segunda-feira, 24 de julho de 2017

A cortina de valores que separa o Ocidente do Leste da Europa

As notícias provenientes da Polónia são mais um exemplo da onda de populismo que cerca o Leste da Europa. Nos últimos anos têm surgido vários exemplos de atentados às liberdades das pessoas, bem como tentativas de usurpação de poder através do controlo de instituições. 

A Europa pode não ter uma cortina de ferro a separar o Ocidente de Leste, mas ainda existem diferenças nos valores e princípios que precisam de ser trabalhados pela União Europeia. O clube europeu não tem condições de ter sucesso caso se mantenham práticas pouco habituais com aquilo que esteve na origem do projecto. 

As grandes disparidades estão nas ideologias e na forma como se aplicam certas regras que não são aceites no Ocidente, embora sejam normais em determinados países também por causa da herança da União Soviética. 

As mentalidades demoram tempo a mudar e não será a entrada num clube supostamente democrático que alteram os costumes. A resposta da União Europeia não tem sido eficaz porque alguns países não conseguem ou não pretendem ter outro tipo de comportamento, sendo que, encerrar ainda mais o espaço de diálogo e solidariedade mantém as mesmas reacções. 

A desconfiança que alguns países do Leste ainda têm relativamente aos vizinhos é outro factor de instabilidade regional que causa maior desunião dentro da União Europeia. Não é possível estar num clube onde ainda se registam muitos ódios. 

O futuro não é certamente federalizar para serem todos iguais, mas é necessário que haja objectivos comuns. 

Sem comentários:

Share Button