebastião auto-nomeia-se Majestade, deixando o apelido Alteza. Desta forma, o poder absoluto nasce de uma vontade homogenizante, que contrasta com o sincretismo medieval da Alta Idade Média e que dividia o poder temporal e o poder espiritual na famosa teoria dos dois gládios do papa Gelásio I. Se bem que na Baixa Idade Média já outras dinâmicas preparavam o que seria o soberanismo, estas só teriam efeito com o efectivo uso da guerra pelo monarca, uso esse que Foucault irá resumir como o poder absoluto de usar o corpo de outrem para os fins últimos a que se propõe um poder que se acha sintético.

No entanto, para que o poder aconteça são necessárias alianças. Uma vez equiparado a Deus na terra, o monarca participa no poder tal como Zeus no monte Olimpo, sempre ladeado de outros deuses, talvez menores pois assim ditava a narrativa do tempo. Apesar das putativas comparações com o Deus monoteísta cristão, o poder político organiza-se sempre em torno das prováveis alianças, sem esquecer que, e tal como os deuses antropomórficos gregos, que os homens têm defeitos e do alto dos seus caprichos acabam perdendo-se no seu tempo. Fora as estórias apetecíveis de luxo, Luís XIV não deixou de cultivar as alianças da corte, manobrando outros ou sendo manobrado, muitas vezes sem saber quem realmente governava. Seria no meio deste processo que a Revolução Francesa teria início, pois que o tempo não pára, as alianças se quebram e a sociedade se altera; no entanto, não foi por isso que Napoleão se imiscuiu anos depois de coroar-se imperador, revolvendo o que para alguns serão os paradoxos da história. No entanto, a memória histórica gera uma narrativa que germina na imaginação dos homens. Ou seguindo Lord Acton, "o poder corrompe, e o poder absoluto corrompe absolutamente."

Em Portugal o poder absoluto acabou sendo duplo. Se no resto da Europa os monarcas esclarecidos emergiram como agentes homogenizantes dos poderes espiritual e temporal, no nosso país ambos os poderes se tornaram absolutos e assumiram dupla função: a de controlar o público e o privado. Concentrando os poderes políticos o monarca controlava o território e monopolizava o império, enquanto a Inquisição controlava o íntimo, tanto na esfera da liberdade do possível (do agir e do não agir católico) como do impossível (o imaginar e o imaginar católico).Nesse duplo controlo se perderia o que T. H. Marshall teorizou como poder cívico, ou capacidade de nos fazermos representar em liberdade, vingando os nossos interesses na praça pública. Talvez, e seguindo Herculano, esse seja o legado mais poderoso que continua a pesar sobre nós.

A forma de poder a que comummente quiseram designar por absoluto não é mais do que a repetição da história pós-cesarista que desembocou em Império Romano. Augusto, imperador esclarecido, reordenou o poder romano acabando com as intromissões militares no poder civil, concentrando de vez todo o poder executivo, secando o legislativo e nomeando os governadores das províncias. Para alguns poderá parecer que tudo se muda para finalmente tudo ficar na mesma, no entanto, a forma de concentração encetada por Augusto em nada se assemelhou à experiência falhada de César, e o poder executivo, uma vez nas mãos do imperador assim se foi mantendo, entre altos e baixos, até à divisão do império e à posterior dissolução. Concentração de poder é uma repetição da história, fruto de arranjos elitistas e oligárquicos que têm à frente a voz encantatória de um homem; o que não se repete são as estruturas desse mesmo arranjo

domingo, 18 de março de 2012

Olhar a Semana - A primeira vítima

A entrevista de Álvaro Santos Pereira ao Expresso demonstra bem que o actual Ministro da Economia está com os dois pés fora do Governo. Numa semana em que o Secretário de Estado da Energia demitiu-se e com suspeitas de pressões, Álvaro vem agora a terreiro afirmar que combaterá o sectores que têm em Portugal uma excessiva protecção.
Todos nos lembramos que também esse foi um lema de campanha de Pedro Passos Coelho, mas ninguém é inocente e quando se está na oposição é uma coisa, quando se é governo tem-se outra atitude totalmente diferente.
É dificil de combater os interesses instalados no nosso país, seja em que sector for. A falta de concorrência e a completa inexistência de fiscalização leva-nos a questionar muita coisa.
Os sectores da energia e dos combustíveis são dois ramos em que existe um monopólio escandaloso e uma teia de interesses que prejudicam os consumidores, que gastam a maior parte do seu salário só em consumo de electricidade e combustível para o carro.
O Ministro da Economia foi imprudente no conteúdo e timing da entrevista. Quando o povo já sabe dos jogos de poder que estiveram na base da demissão de um seu secretário de Estado, ASP vem garantir um combate que sabe ser dificil de travar. Tenho a certeza que esta dedicação e empenho do Ministro vai acabar na sua própria demissão. A primeira vítima do governo Passos Coelho está encontrada.

sábado, 17 de março de 2012

Democracia representativa, autonomia e disciplina de voto no decurso de um programa de ajustamento financeiro

O termo “democracia” é entendido, por muitos, como uma forma de exercício do poder que se norteia pela vontade do povo.

Em democracias representativas, os cidadãos elegem, periodicamente, os seus representantes políticos. Ao escolherem estes representantes, delegam neles a defesa dos seus interesses nas decisões e votações em que participam.

No caso concreto dos deputados, é premente a coesão nas matérias necessárias à estabilidade do Governo (nomeadamente Programa de Governo, Orçamento de Estado e Moções de Confiança e/ou de Censura). A disciplina de voto não se deverá aplicar nas restantes matérias, assegurando, assim, o cumprimento do dever de representatividade dos Deputados perante os seus eleitores.

No caso concreto das nossas Regiões Autónomas, a insularidade é mitigada pela aplicação de carga fiscal diferenciada e outras medidas/benefícios. Estas “regalias” face ao Portugal continental levaram a vários “braços de ferro”, em votações orçamentais, onde os Deputados insulares fizeram valer os seus votos.

Com o agudizar da crise e a descoberta do “buraco” financeiro da Madeira, além das assimetrias entre algumas regiões e este arquipélago, surge mais contestação à manutenção das referidas medidas.

Esta Sexta-Feira, a Assembleia da República aprovou as alterações ao IVA e aos impostos especiais de consumo em vigor na Madeira, de acordo com o programa de ajustamento financeiro acordado entre o Governo e a região autónoma.

O diploma teve os votos favoráveis do PSD e do CDS, a abstenção do PS e os votos contra do PCP, BE, Verdes e dos cinco deputados eleitos pela Madeira.

O deputado centrista José Manuel Rodrigues, líder do maior partido da oposição no Parlamento regional, demitiu-se de vice-presidente do grupo parlamentar do CDS por ter quebrado a disciplina de voto imposta a este diploma.

Os arquipélagos dos Açores e da Madeira constituem duas Regiões Autónomas da República Portuguesa, dotadas de Estatutos Político-Administrativos e de órgãos de governo próprio.

De acordo com os referidos Estatutos Político-Administrativos, a autonomia política, administrativa, financeira, económica e fiscal das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores não afecta a integridade da soberania do Estado e exerce-se no quadro da Constituição e destes Estatutos.

A situação dos deputados eleitos pelos círculos eleitorais da Madeira e dos Açores apresenta algumas diferenças relativamente aos restantes pares. Os partidos regionais gozam de alargada autonomia junta das estruturas nacionais e os deputados eleitos são oriundos das regiões e das respectivas estruturas partidárias (aqui não assistimos a listas encabeçadas por deputados lisboetas ou outros).

Os deputados das regiões autónomas representam efectivamente os círculos pelos quais são eleitos e poderíamos considerar que, por isso, reclamem um dever de representatividade acrescida.

A Madeira encontra-se actualmente condicionada por um programa de ajustamento negociado com o Governo português que, por sua vez, está limitado por um memorando de entendimento subscrito com o Comissão Europeia, Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional.

Ao quebrarem a disciplina de voto imposta pelos seus partidos, os deputados madeirenses da maioria que suporta o actual governo, poderão estar a defender os interesses dos seus eleitores, mas estarão também a comprometer a base de apoio do Governo numa matéria que se reveste de grande importância para o cumprimento das metas constantes dos referidos programas de ajustamento.

Esta é uma situação excepcional, num contexto excepcional e que visa fazer face a um descontrolo de uma autonomia que não foi capaz de a corrigir per si.

Tema do Dia XXXIV

"Dizer o que diz Robert Hare é, desde logo, politicamente incorrecto....e a nós nem sequer nos ocorre utilizar a palavra "psicopata" para definir pessoas que vivem e trabalham connosco e que carecem de empatia, que são manifestamente simuladoras e manipuladoras, que se aproveitam dos demais, que são incapazes de sentir emoções, que não distinguem a crueldade nem a dor, que estão dispostas a tudo pelo dinheiro........

Quem são estas pessoas? Estão em toda a parte, diz Robert Hare.

Estão ali, onde possam obter algo, desde poços com água a terras agrícolas, ou além, onde houver poder ou prestígio. Onde se puder obter dinheiro, haverá um psicopata bem vestido e inteligente, e para o conseguir saberá muito bem o que fazer. De maneira que há muitas áreas onde eles podem medrar : negócios, política...Aí, o psicopata inteligente encontrará um lar muito confortável."

Concordam com Robert Hare?

Excerto extraído da página 204 do livro A ALMA ESTÁ NO CÉREBRO de Eduardo Punset, capítulo "A Mente de um Psicopata".

Bandeira do Nepal

A bandeira do Nepal é a unica que não tem uma forma quadrilética. Quase nenhuma bandeira do Mundo, assume esta forma triangular, o que a torna não só conhecida mas também famosa.

Esta bandeira é uma combinação simplificada de duas bandeirolas de dois diferentes ramos de anteriores governos - a dinastia rana, tendo sido adoptada a 16 Dezembro de 1962.

A borda azul simboliza a paz e a cor carmesim é a cor nacional do país.

Os desenhos retratam uma imagem do cosmo. Estamos perante uma triangulação astral desenhada nos dois triângulos. No plano inferior é o sol que está presente, no superior o limbo da terra ao mesmo tempo que um terceiro astro no lado da sombra interage na paisagem no momento dos crepúsculos entre o observador e o hipotético observador sideral.

Tanto o sol como o limbo da terra representam a esperança que o Nepal dure tanto como estes dois astros.

A bandeira a sua história são bastante interessantes do ponto vista estético e conteúdo.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Vale mesmo Tudo

Quando o acontecimento é Vale e Azevedo e questões relacionadas com justiça, ficamos logo apreensivos. Uns dirão que é desta que ele vai dentro, outros pensarão que nunca mais ninguém o apanha, esteja ele a viver em Portugal, Londres ou Paramaribo.
Hoje mais uma vez o ex-Presidente do Benfica é notícia. Finalmente o Tribunal de Magistrados de Westminster decidiu pela extradição de Vale. Só que o mesmo não se conforma com a decisão (como é óbvio) e irá apresentar recurso. Este será apenas mais um dos muitos recursos que JVA já apresentou seja no nosso país, em Londres ou mesmo em Kinshasha.

Perante a passividade dos vários sistemas judiciais, Vale e Azevedo continua a viver à grande e à inglesa no seu condomínio e enquanto espera recurso ninguém o pode apanhar. É engraçado que ele continue a afirmar que vive "com grandes dificuldades". Não se entende como é que uma pessoa que não se deixa apanhar pela Justiça sente essas barreiras que a vida coloca.

Infelizmente, não conseguimos saber o que pensa o ex-presidente do Benfica da situação actual do clube, até porque graças aos encarnados que Vale se tornou conhecido do grande público e não só. Será que JVA se esqueceu do seu benfiquismo?

Uma coisa é certa, Vale e Azevedo é dos homens mais dificeis de ser apanhado pela Justiça.

Barómetro Político - A figura de Estado

Iniciamos hoje a análise ao Barómetro Politico OLHAR DIREITO, que pretende analisar o sentido e a satisfação dos portugueses em relação à actividade política nesta legislatura.

Começamos com a pergunta: Qual a figura de Estado que mais se tem destacado?

Ao contrário do que seria de esperar, os leitores do blogue elegeram até ao momento o PM como aquele que tem estado em maior destaque neste meio ano de exercício de funções. E digo isto, porque normalmente é o PR quem costuma recolher o maior número de simpatia nestas sondagens e tendo em conta o momento que atravessamos o PM seria sempre um alvo fácil a abater. O actual PM recolhe 54% da simpatia, que se traduzem em 26 votos. Este resultado deve-se essencialmente à honestidade com que PPC tem dirigido as dificuldades e porque este é um esforço colectivo que tem de ser levado a cabo por todos. O facto de Cavaco Silva reunir 18% traduzidos em apenas 9 votos está relacionado com a falta de atitude política do PR. E esta vingança a Socrates foi mais uma exemplo disso mesmo.

Preocupante é o facto do lider da oposição, neste caso António José Seguro estar atrás dos Sindicatos com 8% e 4 votos apenas. É notório a falta de capacidade política para o lider do PS conseguir fazer uma oposição credível e eficaz e isso reflecte-se em qualquer tipo de sondagens. Os Sindicatos, por sua vez, estão a ter um papel importante e activo nesta legislatura, muito por culpa das medidas de austeridade impostas pelo governo. As greves gerais têm sido uma constante desde há um ano para cá e as greves nos sectores, como por exemplo o dos transportes; são reflexo da insatisfação do sector. Pela força que ainda detêm no nosso país, merecem 12% e 6 votos.

Por fim, a Presidente da AR que ainda não teve tempo para brilhar nem para dizer asneiras. Também é verdade que o seu cargo não é de grande "exibição" publica. É sim, mais uma figura decorativa. Tem 6% que se traduzem em 3 votos.

Em jeito de conclusão, é positivo o facto do Primeiro-Ministro ser a figura de Estado que se tem mais destacado nestes meses. Significa isto que o país acolheu de bom grado as medidas de austeridade impostas pelo governo e pela troika.

A próxima questão a analisar será : Qual o melhor lider partidário até ao momento?

Ai City pego!

E o Sporting pegou mesmo o City! Apesar da derrota por 3-2, os leões conseguiram não sofrer mais golos e aproveitar o 1-0 de Alvalade. Parece estranho, mas o futebol é mesmo assim. Os leões que andam a lutar pelo quinto lugar no campeonato, afastaram uma equipa que cilindrou o FC Porto que luta pelo titulo. Mas esse se calhar foi o factor que contribuiu para a vitória leonina e Sá Pinto terá estudado muito bem os dois jogos entre Citizens e azuis e brancos cá do burgo.
Com o outro Manchester, O United, fora da Liga Europa o Sporting tem a passadeira "encarnada" para uma boa prova, até porque dos grandes só resta mesmo o Valência.
Amanhâ há sorteio no Mónaco com Benfica e Sporting com fortes perspectivas de continuar a espalhar o nome do futebol português por essa Europa fora. Ainda querem o alargamento?

quinta-feira, 15 de março de 2012

Otelo acima do Estado de Direito

Não se percebe se estas são declarações proferidas de propósito ou estão ligadas a algum estado dificil da vida do ex-capitão de Abril.
Ao proferir que a "só as forças armadas poderão resolver o problema de soberania...derrubando o governo", Otelo está novamente a incitar à violência no nosso país, como se o Estado de Direito de hoje fosse o mesmo de há 35 anos. Convêm recordar que tentar desencadear um golpe de Estado é considerado crime, nos termos do nº1 do artigo 326º Código Penal.
E como não é a primeira vez que Otelo Saraiva de Carvalho apela a uma revolução neste mesmo Estado de Direito, a pergunta que se coloca é, porque continua este senhor sem ser devidamente punido? Isto para além de o fazer nos orgãos de comunicação social.
Será porque libertou o país das amarras da Ditadura e agora pode dizer e fazer o que quiser?

Ouvir, perguntar, aprender

Um debate com uma das mais importantes figuras da nossa política nacional

quarta-feira, 14 de março de 2012

Costa lança a sua candidatura..para onde?

António Costa lançou o seu livro "Caminho Aberto" e à margem do evento não excluiu uma candidatura a Belém, embora esteja focado na Câmara de Lisboa.

O actual Presidente da CML, sendo um homem inteligente não vai com certeza meter o carro à frente dos bois, como se costuma dizer. É que antes de Belém, é preciso primeiro conquistar o Largo de Rato, fazer uma paragem em São Bento e depois aí sim no fim da carreira política, pensar numa eventual corrida à presidência. Mas não é ser Presidente da Republica que neste momento move o pensamento de Costa e dos seguidores de Socrates. Num momento em que a actual liderança socialista está cada vez mais em causa, não é por acaso que Costa lança o livro com as suas ideias politicas. Já no passado homens como Passos Coelho e o próprio Seguro "lançaram" as suas candidaturas partidárias ao editarem obras com as suas ideias politicas.

Com este novo dado, António Costa está claramente a jogar Seguro, mesmo que vá dizendo que só pensa na Câmara de Lisboa. Não há melhor palco como a maior Câmara do país para ter visibilidade, mesmo que ainda apareça na Quadratura do Círculo. É uma incógnita que Seguro chegue até às autárquicas e um bom resultado em 2013 pode catapultar o ex-numero dois de Socrates para o Largo do Rato. Foi precisamente com o intuito de um dia vir a ocupar a liderança socialista que o ex-primeiro ministro colocou Costa ali bem perto.

A Grande Viagem dos Salmões - A subida XVII

(...)

O grupo liderado por Salmonisco começava então a subir o Rio Huki. Tal como o rio Trankti em que Salmolepe havia sido encurralado, o Huki também era muito baixo. Mas essa era uma caracteristica muito comum nos rios daquela zona, pelo que sua subida era um tremendo obstáculo para os salmões que vagueavam aquelas águas, mas para salvar Salmonão era preciso fazer sacrificios.

A falta de água salgada e a água pouco profunda dificultavam a subida das mesmas, mesmo na época de grandes chuvas, havia sempre o risco de alguém ficar pelo caminho.

No coral de Masutzt, havia a preocupação por causa de Salmolepe, até porque muitos sabiam que esta era uma época de seca. Muitos salmões esperavam impacientemente para subir o rio. No entanto, um dos salmões rosado tentava ajustar contas com Salmolipe. Tudo por causa de uma antiga namorada, já que Salmolipe era conhecido por ser um "salmão" conquistador. Que ia aos vizinhos roubar namoradas.

o grupo que liderava sentia-se incomodado com a sua direcção, porque desde o inicio da viagem que só tinha arranjado problemas e havia quem desejasse encontrar Salmonisco pelo caminho e seguir as suas pisadas.

- Não és bem vindo aqui, Salmolipe - atirou Salozito

A maioria da colónia que pertencia a espécie diferente aplaudia esta repreensão.

Entretanto, Salmolepe aclamava por ajuda. Já estava a sentir a sua vida por um fio.

(continua dia 19..)

Santorum conseguiu outra vez

Depois da má prestação na Super Terça Feira, Rick Santorum venceu as primárias do Alabama e do Mississipi, ficando mais perto de Mitt Romney. Santorum confirma assim a vitória no Kansas no passado sábado.
Mitt Romney conseguiu o voto dos Surfistas, mas não foi suficiente para tirar o brilhantismo da vitória de Santorum, que assim renasce nesta eleição....após ter sido dado como morto.
Com poucos recursos e pouca notoriedade, Santorum tem feito um trabalho fantástico.
A eleição prossegue no dia 20 e até lá os candidatos têm tempo para fazerem campanha em muitos Estados.
Isto para além de ter ficado em terceiro nos dois Estados mais importantes da noite eleitoral.

terça-feira, 13 de março de 2012

Os Estados do Sul

Mississipi
Hawaii Alabama
Hoje as emoções das primárias republicanas continuam com as eleições em mais três Estados : Alabama, Mississipi e Hawaii.
Nesta altura do campeonato, Romney tem uma vantagem confortável que lhe dá margem para gerir o resto da campanha.
No entando a vitória de Rick Santorum no Kansas deu-lhe força e este espera a continuação dos bons resultados em dois dos três Estados de hoje, apesar das sondagens no Estado do Mississipi e no Alabama colocarem Mitt Romney à frente e Newt Gingrich em segundo lugar. Santorum aparece sempre em terceiro lugar.
Este é um dia importante porque pode ser que pela primeira vez Mitt Romney faça um hat-trick no mesmo dia.
Parece incrível mas, apenas Santorum conseguiu essa proeza.
Share Button