Etiquetas

sábado, 31 de outubro de 2009

OLHAR A SEMANA - TOMAR A POSSE

Esta semana novo governo tomou a posse e novos ministros sobraçaram a pasta. E em que consiste este complexo conjunto de operações? Começa com a legitimação em eleições. Depois pela indigitação do Presidente da República. Acaba numa liturgia engravatada, jurando cumprir solenemente os seus deveres. A posse fica logo tomada. Daí para a frente, é sempre a sobraçar a pasta. A expressão “tomar posse” parece significar uma garantia de adquirir algo, de passar a dispor de qualquer coisa mais, de agarrar um “tacho”. Já “sobraçar a pasta” tem uma conotação mais pesada e, eventualmente, mais altruísta. Parece emergir uma obrigação de quem sobraça, relativamente aos sobraçados. Tenho, porém, dúvidas de que todos os governantes tenham este mesmo entendimento. A responsabilidade dos sobraçantes não se mede pela cilindrada do Mercedes, mas pelo acerto na governação e pela isenção do seu exercício. Sucede que, mal este governo “tomou a posse”, surgiu mais um escândalo mafioso, envolvendo quadros superiores e administradores de empresas públicas, comprados por um sucateiro de “resíduos industriais” que aumentou a facturação 100 vezes nos últimos 5 anos. A sucessão de escândalos em Portugal é alucinante, não poupando o partido da situação ou a oposição. Já não sabemos para onde nos virar. É indispensável que alguém tome conta disto, antes que a tomada de posse seja um remédio amargo e em vez de sobraçar a pasta, haja um sossobrar de regime.
Jorge Pinheiro

O que te faz irritar mais?

  • Zangar com a cara metade
  • Estar enfiado no trânsito
  • Quereres trabalhar e o computador está lento
  • O teu clube do coração não joga nada
  • Nunca mais chega aquela notícia que vai mudar a tua vida
  • Acordar cedo depois de uma grande bezana
  • Levares uma tampa
  • O comboio/metro/autocarro nunca mais vem e já tás atrasado para o trabalho/ encontro
  • Esperar por uma pessoa cerca de meia hora/ uma hora

Irritas-te facilmente?

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Mulheres XVII

Helena Coelho

E ainda dizem que o Jornalismo portugues está cada vez pior......

Palpites X

Achas que vamos ter TGV em Portugal?

SIM 12 votos (60%)

NAO 8 votos (40%)

total de votos 20

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

A CONFISSÃO DE LÚCIO ( A ler, sem comentários )

A António Ponce de Leão …assim éramos nós obscuramente dois, nenhum de nós sabendo bem se o outro não era ele-próprio, se o incerto outro viveria… FERNANDO PESSOA Na Floresta do Alheamento
______________________________________________________
MÁRIO DE SÁ-CARNEIRO Cumpridos dez anos de prisão por um crime que não pratiquei e do qual, entanto, nunca me defendi, morto para a vida e para os sonhos… nada podendo já esperar e coisa alguma desejando - eu venho fazer enfim a minha confissão: isto é, demonstrar a minha inocência. Talvez não me acreditem. Decerto que não me acreditam. Mas pouco importa. O meu interesse hoje em gritar que não assassinei Ricardo de Loureiro é nulo. Não tenho família; não preciso que me reabilitem. Mesmo, quem esteve dez anos preso, nunca se reabilita. A verdade simples é esta. E aqueles que, lendo o que fica exposto, me perguntarem: - "Mas por que não fez a sua confissão quando era tempo? Por que não demonstrou a sua inocência ao tribunal?" - a esses responderei: - A minha defesa era impossível. Ninguém me acreditaria. E fora inútil fazer-me passar por um embusteiro ou por um doido… Demais, devo confessar, após os acontecimentos em que me vira envolvido nessa época, ficara tão despedaçado que a prisão se me afigurava uma coisa sorridente. Era o esquecimento, a tranqüilidade, o sono. Era um fim como qualquer outro - um termo para a minha vida devastada. Toda a minha ânsia foi pois de ver o processo terminado e começar cumprindo a minha sentença. De resto, o meu processo foi rápido. Oh! o caso parecia bem claro… Eu nem negava nem confessava. Mas quem cala consente… E todas as simpatias estavam do meu lado. O crime era, como devem ter dito os jornais do tempo, um "crime passional". Cherchez la femme. Depois, a vítima um poeta - um artista. A mulher romantizara-se desaparecendo. Eu era um herói, no fim de contas. E um herói com seus laivos de mistério, o que mais me aureolava. Por tudo isso, independentemente do belo discurso de defesa, o júri concedeu-me circunstâncias atenuantes. E a minha pena foi curta. Ah! foi bem curta - sobretudo para mim… Esses dez anos esvoaram-se-me como dez meses. É que, em realidade, as horas não podem mais ter ação sobre aqueles que viveram um instante que focou toda a sua vida. Atingido o sofrimento máximo, nada já nos faz sofrer. Vibradas as sensações máximas, nada já nos fará oscilar. Simplesmente, este momento culminante raras são as criaturas que o vivem. As que o viveram ou são, como eu, os mortos-vivos, ou - apenas - os desencantados que, muita vez, acabam no suicídio. Contudo, ignoro se é felicidade maior não se existir tamanho instante. Os que o não vivem, têm a paz - pode ser. Entretanto, não sei. E a verdade é que todos esperam esse momento luminoso. Logo, todos são infelizes. Eis pelo que, apesar de tudo, eu me orgulho de o ter vivido. Mas ponhamos termos aos devaneios. Não estou escrevendo uma novela. Apenas desejo fazer uma exposição clara de fatos. E, para a clareza, vou-me lançando em mau caminho - parece-me. Aliás, por muito lúcido que queira ser, a minha confissão resultará - estou certo - a mais incoerente, a mais perturbadora, a menos lúcida. Uma coisa garanto porém: durante ela não deixarei escapar um pormenor, por mínimo que seja, ou aparentemente incaracterístico. Em casos como o que tento explanar, a luz só pode nascer de uma grande soma de fatos. E são apenas fatos que eu relatarei. Desses fatos, quem quiser, tire as conclusões. Por mim, declaro que nunca experimentei. Endoideceria, seguramente. Mas o que ainda uma vez, sob minha palavra de honra, afirmo é que só digo a verdade. Não importa que me acreditem, mas só digo a verdade - mesmo quando ela é inverossímil. A minha confissão é um mero documento. 1 Por 1895, não sei bem como, achei-me estudando Direito na Faculdade de Paris, ou melhor, não estudando. Vagabundo da minha mocidade, após ter tentado vários fins para a minha vida e de todos igualmente desistido - sedento de Europa, resolvera transportar-me à grande capital. Logo me embrenhei por meios mais ou menos artísticos, e Gervásio Vila-Nova, que eu mal conhecia de Lisboa, volveu-se-me o companheiro de todas as horas. Curiosa personalidade essa de grande artista falido, ou antes, predestinado para a falência. Perturbava o seu aspecto físico, macerado e esguio, e o seu corpo de unhas quebradas tinha estilizações inquietantes de feminilismo histérico e opiado, umas vezes - outras, contrariamente, de ascetismo amarelo. Os cabelos compridos, se lhe descobriam a testa ampla e dura, terrível, evocavam cilícios, abstenções roxas; se lhes escondiam a fronte, ondeadamente, eram só ternura, perturbadora ternura de espasmos dourados e beijos sutis. Trajava sempre de preto, fatos largos, onde havia o seu quê de sacerdotal - nota mais frisantemente dada pelo colarinho direito, baixo, fechado. Não era enigmático o seu rosto - muito pelo contrário - se lhe cobriam a testa os cabelos ou o chapéu. Entanto, coisa bizarra, no seu corpo havia mistério - corpo de esfinge, talvez, em noites de luar. Aquela criatura não se nos gravava na memória pelos seus traços fisionômicos, mas sim pelo seu estranho perfil. Em todas as multidões ele se destacava, era olhado, comentado - embora, em realidade, a sua silhueta à primeira vista parecesse não se dever salientar notavelmente: pois o fato era negro - apenas de um talhe um pouco exagerado -, os cabelos não escandalosos, ainda que longos; e o chapéu, um bonet de fazenda - esquisito, era certo -, mas que em todo o caso muitos artistas usavam, quase idêntico. Porém, a verdade é que em redor da sua figura havia uma auréola. Gervásio Vila-Nova era aquele que nós olhamos na rua, dizendo: ali, deve ir alguém. Todo ele encantava as mulheres. Tanta rapariguinha que o seguia de olhos fascinados quando o artista, sobranceiro e esguio, investigava os cafés… Mas esse olhar, no fundo, era mais o que as mulheres lançam a uma criatura do seu sexo, formosíssima e luxuosa, cheia de pedrarias…

Projectos ambiciosos

Nos próximos meses a equipa do Olhar Direito elaborou vários projectos que vai meter em prática: São os seguintes projectos:

- Concurso de poesia : Com isto pretendemos dar espaço a um estilo diferente daquele que se pratica no blogue. E em muitos blogues. Em vez da tradicional opinião feita, queremos dar oportunidade aqueles que gostam de poesia para desenvolver a sua aptidão. Como existem muitos blogues dedicados à poesia, chegou a hora dos verdadeiros poetas se mostrarem.

- Historia do blogue : Vamos fazer uma história. Para posteriormente publicarmos em Livro. Ainda não sabemos qual vai ser o enredo, mas esperamos que seja do vosso agrado. Ainda estamos a construir personagens e o género. Espero que se deliciem e se entusiasmem com a história do blogue....

Duelos Intelectuais : Vamos debater e discutir as questões que nos assombram. Que nos fazem pensar e meditar. Todos contra todos e no fim um será o maior intelectual. Para isso basta ir seguindo a discussão e também podes participar. Bastanto para isso inscrever. Posteriormente será lançado a inscrição.

Que continuem connosco nesta aventura....

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Monarquia ou República?

Como já foi mencionado inúmeras vezes, algo que faz este blog rico é a diferença de opiniões dos seus membros. Lanço questões reflexivas sabendo que evidentemente os argumentos serão muitos de parte-a-parte.
  • Será que Portugal beneficiaria de um sistema monárquico?
  • Não será a monarquia uma negação primordial da igualdade de todos os cidadãos?
  • Todos os países europeus com a monarquia implantada são altamente desenvolvidos. Terá a monarquia influência nesse mesmo desenvolvimento?
  • Morte de D. Carlos I. Atentado ou antecâmara de golpe de Estado?
  • À luz daquilo que é o Direito Constitucional terá Portugal ficado um país mais justo com a constituição de 1822?
  • Em que medida é que o modo de vida das monarquias europeias pode ser considerada uma afronta para o grosso da população?
  • Será efectivo que os portugueses estariam receptivos a regressar a um sistema monárquico?
Estas questões são lançadas com toda a polémica para que se gere um debate vivo e aceso. Não tenho certeza que tenha acendido um rastilho de pólvora mas, mesmo que o tenha feito, neste espaço não temos nem Buiças nem Alfredos Costa. Dependendo de cada um dos lados da barricada...ainda bem ou ainda mal!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Federações do Brasil: Amazonas

Encontro do Rio Negro e Solimões em Manaus, atração turística do Estado.



Retomo hoje a série Federações do Brasil, falando do maior Estado da Federação brasileira: o Amazonas.



A sua extensão de é 1.570.745.680 km², ou seja, seria como se juntássemos a França, Espanha, Suécia e Grécia em um só território.



É neste Estado, que faz fronteira com três países (Peru, Colômbia e Venezuela), que está localizado o maior rio do mundo, o Rio Amazonas, e grande parte da floresta amazônica.



A economia do Amazonas baseia-se na indústria, extrativismo, mineração e pescas. Ao contrário do que muitos pensam, o Brasil não usa a floresta amazônica para produzir etanol, pois as terras de lá não são boas para o plantio de cana de açúcar.



A sua capital é Manaus e trata-se da maior cidade da região norte. É nela onde está instalada a ZFM (Zona Franca de Manaus) que foi criada em 1967 para estimular a industrialização do Amazonas, pois pelo difícil acesso ao Estado, as indústrias não tinham interesse de se estabelecerem lá.



A ZFM é uma área de livre comercio, onde os produtos importados não sofrem tributação. Por isso, houve não só uma intensificação do comércio no Amazonas, mas também a criação de um pólo industrial expressivo em Manaus, especialmente, de empresas de tecnologia, que necessitam de peças importadas do mundo todo para produzir bens eletroeletrônicos.



O Amazonas também possui um turismo ecológico muito forte, pois pessoas do mundo todo viajam para lá para conhecer a floresta amazônica e os povos indígenas que habitam o interior do Estado.



Isso sem falar das festas populares, como a Festival Folclórico de Parintins que reúne milhares de pessoas, no último final de semana de junho, no Bumbódromo (uma espécie de estádio em formato de cabeça de boi, que tem capacidade para 35 mil pessoas), onde duas agremiações, o Boi Garantido e o Boi Caprichoso, competem para saber quem é o melhor boi.



Eu nunca fui a esse festival, mas morro de vontade de ir e, pelo o que vi pela TV, aconselho a todos a irem, pois é um espetáculo tão grandioso como o Carnaval.



Muito embora o Amazonas seja o maior Estado do Brasil, por conta justamente da floresta, é um dos que tem menor densidade demográfica. Para vocês ter idéia, todo o Estado tem um pouco mais de 3,4 milhões de habitantes, enquanto a região metropolitana Fortaleza, cidade onde vivo, tem um pouco mais de 2 milhões de habitantes.



De todas as Unidades Federativas, é a que concentra a maior população indígena, sendo que a maioria da população é parda, com uma mistura de sangue indígena com europeu.



Os maiores problemas deste Estado são, infelizmente, ligados à questão ecológica. O principal trata-se do desmatamento inescrupuloso da floresta amazônica, seguida da pirataria biológica e da marginalização dos indígenas que são considerados, pelo governo brasileiro, como legalmente incapazes.



Larissa Bona

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Campeões no asfalto

Rossi e Loeb tornaram-se este fim de semana, campeões do Mundo das respectivas modalidades.
Rossi foi pela Nona vez campeão do Mundo de Motociclismo. Um verdadeiro fenómeno desportivo.
Loeb sagrou-se campeão pela Sexta vez campeão do Mundo de Ralis. Alcançou também um resultado histórico na modalidade.
Apesar destes resultados, os dois estão disponiveis para continuarem a ganhar. A motivação continua a igual.
A vontade de ganhar é ainda maior.
É isto que distingue os campeões dos outros.
Tanto Rossi como Loeb são verdadeiros campeões. Tanto dentro como fora das pistas.
Feliz do desporto automóvel que tem a possibilidade de se deliciar com as suas acelerações.
Parabéns aos dois

Está fora de moda?

Recentemente na Assembleia da Republica, no regresso aos trabalhos, uma jornalista colocou uma questão a um deputado do PSD sobre o uso da gravata.

Nos tempos modernos parece que a gravata está a cair em desuso. É na própria AR;onde os bloquistas iniciaram a tradição de não usar gravata, nas empresas, nas próprias conferências e até nos escritórios de advogados.

Na verdade, o uso da gravata está fora de moda. Parece mais uma peça de roupa que incomoda do que necessário. Vemos por toda e também é considerado moda, usar fato sem a gravata.

A gravata aperta, não dá jeito para quem de trabalhar de um lado para o outro e já não é considerado um utensilio que mostra respeito. A não exigência da gravata ou o seu não uso por vontade pessoal é um sinal de que no trabalho já não é tão importante a imagem mas sim a competência e habilitações. Sinal de uma sociedade mais justa e equitativa. Onde a oportunidade é dada não em função da imagem mas sim da competência.

Também é um factor em que o trabalho se torna um sítio mais descontraído e liberal. Que não é aquele lugar de stress e dedicação exclusiva.

Ainda bem que começamos a imitar outros países onde a gravata fica em casa.

Ainda usam gravata?

domingo, 25 de outubro de 2009

Das declarações e falta delas...

Esta semana foi fértil em declarações...

Saramago, Socrates e o PSD foram os grandes protagonistas.

Esta semana José Socrates escolheu o novo governo. Um misto de caras novas, experiência e nucleo duro do PS, compõem o novo governo socialista. Das caras novas de realçar a escolha de Isabel Alçada para Ministra da Educação. Um nome conceituado na escrita nacional, mas ainda sem experiencia ministerial. Começou mal (ou terá sido Socrates?), quando no próprio dia disse que não tinha sido convidada para Ministra. É uma cara aceite, principalmente pelos professores, mas veremos até quando esta classe concordará com as suas politicas. De resto, caras novas, pessoas independentes, que podem ajudar a arranjar consensos entre os outros partidos.

De destacar a nomeaçao de Santos Silva para a pasta de Defesa e de Alberto Martins para a Justiça. O ex-ministro dos assuntos parlamentares continua a ser um braço forte de Socrates e uma importante força dentro do PS. Será que vai ter sucesso na Defesa? A saíde de Alberto Martins do Parlamento para Justiça é mais uma forma de garantir que a unidade dentro do PS principalmente em tempos de governo minoritário.

Continuam Vieira da Silva, Teixeira dos Santos, Silva Pereira e Rui Pereira. De certa forma, os ministros que mais contribuiram para a renovação da votação no PS.

O PSD também foi motivo de discussão durante a semana. Pelas razões de sempre : a liderança. Marcelo parece que não avança. Passos Coelho é o unico que se assumiu e Morais Sarmento não quer que o empurrem. Continua o PSD sem escolher o seu líder. Um unico lider. Os sociais-democratas não conseguem encontrar aquele que poderá ser Primeiro-Ministro e não apenas lider social-democrata. Enquanto não descobrem , o fantasma de Marcelo continua a pairar, Passos Coelho vai a todas como Santana Lopes e enquanto isso o PS continua unido e vencedor. Qual é o futuro do PSD?

Mais duas notas:

- Mais uma vez andamos perdidos a discutir temas como as declarações de Saramago. Tal como o episódio de Maitê, continuamos a dar importância a questões menores. É tipico de uma sociedade com pouco para fazer e discutir.

- Nota-se que o país está mais contente. Não é o efeito Socrates, mas sim a dinâmica JJ. Graças ao Benfica e às suas vitórias este país anda mais feliz!

Oxalá continua assim...

sábado, 24 de outubro de 2009

Da Frase

Saramago falou não de um pedestal, como muitos quseram crer, mas de uma bancada entre os homens. Jus lhe seja feito por pensar e escrever em português, por ser um dos génios da literatura actual. Direi que não fico surpreso com a frase visto que existe uma montanha de livros citáveis e não citáveis, até muito anteriores ao próprio Saramago, que dizem o mesmo. Olha busquem lá um Thomas Paine ou um biblioteca de antropologia e sociologia e estará lá tudo; para os menos afoitos ainda existem aqueles livros de "auto-ajuda"/"new wave" que agora abundam no mercado e que exploram todo esse tema da culpa e da responsabilidade do dogma judaico-cristão na vida do Homem comum de hoje.
Surpreso fiquei com as declarações de alguns que ainda entendem o mundo como aquela dicotomia entre trabalho e capital, outros entre Deus e demónio; pois ambos se esquecem do Homem que fica pelo meio exercendo a sua liberdade, umas vezes obrigado pelas circunstâncias históricas, outras por um qualquer destino. Porque quem ingressou "naquela companhia" como disse Saramago, talvez tenha exercido um poder absoluto, tal como outros que ingressaram noutra companhia em que ele próprio esteve e está. Porque quem quer mudar quer algo para si em troca, nem que seja o de utilizar o poder que esteve nas mãos dos outros de uma forma ainda mais cruel para castigá-los. Essa é a história da Bíblia, que mais não é do que o relato dos homens em busca do divino para fugir ao demónio deles mesmo.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Mulheres XVI

Cláudia Borges

As portuguesas também são bonitas :))

Qual é a terceira maior cidade do país?

Depois de Lisboa e Porto, a maior cidade é

  1. Braga
  2. Oeiras
  3. Sintra
  4. Faro
  5. Coimbra
  6. Santarém
  7. Vila Nova de Gaia

Habitantes destas cidades digam de vossa justiça

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Legalização das drogas leves

Este tema dá pano para mangas. Está em voga, principalmente entre os mais novos

Devem as drogas leves serem legalizadas?

SIM 11 32%

NAO 23 67%

34VOTOS

Sim ou Nao?

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Rubrica: Viajar por França

A vida em Paris acaba por ser diferente da vida em qualquer outra cidade. É pois nesse sentido que decidi lançar esta rubrica. França é um país com características muito particulares e, dentro do país, Paris é uma cidade que se difere da restante realidade nacional. As pessoas, os costumes, as diversidades, os lugares...tudo é único e de certa forma iluminado. Arrisco mesmo dizer que Paris a par de Nova Iorque são na actualidade os dois grandes pólos multi-étnicos mundiais. Escrever sobre Paris é fácil porque é espontâneo e o que me vem à cabeça quando falo da cidade é tanta coisa que o difícil torna-se mesmo escolher quais as temáticas.

Hoje, após reflectir um pouco, decidi falar de bicicletas. O leitor deverá questionar-se porque razão vou falar de bicicletas numa rubrica acerca de França, mais concretamente sobre Paris, é simples: as bicicletas são uma das maiores atracções da cidade neste momento!

Todas iguais. Por apenas 1€ qualquer pessoa pode usufruir deste serviço. Eu própria o faço muitas vezes quando o tempo o permite. Apesar de haver uma rede de metro com grande alcance em Paris acho que a andar de bicicleta acaba por ser muito mais interessante dado que desta forma podemos aproveitar as belas vistas da cidade. O metro de Paris com todos os seus conhecidos problemas não oferece aos seus utentes (como é o meu caso) as normas de segurança desejadas por isso mesmo sempre que posso prefiro usar uma bicicleta para as minhas deslocações. Não sei se existe mas era interessante criarem uma espécie de "passe social" para estes meios de transportes. É uma ideia para colocar em prática nas cidades portuguesas, tenho a certeza que funcionaria!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Revista Confraria do Vento

Lançamento da Revista Confraria

Revista Confraria chega a Portugal Periódico binacional oferece um amplo e irreverente panorama da arte, literatura e reflexão crítica contemporâneas.

Após quatro anos de contribuição para a literatura e crítica de língua portuguesa, com um formato online de prestígio internacional e mais de cinco milhões de acessos, a Revista Confraria converte-se numa edição impressa bimestral, editada simultaneamente no Rio de Janeiro e em Lisboa e com contribuições regulares de autores brasileiros e portugueses.

Após o lançamento no Brasil no passado dia 14 de Setembro, o número inaugural da Confraria chega finalmente a Portugal, numa distribuição que procurará chegar a número crescente de bancas e livrarias.

Para além de dossiês sobre vanguardas internacionais, perfis de autores menos conhecidos e entrevistas, a revista oferece também textos críticos, filosóficos, contos e poesia, sendo cada edição ilustrada por um artista plástico convidado. Adicionalmente, a revista conta com um conjunto de colunistas fixos de importante projecção, entre eles Luiz Costa Lima, Silviano Santiago, Gonçalo M. Tavares, Carlos Felipe Moisés, Clóvis Bulcão e valter hugo mãe.

Neste primeiro número o leitor pode encontrar, entre outras pérolas, material inédito de Arnaldo Antunes, Gonzalo Rojas, Maria do Rosário Pedreira, Octávio Paz, Raimundo Carrero e E.M. de Melo e Castro.Em Portugal, a Revista Confraria é coordenada por João Miguel Henriques (para qualquer contacto editorial ou pedido de encomenda escrever para joao@confrariadovento.com).

Poesia Incompleta (R. Cecílio de Sousa)

Trama (R. São Filipe Nery)

Letra Livre (Calçada do Combro)

Pó dos Livros (Av. Marquês de Tomar)

Braga: Capítulos Soltos

Coimbra: está no TAGV

Porto: Poetria

O Brasil também é feio



É com muita tristeza que subo o post de hoje, pois falo sobre um evento lamentável que aconteceu no último sábado, dia 17.10.2009, a derrubada de um helicóptero da Polícia Militar do Rio de Janeiro, por traficantes.

Tudo começou quando um grupo de traficantes chamado ADA (Amigos dos Amigos) tentou invadir o morro dos Macacos, controlado pela facção criminosa Comando Vermelho e, com isso, iniciaram um tiroteio.

A Polícia foi acionada e um helicóptero, com seis policiais dentro, começou a sobrevoar a região. Pois bem, os traficantes atiraram no helicóptero e o atingiram.

O piloto tentou fazer um pouso forçado em um campo de futebol, mas a aeronave explodiu ao tocar o solo. Dos seis ocupantes, dois morreram imediatamente e outro veio a falecer ontem, no hospital.

A queda desse helicóptero representa muito mais do que a morte desses heróis, trata-se de uma prova cabal que o crime organizado é muito mais poderoso do que se pensa e, se as autoridades no tomarem uma atitude logo, teremos uma segunda Colômbia na América do Sul.

O pior de tudo é violência, gera mais violência, pois os policiais do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) – aquele mesmo do filme Tropa de Elite – já entrou em ação e ocupou o morro dos Macacos, fazendo com o que o número de mortos subisse para 22.

Acredito que a violência no Rio de Janeiro deixou de ser um problema só do Estado e ganhou uma dimensão nacional há muito tempo.

É preciso que o Exército brasileiro entre em ação, não para subir nos morros e matar bandidos, mas sim coordenar-se com a Polícia, para criarem planos de operações para combater o tráfico de drogas, a violência e a barbárie que o Rio de Janeiro, o lugar mais lindo do Brasil, vem sendo submetido.

Larissa Bona

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

2.1. Aspectos Culturais e Religiosos

São muitos os aspectos culturais e religiosos dos romanos na Península Ibérica:

Senão vejamos :

Em relação aos aspectos culturais temos como grande cartão de visita da romanização na Península o latim.

O Latim foi a grande dádiva que os romanos deram aos peninsulares. Graças ao Latim nasceram o Espanhol e o português. Acabou por se impor como língua oficial. Foi um factor de ligação e união entre os povos. De comércio, troca de ideias e de comunicação. Sem o latim provavelmente o espanhol e o português não existiam.

Após a chegada dos Romanas, as povoações , que viviam nas montanhas começaram a descer para as planícies e vales. As cidades portuguesas que surgiram com os Romanos foram: Braga, Beja, Santiago do Cacém, Coimbra e Chaves.

Na industria desenvolveu-se sobretudo a Olaria, minas, tecelagem e pedreiras. Com os romanos surgiram as feiras e os mercados. Principal instrumento na troca de bens e serviços.

Os romanos trouxeram os teatros, as pontes, os aquedutos, os monumentos em honra dos deuses. A sua presença é vasta e muito importante. Ainda hoje se mantêm vestigios romanos, como as pontes romanas que se mantêm quase todas, o templo de Diana em Évora e entre outros.

Vista de Conímbriga

Tal como os Gregos, os Romanos tinham os seus Deuses.

Não eram específicos da Península Ibérica, mas é conhecer as suas divindades :

Assim:

Jupiter era o Senhor do Universo; Marte - Deus da Guerra ; Quirino - Fundador de Roma; Minerva - deusa da Inteligência e Sabedoria ; e Juno - Rainha do Céu.

Os Romanos trouxeram muitas coisas para a Peninsula, como já vimos. Talvez até mais do que os Arabes que estiveram cá muito tempo. Foram eles os impulsionadores da cultura, da arquitectura, da língua, da religião. E de certo modo da maneira de fazer comércio.

Mais do que os Árabes, os Romanos tiveram uma importância fundamental na Península Ibérica da altura. Até porque, nos tempos que correm, as influências dos romanos estão muito mais presentes. Em termos culturais mas também mentais....

Afinal, não é só em Roma que se pode ser Romano....

(continua dia 2 Novembro...)

domingo, 18 de outubro de 2009

Naquele tempo..... I

Quem não gosta/gostou de mascar uma chiclete?

Estas pastilhas elásticas foram um sucesso no século passado. Principalmente durante os anos 90....

Foi a grande impulsionadora dos pastilhas elásticas. Depois vieram as Tridents , entre outras.

Com a sua magnifica caixa, não havia pessoa que não tivesse umas chicletes. Saboreá-las até mais não poder, e num instante a caixa fica vazia.....

Quando não temos, pedimos a um amigo....

E em vez de tirar uma, fico logo com duas...

sábado, 17 de outubro de 2009

Bandeira de Israel

A Bandeira de Israel foi adoptada a 28 de Outubro de 1948..

A nova bandeira de Israel foi apresentada na ONU em 1949. A bandeira é o símbolo do orgulho do retorno da Nação Judaica ao seu lar.

No meio está uma estrela. É a estrela de David. Representa um simbolo Judaico.

As duas faixas azuis fazem-nos lembrar o talit. Este é o xale ritual de oração judaico, que é branco com listas azuis

O Maguen David ( a estrela); é um simbolo judaico. Diz-nos a história que o Rei David enfeitava seu escudo com a estrela de seis pontas, por isso a estrela é Maguen David.

Os triângulos que compõem a estrela tem um significado : o triangulo com a ponta para cima aponta para os céus : para tudo o que é espiritual e santo. O triângulo com a ponta para baixo, significa tudo o que é terreno.

A estrela une os céus à Terra e a Terra aos Céus : significa isto que Deus reina em todo o lado.

A Bandeira de Israel faz-nos lembrar a fé das orações de muitas gerações de judeus que esperaram o retorno ao seu lar.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Mulheres XV

Demi Moore
Beleza e Simplicidade.
Basta isso numa mulher...perfeita?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Rei de Espanha

España en el año 1978 se doto de una norma fundamental para poder desarrollar el sistema democrático que ansiaba el pueblo español para su convivencia. Y el sistema que adoptaron los padres de la constitución española fue la monarquía parlamentaria. El Rey fue uno de los artífices del cambio hacia la democracia que a día de hoy disfrutamos, queriendo ser un monarca ligado al parlamento, donde la soberanía del pueblo reside.

La monarquía española esta regulada por ley, concretamente en la Carta Magna (Constitución española) en sus primeros artículos y en el titulo II que se titula "La Corona". En nuestro país el Jefe de Estado es nombrado Rey y sus descendientes heredan la jefatura por sangre y no por sistema electivo como en Portugal.

Pero sin duda, el elemento a presentar de nuestra monarquía es la fuerza que el Rey y su familia pueden ejercer por el bien del país cuando se les encomienda la alta representación de España y la dirección suprema de las Fuerzas Armadas, como Capitán General de los tres ejércitos. Son los deberes que el Rey debe atender por encima de sus intereses personales como primer español y mejor embajador.

A día de hoy, la monarquía se ha adaptado a las necesidades de la sociedad española del siglo XXI, siendo importante ser una familia real cercana al pueblo y conocer de primera mano lo que ocurre y acontece en el país. Como os decía, el Rey es el mejor embajador de España, pero no solo en el aspecto protocolario frente a las demás monarquías del mundo sino ante los poderes económicos y sociales del globo. Por ello, se muestra una imagen de nuestro monarca como un gran relaciones públicas entre los políticos, los empresarios, los agentes sociales y como amigo de los pueblos iberoamericano ya que tenemos unos importantes lazos históricos como Portugal, donde su aceptación es muy superior a la de muchos líderes latinoamericanos.

El sistema de monarquia parlamentaria han ofrecido a la sociedad española uno de los periodos de paz social y democracia más largos de su historia contemporánea, por lo que los datos abajo mencionados asi lo ratifican. En todo caso la Familia Real es comparable a la Familia de un Presidente de la Republica como es el caso de Portugal con distintos tratamientos pero donde se fijan las personas de un país es en la cantidad de dinero que se llega a destinar al sostenimiento de los Jefes de Estado

La monarquía en España se ha asentado por la aceptación de la sociedad española y su cercanía a la misma, donde el índice es de alrededor del 75 al 80%, pero sin duda ha jugado un gran papel para la figura del Rey tiene continuidad por que el Rey tiene descendencia en la figura de su hijo, el Príncipe de Asturias, heredero y de él, su hija la Infanta Leonor.

texto de Jordi Moreno y Gracia

Aniversário

Tenho, como tem sido habitual, palavras breves para esta ocasião. Em primeiro lugar quero salientar que é com orgulho que falo no "Olhar Direito" porque é um espaço rico, diversificado e cheio de actividade, muito graças à iniciativa do meu amigo Xico. Sabes bem, sabemos todos, que a dinâmica que impinges neste espaço é o motor deste blog. Faço-te uma vénia por teres tido a ideia e teres seguido a linha, o pensamento incial. Devo dizer que este blog nunca perdeu a sua identidade, manteve-se sempre na esteira daquilo que o Francisco idealizou e concretizou com todos os temas e iniciativas que tem vindo a lançar. Escrevo numa pausa do trabalho, que é muito e que que me impede de participar de uma forma mais activa, o que me causa pena, uma vez que a honra que senti quando recebi o convite para colaborar é ainda maior agora que constato que a equipa cresceu em quantidade e qualidade também. Infelizmente não poderei ir ao jantar (por motivos profissionais), no entanto haverão outras ocasiões para conhecer pessoalmente os distintos colegas. A todos, mas especialmente a ti Francisco, muitos parabéns e que contemos muitos mais!!

Parabéns para nós!

Muito prazer
Muito prazer em estar por aqui há dois anos.
Dois anos? Já?!?
Um desafio engraçado, feito por um miúdo engraçado,... Dr. Francisco - com a devida vénia.
Um desafio sério e feito a sério, correspondido a sério.
Na crista da onda! Ou a cortar a onda. ______________ Então parabéns ao olhar Direito. ___
" VIVA NÓS"!! Hip Hip Hurra!
___________________

OLHAR DIREITO - DOIS ANOS

Completam-se hoje dois anos do "Olhar Direito". Um blogue que olha a realidade de frente e não hesita em abordar temas, por mais polémicos ou fracturantes que sejam. Há dois aspectos que gostaria de realçar neste blogue: a diversidade de opinião e posições políticas dos membros da equipa, transformando este espaço num dos poucos não monolíticos que conheço na blogoesfera; o nível dos textos e dos comentários, nunca se tendo resvalado para a injúria ou sequer para depreciação da opinião alheia (mais uma vez um oásis na blogoesfera neste tipo de blogues). Mais interessante é que o blogue é totalmente aberto. A meu ver isso só sucede pela qualidade intrínseca deste espaço que confere uma inegável seriedade aos debates.
Quando comecei a colaborar no "Olhar Direito" não conhecia pessoalmente o Francisco. Um jovem com metade da minha idade. Incansável e fervilhante de ideias. O difícil é travá-lo. A ele se deve a pujança do blogue. Constantes mails a propôr novas iniciativas e a lembrar datas. Uma força da natureza à solta na net. O resto da equipa só hoje à noite vou conhecer, num jantar tertuliano, em local secreto. Tenho a certeza que daqui para a frente vai haver ainda mais projectos em comum, até porque cada um de nós tem valias e experiências muito diferentes.
No "Olhar Direito" fica o meu lado de comentador do quotidiano e da política. Um lado que não quis, deliberadamente, assumir no meu "Expresso da Linha". E fiz bem. Aqui há uma sensação de redacção, um fervilhar diário de notícias, um cheiro a jornal que tem de sair a horas, para estar nas bancas logo pela manhã. Com dois anos, este é já um blogue de referência. Onde nos levará o Francisco?
Jorge Pinheiro

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Olhar Direito: Parabéns

O tempo enquanto articulista deste espaço foi antes de mais de aprendizagem e de uma grande interacção virtual do ponto de vista da discussão das ideias que progressivamente aqui foram explanadas. É com grande satisfação que vejo o trabalho e o sentido de responsabilidade levados a cabo por todos os membros deste espaço em especial pelo Francisco que ao longo destes dois anos se demonstrou incansável para levar este projecto cada vez mais alto. Julgo que as divergências acerca dos mais diversos assuntos são importantíssimas para a discussão e troca de ideias. Acima de tudo o mais importante é o respeito e a cordialidade mantida por todos os membros deste espaço que, apesar das diferente ideologias, têm todos a ideologia máxima baseada no respeito e compreensão dos diversos pontos de vista. Dos leitores aos colaboradores o meu profundo agradecimento por tudo o que foi feito nestes dois anos!

2 anos

Um brinde a todos vós

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Dar

Este é um livro que todos nós devemos ler.O Ex-Presidente dos EUA é um verdadeiro exemplo. Como pessoa e cidadão. O Título diz tudo. "DAR". Todos nós podemos DAR qualquer coisa. Uma mão, um cêntimo, uma roupa, um brinquedo, até um sorriso basta. Neste livro, Bill Clinton explica como cada um de nós pode DAR qualquer coisa a quem mais necessita. Num tempo em que doenças como a SIDA, Cancro e também a fome aumenta no nosso planeta, é tempo de DARMOS qualquer coisa. É tempo de deixarmos de pensar em nós mesmos e ajudar os outros. Numa sociedade cada vez mais egoísta e que só tem tempo para ela, pensando apenas nos seus sentimentos, Bill Clinton dá-nos exemplos de pessoas que DÃO. Ricos ou pobres todos eles ajudaram quem mais necessita. Mesmo o mais pequeno gesto, como sorrir a uma pessoa com dificuldades pode fazer os outros ficarem felizes.E se nós DERMOS também ficamos felizes!

DAR é o verbo mais altruísta que existe. Bill Clinton DEU e hoje é reconhecido por isso.

Para além de ter sido um dos melhores Presidentes Norte-Americanos, Clinton é sem duvida uma das pessoas que mais tem dado ao Mundo. Desde condições para combater a Sida em África, doações para ajudar vitimas de catastrofes naturais, entre outros.

O que significa DAR?

Terá custos?

Dia das Crianças ou Dia de Nossa Senhora Aparecida?



Ontem foi feriado no Brasil, dia de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do país e uma das poucas virgens cuja imagem é de uma negra.

A lenda diz que três pescadores, em meados de 1717, foram pescar no rio Paraíba do Sul, mas não conseguiam nada. Depois de muitas tentativas, jogaram suas redes no rio e apanharam uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, sem cabeça. Lançaram novamente suas redes e apanharam a cabeça da imagem. A partir daí, começaram a ter peixes em abundância.

Com o tempo, a fama milagreira da imagem cresceu, ao ponto de que soberanos do Brasil, como D. Pedro I e a Princesa Isabel, se curvaram diante da referida imagem.

Em 1929, a Nossa Senhora Aparecida foi proclamada Rainha do Brasil e Padroeira Oficial, pelo Papa Pio XI. Em 1980, foi sancionada lei que decretou o dia 12de Outubro (dia em que os pescadores acharam a imagem) como feriado nacional e reconheceu a virgem, oficialmente pelo governo do país, como padroeira oficial.

Hoje, a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, localizada no município de Aparecida, é o maior Santuário Mariano no mundo e recebe milhares de fiéis todos os anos, principalmente, no dia 12 de Outubro.

Essa é uma bonita estória, mas vocês acreditam que o feriado de ontem foi realmente comemorado em virtude da santa? Claro que não!

Não que não houve fiéis que foram à peregrinação na Basílica ou nas demais igrejas de todo o país. Mas é que a data também é o Dia da Criança, na qual os pais dão presentes aos seus pestinhas.

Aí eu pergunto: de quem o comércio gosta mais? Das crianças, vorazes consumidores, ou dos peregrinos, seguidores de uma religião que prega o desapego aos bens materiais?

Para começar, quem inventou o Dia da Criança foi um político, tinha de ser não é? Em 1924, o dia 12 de Outubro foi oficializado como Dia da Criança.

Mas somente em 1960, quando a “finada” fábrica de brinquedos Estrela junto com a Johnson & Johnson fizeram uma promoção conjunta para aumentar suas vendas, que a data passou a, de fato, ser comemorada. E a partir daí, a tradição de dar presentes às crianças no dia das crianças tomou corpo.

Óbvio que, como a idéia deu certa, outras empresas seguiram a tendência e fizeram com que o decreto de 1924 ressurgisse com força total. E hoje, depois do Natal, o Dia das Crianças é a data mais importante para o setor de brinquedos.


Larissa Bona

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Acaba um ...........

Começa outro....

Estamos a falar claro do novo ciclo eleitoral. Mas este partidário. De facto, durante esta noite eleitoral autárquica, do que se falou mais foi das eleições internas do PSD. Pelo menos Passos Coelho já deu o tiro de partido mas Menezes também deu a sua opinião.

E mais uma vez todos os partidos declararam vitória : Já o haviam feito nas europeias, nas legislativas reforçaram essa convicção e agora nas autárquicas quiseram deixar essa nota de registo. Mas o único que vai a eleições é o PSD. Mais uma vez. Mesmo ganhando as europeias, tirando a maioria ao PS e tendo o maior número de Câmaras Municipais.

Interessante a derrota na CDU em Beja e Marinha Grande e o reforço dos Comunistas em Setubal e Almada. Apesar do tempo passar, esta cintura à volta de Lisboa continua "vermelha"; num àrea Metropolitana pouco dada às direitas. Contrastando com o Grande Porto que é claramente laranja. Razões para esta discrepância?

Caiu Leiria aos Sociais Democratas e o grande Macário Correia conquistou Faro à primeira, perfilando-se como um potencial, futuro, ponderável, previsivel candidato à liderança do PSD ou então como um membro importante do PSD Nacional.....

Não cairam Isaltino nem Valentim, mas a democracia já respira melhor sem Fátima e Avelino...

progressos?

Parece que sim, até porque os Independentes conquistaram mais Câmaras do que em 2005...

e tentar isso para Assembleia da Republica?

domingo, 11 de outubro de 2009

Especial Autárquicas

Em directo da Autarquia "Olhar Direito", a partir de agora queremos saber quem vão ser os verdadeiros "mandantes" deste país...

sábado, 10 de outubro de 2009

OLHAR A SEMANA - AUTARQUIAS

1. Cerca de 300 autarquias em Portugal vão amanhã, Domingo, a votos. Escrevo antes de saber os resultados. Estas são eleições locais. Não existe uma lógica totalmente partidária como acontece nas europeias ou nacionais. Aqui estão mais em causa as pessoas dos canditatos. A sua obra, a sua personalidade, a sua empatia com o povo daquele concelho. Nestas eleições é frequente ver pessoas de um partido votarem em candidatos de cor diferente, porque acreditam ser eles os melhores para a terra ou por razões, por vezes, menos curiais.
2. Como se sabe, é nas autarquias que existe maior corrupção, maior compadrio e nepotismo. As autarquias são os maiores empregadores dos respectivos concelhos. Os votos são mais fáceis de "comprar". Basta dar emprego a um pai, a um filho, a um primo e toda a família e vizinhos ficam imediatamente agradecidos. Ao longo dos séculos e, particularmente, nas últimas décadas, as autarquias engordaram os quadros sem qualquer contrapartida de serviço público evidente e, simultaneamente, criaram empresas municipais para gerir tarefas municipais, com o alegado intuito, declarado, de agilizar a gestão. Uma contradição em si mesmo que só contribuiu para distribuir mais sinecuras a primos e enteados. Acresce que nas autarquias a pressão mediática é muito menor e por isso os abusos são menos escrutinados.
3. Nestas eleições, para além do natural peso que têm Lisboa e Porto, vai ser interessante observar o caso de Oeiras, terra onde vivo. De concelho periférico e dormitório de Lisboa, Oeiras ganhou uma pujança impressionante, sendo neste momento o segundo concelho de Portugal, logo a seguir a Lisboa, em vários índices quantitativos e qualitativos. A gestão autárquica está na mão de um dos dinossauros do poder local, Isaltino Morais, que nos últimos 18 anos transformou o concelho. Há cerca de três meses, depois de um conturbado processo judicial, ele foi condenado a sete anos de prisão efectiva, por actos relacionados com a gestão autárquica. Recorreu da sentença. Concorreu às eleições. Para ele, a ética jurídica é com os tribunis e a ética política com os eleitores. O curioso é que neste concelho, que tem a maior concentração de quadros superiores do país, as sondagens dão-lhe maioria absoluta!!! Na minha opinião, há dois aspectos relevantes para este resultado perspectivado. Sete anos de cadeia parece muito, quando por esse país fora há processos gravíssimos que acabam em absolvição ou em pena suspensa ou, ainda, que se arrastam por décadas sem resultados evidentes. O povo desconfia dos tribunais e Isaltino explora o "bode expiatório", transformando a condenação em perseguição política. Por outro lado, os restantes candidatos concorrentes são personalidades secundaríssimas dos partidos políticos que não arriscam personalidades fortes com receio de perder para um candidato "condenado".
4. Isaltino Morais, o novo Marquês de Pombal de Oeiras, vai vencer os tribunais, mesmo que acabe por ser preso. O povo vai legitimá-lo. O povo prefere quem faz obra e desconfia dos tribunais, cada vez mais politizados e instrumentalizados. Mais que a reforma das autarquias, pede-se a urgente reforma da Justiça que a credibilize e evite estes casos absolutamente patológicos, sob pena de perdermos totalmente a ética. É isto que penso das eleições autárquicas de amanhã.
Jorge Pinheiro

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Mulheres XIV

Megan Fox

Esta rapariga é a musa do momento. Famosa pela participação em Transformers, Megan cativa os fans de Hollywood.

E com razão. Aqueles olhos azuis, dizem tudo.....

Megan Fox tem um futuro brilhante (e azul); à sua frente...

Paz para Obama

Parecia ser uma Sexta Feira calma, no que a noticias toca mas eis que....

Barack Obama ganhou hà minutos o Prémio Nobel da Paz...

Surpreendente esta escolha da Academia. Também o Juri dos Prémios foi atingido pela Obamania. O actual Presidente dos Estados Unidos nem há um ano está na Casa Branca e já tem este titulo.

Foi uma escolha devido ao "esforços diplomáticos internacionais e cooperação entre povos"... Em relação a que? pode se explicar? Só se for por ter chegado ao coração dos muçulmanos ou por recentemente ter apertado a mão a Dimitri Medvedev... foi por isso.

Parece-me exagerado a atribuição deste prémio. Obama não justificou. Não teve tempo. E o que fez parece-me que não tenha sido suficiente para lhe ser atribuido um prémio nobel. Ainda por cima o da paz que é o mais importante.

Estão a querer fazer de Obama um santo. Ou mesmo um milagreiro.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Nelson Mandela : Uma voz com moral?

Nelson Rolihlahla Mandela nasceu em Mvezo a 18 de Julho de 1918. Advogado de profissão, foi na luta contra o apartheid instalado na África do Sul.

Herói para uns, terrorista para outros a verdade é que ninguém se esquece da sua luta pela liberdade e democracia na África do Sul. É um simbolo para muitos sul africanos e homem adorado por milhões em todo o mundo.

Foi na luta contra o apartheid que Mandela ficou imortalizado. Enquanto guerrilheiro e lider politico. Participou através das armas após o massacre de Sharpeville a 21 Março de 1960. Manifestou-se contra a polícia sul-africano. Como politico, esteve no Congresso do Povo que em 1955 divulgou a Carta da Liberdade. Tornou-se em 1994 Presidente da África do Sul.

Um ano antes tinha sido nomeado Nobel da Paz.

Em Agosto de 1962, Nelson Mandela foi preso. E lá permaneceu durante 26 anos. Sofreu duas sentenças. Uma a 5 anos de prisão, outra a prisão perpetua. Mas no decorrer desse tempo, Mandela não deixou de comandar o CNA e de mobilizar os seus para continuarem a luta. Nunca se deixou render, mesmo estando entre grades.

Foi libertado em 1990, por Frederik Willem de Klerk.

Mandela é hoje uma das personalidades mais respeitadas em todo o Mundo. Lideres politicos conviveram com a sua sabedoria e serenidade. Aparenta um ar calmo e é apaziguador de conflitos.

Dizem que é um dos politicos com maior autoridade moral no Continente Africano.

De registar que tem uma laço português : é casado com Graça Machel

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Confronto Poético

Como imaginam um confronto poético?

cartaz cedido por Carlos Vinagre

Autárquicas 2009

No próximo Domingo Portugal irá novamente a votos. Iremos escolher os representantes máximos dos nossos concelhos, freguesias e assembleias municipais. Como eleitora que sou irei também votar. Virei de França de propósito para exercer o meu direito, pena é que muitos tenham os locais de voto à frente do nariz e não queiram ter o trabalho de votar. É uma pena mas é o país que temos, curiosamente à semelhança do resto da Europa. Vou focar algumas ideias acerca das duas principais câmaras do país e, como é óbvio, sobre as eleições no meu concelho.

Lisboa: Julgo que António Costa merece o benefício da dúvida. Dois anos são muito pouco para avaliar qualquer tipo de obra. O candidato do PSD parece ser mais que Jesus Cristo dado que Santana já ressuscitou umas 3 ou 4 vezes para a vida política. Nota-se que Santana é o homem que vive da política e não sabe fazer mais nada, não que Costa também não seja mas pelo menos nunca cometeu os suicídios políticos de Santana. Gosto muito das medidas de António Costa no que concerne ao incentivo dos transportes públicos na cidade. É absolutamente impensável que numa cidade do século XXI moderna o carro ainda seja o principal meio de transporte. A rede de transportes públicos de Lisboa é bastante razoável portanto faz sentido a campanha do PS relativamente a este ponto. O calcanhar de Aquiles parece ser mesmo o local escolhido para o instituto de oncologia. Não faz sentido fazer o dito instituto perto da Bela Vista. Acaba por ser uma falta de respeito para com os doentes e com os lisboetas, e até portugueses, em geral.

Porto: Rui Rio vai vencer e muito bem. O Porto não é uma cidade perfeita, está longe de o ser. Certo é que o candidato da coligação PSD/CDS-PP fez sem dúvida imenso pela cidade nos últimos anos como presidente do município. Para além do mais é um homem que não cede a pressões de interesses particulares e também alguém que vive o Porto de uma forma muito particular. A sua adversária Elisa Ferreira é, digamos, muito fraquinha comparada com Rio. Propostas são diminutas, fala-se de uma cidade se cultura. Aos que se queixam que o Porto não tem cultura gostaria mesmo que olhassem para a cultura no tempo do executivo PS.

Gaia: Vou votar Luís Filipe Menezes. Parece estranho estar a apoiar 3 candidatos de centro/centro-direita mas julgo que quando falamos em autárquicas mais que a orientação política devemos ver os candidatos antes de olharmos a ideologias políticas. A obra está à vista de todos e só não vê quem tiver má fé. Gaia evoluiu e muito. Melhor que isto é o facto do executivo camarário não se limitar apenas a melhorar a cidade mas sim todo o concelho. Foram criadas nos últimos anos infraestruturas de elevada qualidade que colocam o concelho de Gaia com uma qualidade de vida bastante boa para um país com a realidade de Portugal. Existe a questão do endividamento camarário que a câmara tem, deve ser o grande objectivo de Menezes nestes 4 anos: equilibrar as contas.

Para variar apelo ao voto consciente nas próximas eleições. Acho de todo importante para a democracia e para o futuro dos concelhos deste país!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Rio 2016

Estas imagens valem mais que mil palavras:

Podem criticar o quanto quiserem, dizer que em vez de Olimpíada, devíamos dar educação aos brasileiros. Mas quem pensa assim, pensa pequeno.

Um evento como as Olimpíadas traz investimentos, traz educação, traz melhorias à infra-estrutura da cidade e traz auto-estima para as pessoas.

Orgulhosa de ser brasileira, orgulhosa de ter nascido no país que vai sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Larissa Bona

Status Quo - Uma semana depois...

Decorrida uma semana após as eleições legislativas nacionais muito pouco mudou no panorama político nacional. Talvez a única excepção seja mesmo a luta interna (que desponta) no PSD, relativamente à sucessão a Manuela Ferreira Leite. Nomes como Paulo Rangel, Pedro Passos Coelho e agora Marcelo Rebelo de Sousa surgem como os “prováveis” a apresentar-se a votos nas directas que resultarão (quase não tenho dúvidas) da demissão da actual líder após serem conhecidos os resultados das autárquicas. Não me parece que os resultados das autárquicas possam salvar a face MFL. É certo que o PSD conseguiu um bom resultado nas europeias, mas é também certo que se considerarmos a elevadíssima abstenção e a prestação, no mínimo fraquinha, de Vital Moreira, apesar do mérito de Paulo Rangel, o resultado revela-se falacioso. Não obstante, adivinha-se um bom resultado para o PSD nas eleições autárquicas que será, diga-se, a terceira derrota eleitoral consecutiva para Sócrates, mas que não se poderá traduzir necessariamente numa vitória para MFL. Espremida a laranja, o balanço para MFL é negativo. No principal combate claudicou. Nem pode alegar ter tirado a maioria absoluta a Sócrates como “atenuante”. Não ponho em causa as capacidades políticas de MFL, no entanto falhou. Falhou redondamente e agora perdeu o seu espaço. Dos nomes que têm sido referidos, julgo que, apesar de Marcelo vir baralhar um pouco as contas, a vitória não escapará a Passos Coelho. Creio que ficou a clara sensação que os resultados poderiam ter sido bem melhores para o PSD caso Passos Coelho se apresentasse a votos. Ainda assim, esse exercício é meramente especulativo, uma vez que apesar de ser um político muito promissor, a verdade é que ainda é um ilustre desconhecido para a generalidade dos portugueses. Relativamente ao PS e, mais concretamente, Sócrates e a composição do novo governo, aguardo com expectativa para ver se se confirma a promessa de novos ministros. Será uma dança de cadeiras ou veremos mesmo caras novas? Quanto a Cavaco, confesso que não compreendo mesmo qual a intenção do PR ao proferir uma declaração tão pouco clarificadora. Penso que o país ficou na mesma e cada partido interpretou as palavras do PR como lhe deu mais jeito. Muito estranho as atitudes de Cavaco nos últimos tempos. Ou tem algo a dizer verdadeiramente importante e di-lo de uma forma clara e inequívoca ou então não tem e nesse caso deve estar calado. De qualquer modo, arrisca-se a não conseguir a reeleição (embora vá acontecer muita coisa ainda). Os próximos capítulos serão ricos em intriga e mistério. Penso eu. Uma nota final para o resultado muito positivo no Referendo Irlanda ao tratado de Lisboa. Ultrapassou-se um obstáculo enorme à continuação do aprofundamento da integração europeia. No entanto, mais dois se levantaram. Chamam-se Polónia e República Checa. Nessa matéria, reservo-me o direito a não fazer prognósticos.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Será desta que Cristo descerá à Terra?

Após as eleições de dia 27 e da derrota contundente de Manuela Ferreira Leite, o PSD prepara-se para novemente para ir em eleições. Serão as terceiras em quatro anos. E o quarto lider no mesmo período de tempo...

Parecido com isto, só mesmo o Benfica e as suas mudanças de treinadores, mas até o clube da Luz já parece ter estabilizado...

Resta saber quem substituirá MFL. E o principal candidato poderá ser Marcelo Rebelo de Sousa. E após de na noite eleitoral ter dito que "era o que faltava deixar Passos Coelho sozinho na corrida" e de ninguém se perspectivar para a liderança social democrata, é desta que Cristo descerá à terra.

O Professor tem a vantagem de nunca ter estado no governo. Logo não lhe podem ser imputadas responsabilidades governativas. Tem o publico do seu lado. Desde a TVI e passando pela RTP, não há domingo em que as pessoas não estejam coladas ao ecrâ a ouvir as opiniões do professor. Mesmo aqueles que não gostam.

Marcelo tem o capital de confiança para si. Tem inteligência, sabedoria e competência. Veremos que propostas apresenta.

E poderá finalmente unir o PSD à volta do seu lider.

Marcelo parece-me uma boa alternativa.

Para o PSD e para o país....

2- Portugal Romano

No século III a.c os Romanos penetraram na Península, no contexto da Segunda Guerra Punica que mantiveram com Cartago.

Os Romanos dividiram a Hispania em três regiões : A Lusitânia, Tarraconensis e Baetica. Como mostra o mapa acima. Esta organização foi idealizada pelo Imperador Augustus.

A capital da Velha Lusitania era Eremita Augusta. Por falar em Lusitania, Viriato de quem já falámos foi o grande opositor da invasão romana : derrotou as tropas de Caius Vetilius em 149, Caius Plantilus em 148 e Caius Unanimus em 147. Apenas foi derrotado pelo poderoso Fabius Emilianus em 144.

Os romanos deixaram um importante legado cultural na Peninsula . A sua arquitectura e a sua língua foram o que mais se sobressaiu.....

Ponte Romana em Chaves ( Aquae Flaviae)

As pontes romanas e os aquedutos foram as duas principais obras de arquitectura que os romanos deixaram na Peninsula.

Mas a sua principal contribuição foi o Latim. Esta língua dos romanos foi trazida para a Peninsula no Século IX a.c ou VIII a.c . Foram os migrantes latinos que trouxeram o latim. Estes migrantes fixaram-se numa região que recebeu o nome de Lácio, em torno do Rio Tigre. Nos primeiros anos o latim sofreu uma influência da língua etrusca.

Foram estes os pontos importantes da romanização em Portugal : -Constituição de regiões na Península. - Revolta e luta de Viriato para defender a Lusitânia. - Fixação dos romanos na PI e introdução dos seus costumes, com acentuado destaque para a arquitectura e a língua.....

continua dia 19 Outubro

sábado, 3 de outubro de 2009

Arco Iris

Arco - iris..
Quantas cores tem o arco-iris?

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Mulheres XIII

Jennifer Lopez - Sensualidade e boa voz....

Excelente pose :)

Aperto de mão histórico

Esta imagem significa o entendimento histórico entre os dois países : Russia e Eua na luta contra o armamento nuclear que o Irão tem vindo a insistir em promover.

Devido à frenética cobertura das eleições, a cimeira do G20 e este acordo histórico passou ao lado. Depois de se retirarem de cena dois arqui-rivais e consequentemente dois ditadores ( Putin e W.Bush); ao fim de tantos anos foi possivel um entendimento entre os antigos rivais da Guerra Fria.

Unidos contra o armamento nuclear iraniano, Medvedev e Obama conseguiram selar e meter medo a Ahmanidejad, mas também ao mundo árabe que continua uma luta sem tréguas contra os povos democráticos do ocidente. Esperemos que seja para cumprir pois a Europa e o Mundo ganhavam muito com isso. Para além de meter um travão nas intenções chinesas de dominar o mundo....

Só mesmo com o pacificador e protagonista de uma mudança nas relações externas como é o caso de Obama e de um Presidente russo mais liberal e atento às preocupações mundiais, é que foi possivel este entendimento. Daí que a Cimeira do G20 em Pittsburgh tenha sido muito importante a nivel politico. Já a de Londres em Abril passado foi muito animador em termos económicos.

Com este acordo Americano e Russo é altura do Irão meter um travão no seu armamento nuclear.

Para bem de todos

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Os famosos 10 minutos

É muito comum quando vamos para algum sitio e estamos atrasados , dizermos para nós mesmos ou para os outros que "Só faltam 10 minutos" ou " daqui a 10 minutos estamos lá". Ora estes 10 minutos são na realidade 20, 30 ou mesmo 60....

Também acontece muito quando perguntamos a alguém quanto tempo demora chegar ao local X... ao que nos respondem : "É já ali. São só 10 minutos". Na esperança de que são só os dez minutos que passam num instante lá vamos nós. Chegados ao local uma hora depois somos confrontados com o "despachar" de quem nos ajudou, porque usou a regra dos 10 minutos. Nem 9 nem 11. Sempre 10 minutos.

O facto de dizermos sempre 10 minutos, pode ser uma forma de despachar ou de facilitar. Não sabemos e provavelmente nunca o vamos saber. Poderá dar jeito. Ser um número bonito. Redondo. E se for apenas 10 minutos, significa que não é perto ( senão seria 5minutos..) nem é longe (então seriam 20...); mas que fica no meio...

Porque será que pensamos sempre em 10? E não em 5 ou 20?

1º concurso de Poesia

1º concurso de poesia Olhar Direito

Consiste no seguinte:

1- Dependendo do número de inscrições organizaremos o concurso em eliminatórias ou em fase de grupos. Mais tarde será comunicado este modelo.

2- Cada pessoa terá direito a publicar três poemas. Isto na 1ª fase. Dois deles serão temas escolhidos pelo nosso juri e o ultimo é tema livre. Cada poema será pontuado por todos os membros do Juri ( que serão 3...). A pontuação será somada e dividida em três. Depois quem alcançar melhor pontuação após os três poemas, passará à fase seguinte.

3 - O juri é composto pela Marta Sousa, Cristina Piedade Silva e Cleopatra.

4 - O vencedor do concurso terá direito a postar 3 poemas ou textos por mês durante um ano no blogue.

5 - O concurso decorrerá até Janeiro e semanalmente serão postados dois poemas. Um à Segunda e outro nas Sextas Feiras.

6- Começará dia 2 de Novembro

7 - Deverão mandar um email para olhardireito@gmail.com , com o vosso nome, idade, email e endereço de blogue caso o possuem.

Share Button