quinta-feira, 30 de junho de 2011

Causas & Coisas : bajulamento

A arte começa desde pequenino. Quer ser o favorito dos paizinhos, ignorando por completo a existência dos outros irmãos. A atenção parental tem estar toda em cima dele/a, bem como da restante família. Normalmente são os avós os responsáveis pelo segundo mimo.

Na escola, é o preferido do professor. Senta-se à frente, faz sempre os trabalhos de casa e por norma costuma colocar perguntas estúpidas. Não brinca com os colegas e muito menos se atira ás meninas. É o perfeito nerd.

Chegado o tempo da faculdade, o que ele quer é tirar 20 a tudo. Mesmo que isso implique, passar à frente dos seus colegas. Continua sentado à frente, mesmo que a turma seja composta por 200 alunos. Nessa altura já usa oculos, pois o esforço para bajular valeu-lhe muita energia. Trata o professor por "Senhor" e continua a fazer questões, no mínimo, desinteressantes. Não dá apontamentos a ninguém mas também ninguem lhe dá nada. O fracasso da nota vale-lhe uma semana fechado a tomar antidepressivos.

Quando entra no Mundo do trabalho, o bajulador só tem uma unica coisa em mente : chegar ao topo o mais depressa possível e fazendo tudo por tudo para alcançar a pirâmide. Amigo dos colegas de trabalho pela frente, mas um verdadeiro animal por trás das costas. Aparenta sempre um ar limpo e cuidado, mas no fundo é um porco. Sempre de sorrisinho para o chefe, mas sonha um dia substitui-lo. Se não houver espaço para ele na "direcção", procura os mesmos hábitos noutros lugares, mas sem sucesso.

Convidado por um amigo para integrar um lugar de relevância pública, normalmente deputado ou Ministro do bajulamento; o nosso personagem que acompanhamos desde criança, é o braço direito do Primeiro. O seu grande confidente e aquele que está sempre presente nos momentos maus de quem comanda e é alvo de todas as iras populares.

Quando vê que as coisas estão a correr mal, aconselha o Primeiro a desistir e a demitir-se. Mostra que a situação não está boa para o seu Mestre e que apenas existe uma unica alternativa. A da saída.

Dias depois, apresenta a sua candidatura para substituir o seu amigo de escola, companheiro de carteira de faculdade, colega de gabinete e mais tarde Primeiro-Ministro de uma coisa qualquer.

Tema do Dia XXVII

"A política é a arte de enganar os homens"

frase de D´Alembert

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Cultura Democrática

A arrogância não é nenhum meio adequado para se chegar a qualquer forma de entendimento com as pessoas que nos rodeiam e que menosprezamos, pelo que nos são insuportáveis. Mas, se não tivéssemos a arrogância, estariamos perdidos, pois ela não é senão um meio de impormos a nossa vontade contra um mundo que de outro modo e, portanto, sem essa arrogância, nos devoraria por completo" - Thomas Bernhard, in "Extinção"

A nossa história é pródiga em acesos debates políticos, onde, por muitas vezes, impera o insulto e a calúnia pessoal. O debate de ideias é, nestes casos, substituído por fait-divers e a classe política sai dele bastante fragilizada

O ultimo ciclo político foi caracterizado por uma postura de extrema arrogância e prepotência. Esta atitude foi bem vísivel em questões como o novo aeroporto (relembro o famoso episódio "Alcochete Jamais"), TGV e, last but not the least, o pedido de ajuda externa.

Este fim-de-semana, deparei-me com uma notícia que (já) não julgava possível. O semanário "Expresso", que a ex-ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, recusara-se reunir como o novo Secretário de Estado da Cultura para a protocolar passagem de testemunha, com o argumento que "ministro não passa a pasta a secretário de estado".

Recentemente, à margem da cerimónio de deposição das cinzas do escritor José Saramago em Lisboa, Gabriela Canavilhas lamentara a extinção do Ministério da Cultura mas reconhecera mérito a Francisco José Viegas. Sobre o novo Secretário de Estado da Cultura, Canavilhas admitira a admiração por Francisco José Viegas, "uma pessoa de grande qualidade".

Embora tenha o direito de discordar da orgânica do novo Executivo, a passagem protocolar da pasta não pode ser colocada em causa. Ao integrar o anterior governo e tomar posse deveria estar consciente do sentido de Estado a que as funções iriam obrigar.

A falta de humildade pode ser considerada má educação e falta de cultura democrática. Atitude igualmente reprovável teve Fernando Nobre quando, em Abril, declarou que se não fosse nomeado Presidente da Assembleia da República renunciava ao cargo porque não seria "só um deputado".

Interessante é que, após as eleições legislativas e subsequente instalação da Assembleia da República, são ambos "só" deputados.

Portugal chegou a este estado, em grande parte, devido a políticas eleitoralistas de curto-prazo, clientelismo, despesimo, falta de coragem para reformas profundas e alguns políticos autistas.

A mudança, que se tornou um desígnio nacional, só poderá ser alcançada através do trabalho, competência, responsabilidade, humildade, austeridade, dedicação, sentido de Estado e um compromisso de verdade para com todos os portugueses e instituições que nos prestam ajuda.

Miguel Henriques, colaborador do blogue e Deputado Municipal como independente em lista do CDS-PP.

terça-feira, 28 de junho de 2011

O primeiro excluído

Bernardo Bairrão, Administrador da Media Capital e o homem que levantou o caneco quando uma novela da TVI ganhou um Emmy, foi convidado para ser secretário de Estado adjunto do Ministro da Administração Interna, só que uma opinião contrária relativamente à privatização da RTP foi fatal.

Passos Coelho não terá gostado e vetou o nome. Não me parece que tenha sido uma boa opção, porque antes de mais está a competência técnica e humana e só depois as opiniões. E ainda por cima a pasta da Administração Interna nada tem a ver com o sector das comunicações. Até porque a sua "opinião" pessoal não iria afectar a restante governação.

Foi um mau começo para o novo governo que na semana tinha dado excelentes exemplos. Se foi por causa da privatização da RTP, então Passos Coelho não podia nunca ter feito uma coligação com o CDS, já que estes são completamente contra.

Não se compreende este caso, tanto mais que não vai ser uma prioridade deste governo nesta legislatura vender a RTP ao capital privado.

O Julgamento Político

Como blogue que acompanha "in loco" o fenómeno político, iniciamos hoje uma espécie de análise ao comportamento do Governo, Oposição e demais intervenientes políticos. Assim estão disponíveis sondagens sobre o comportamento do governo, da oposição e queremos saber quem é figura do Estado que mais se tem destacado.

Todos os meses faremos uma análise detalhada dos resultados bem como da actuação de todas as entidades. Aplaudiremos quando for necessário, mas não nos deixaremos de criticar quando for preciso, aliás como é timbre nesta casa.

A nossa primeira Acção política será as eleições do Partido Socialista que terão lugar dentro de um mês.

Bem vindos ao nosso Julgamento Político

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Figuras da Década (17): Hugo Chavez

Numa altura em que o carismático Presidente Venezuelano está entre a vida e a morte, nada melhor que recordar um dos políticos mais influentes da última década, especialmente na América Latina. A sua presidência fica ligada por traços de absolutismo mas também de alguns actos mais sociais. Foi sempe um Presidente atento daquilo que se passava no Mundo e não ficou fechado no seu país. Coube ao Rei Juan Carlos a dificil missão de o conseguir calar. O famoso "Porque non te callas?", correu Mundo e teve direito a brincadeira por parte do ditador/Presidente venezuelano. Foi um grande amigo de Portugal e em especial de Socrates, tendo levado para o seu país o famigerado computador "Magalhães". Foi um sucesso. O seu mandato fica marcado pela tentativa de em 2007 ter tentado alterar a Constituição de forma a que não haja limitação de mandatos na Presidência. O sonho de Chavez morrer na cadeira presidencial e assim se tornar um heroi, como Guevara ou Fidel; ficou para a história. Ele é visto com uma potencial ameaça para o Ocidente mas ninguém dispensa a sua boa disposição sul americana.

Tema VI : Aborto

És a FAVOR ou CONTRA a despenalização do aborto?

domingo, 26 de junho de 2011

Parabéns à Senhora Presidente da AR

OU DECIDIMOS MELHORAR O MUNDO
OU TEREMOS DE PERGUNTAR COMO SE DORME O NOSSO SONO
**

- Assunção Esteves - Dedicou a todas as Mulheres o seu discurso de Tomada de Posse

Falou dos mais desfavorecidos e da Esperança dos mais frágeis

Diz dar o Parlamento corpo a um Poder que se forma na Moral Universal

que se dita na Justiça
A função da representação Politica é, no seu dizer, Sagrada
Quer reinventar a Democracia
***
-------------

Olhar a Semana - A Senhora Presidente

Esta semana aconteceu algo história na Democracia portuguesa. Pela primeira vez, uma mulher vai presidir à Assembleia da República. Assunção Esteves, que também foi a primeira mulher no Tribunal Constitucional foi eleita com 186 votos, mais 80 que a primeira escolha do partido que ganhou as recentes eleições : Fernando Nobre.

A eleição de Assunção Esteves representa muito mais do que foi dito. Significa uma mudança de mentalidades sociais e políticos no nosso país. Foi também um Coelho da cartola que Passos tirou, depois de ter perdido a eleição de Fernando Nobre, a sua primeira escolha.

Para quem tem um discurso anti-politico, anti-partidos e anti-sistema, a nomeação da primeira mulher para Segunda figura do Estado é uma excelente resposta. Que a democracia é um regime onde nem tudo sempre é igual e há a possibilidade de mudar. Essa é a riqueza democrática. A surpreendente designação pode abrir vários caminhos. Desde já a outras mulheres que queiram participar na política e o acham que o sistema ainda é demasiado machista. A imagem da Assembleia da Republica vai ser outra. O respeito e a admiração vão ser maiores. Tenho para mim que quando se realizarem debates parlamentares o nível de linguagem vai ser outro. Muito diferente daquele que temos vindo a assistir.

Foi uma boa forma de começar a renovar as Instituições e as suas figuras principais.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

"Não pagamos"

Está a nascer na Grécia um movimento de desobediência civil ao Estado. O grupo "Não pagamos" tem como objectivo não pagar os serviços publicos básicos : metro, comboio, portagens entre outros.
Outra reacção não seria de esperar, depois do Parlamento grego ter aprovado mais medidas de austeridade.
Não é por acaso que estes movimentos composto, nomeadamente por jovens estão a surgir um pouco por toda a Europa. Em Espanha os "Espanhóis indignados" acamparam em Madrid e agora o Movimento "Não pagamos", está a desabrochar na Grécia. Ao estilo Maio de 68, a população está a começar a revoltar-se contra a corrupção, clientelismo político, mas sobretudo está farta das políticas europeias. Também não é alheio o facto do desemprego estar crescer, principalmente entre os jovens.

Em Portugal, há uns meses tivemos a manifestação da Geração à Rasca.
O problema é que os protestos estão a ser cada vez mais violentos. Não faz sentido nenhum acampar no meio de Madrid nem no Rossio. Muito menos "não pagar" os serviços publicos. Apesar das reinvindicações serem justas e equitativas não é menos verdade que o nível de protesto tem de ser mais moderado. Infelizmente não é isso que estamos a assistir um pouco por toda a Europa.

A contestação social está a aumentar e desta vez não são as forças politicas nem os sindicatos a promoverem esta luta, mas sim movimentos que nascem nas redes sociais compostos maioritariamente por jovens. Anarquistas mas não só.
É matéria para que os lideres politicos europeus reflictam sob pena de não terem meios de conseguir controlar a rua.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Causas & Coisas - o prevaricador nacional

Muitos dizem que a culpa da vinda do FMI para Portugal é do Socrates e do governo Socialista. Há quem exagere e recue até aos tempos de Cavaco Silva para apontar o dedo pela situação que estamos a viver nos dias de hoje.

Outros teóricos vêm com aquela frase magnifica de que a culpa é toda nossa e fomos nós que empurrámos o país para o fundo porque não trabalhamos, somos preguiçosos, gastamos mais daquilo que deviamos, etc etc.....

De facto há quem não tenha culpa daquilo que se está a passar, porque porta-se bem, é poupadinho e lavadinho, sempre se esforçou para subir na vida e no fundo está-se ralando para que o FMI esteja ou não em Portugal. O que importa mesmo é o seu estilo de vida e aquilo que conquistou durante a sua carreira profissional. o resto que se lixe, pensará.

Pois bem, o verdadeiro culpado da vinda do FMI pode estar ao nosso lado. No meio dos nossos amigos, no nosso local de trabalho, ou mesmo ser a nossa cara metade!!! E se for um familiar? Pai, mãe, irmão, sobrinha......tudo menos o nosso filho.

O responsável pela ajuda externa é o eterno preguiçoso que chega tarde ao trabalho e é o primeiro a sair. Que durante a manhâ vai tomar o seu cafézinho e à tarde não dispensa um croissant misto e um sumo de laranja. Ah é verdade, o perfil do culpado pela vinda do FMI tem de fumar, e como não se pode fumar dentro dos edificios, lá vai mais uma escapadela para fora do gabinete. É o vício e tal! Contabilizando são menos duas horas e meia de trabalho num total de oito obrigatórias. Sim, porque o culpado cumpre à risca o estabelecido no Código do Trabalho. Lei é Lei, mais nada!!!

Então mas e relativamente ao trabalho? Bem, o culpado trabalha o menos possível e sempre que pode atira as tarefas para o colega do lado.

Se notarem comportamentos deste tipo no vosso meio social, então é porque estão perante o verdadeiro culpado por esta tragédia grega...desculpem portuguesa! É imprescindivel denunciarem este tipo de situações à Direcção Geral dos Culpados pela Vinda do FMI, ou mesmo ao próprio FMI, para que este consiga através de um Memorando de Comportamento Laboral endireitar este cidadão prevaricador e que está a criar prejuízo ao Estado.

Olhe que o futuro deste país depende de si!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo representam um por cento do total. Comentário?

Bastava que no ano que correu tivesse sido celebrado um casamento para justiuficar a lei, que estava claramente em falta. O caminho não começou nem terminou com a lei, é necessário continuar a lutar pela liberdade de cada um. Nos períodos dificieis que atravessamos falamos muito de economia e esquecemos as questões dos direitos fundamentais dos cidadãos. 

"Essa cambada de medíocres não entra na Ordem"

Foi assim que Marinho Pinto, bastonário da Ordem dos Advogados reagiu à Acção intentada em Tribunal pelos advogados estagiários que pretendem não pagar 700 euros para realizar o exame da 1ª fase do Estágio.
Existe rumores para que os examinadores chumbem a maioria dos estagiários.
Tudo por causa de Bolonha. Processo que Marinho Pinto não reconhece legitimidade.
Aqui está um trabalho para a nova Ministra da Justiça. É urgente que o Estado intervenha nesta questão mas também noutras, e que não deixe os mais fracos sozinhos.
É tempo dos agentes da justiça comportarem-se como homenzinhos, porque as pessoas lá fora começam a duvidar cada vez mais do sistema judicial.
Não me lembro de em Portugal, alguma Ordem atacar tanto quem a quer representar. O problema é que é apenas uma personagem, por sinal o seu máximo representante.
Cá está um sinal de uso do poder absoluto.
Tem que se por fim a isto, e Paula Teixeira da Cruz tem de intervir imediatamente. Começando por dar alguns calmantes ao Bastonário

9 - A Descoberta do Brasil

A descoberta do Brasil foi um dos marcos da nossa História, principalmente uma das grandes conquistas dos descobrimentos.
Muitos afirmam que o Brasil já tinha sido descoberto, mas a verdade é que foram os portugueses que o deram a conhecer ao Mundo.
No meio deste acontecimento, subsiste ainda a dúvida de quem é que foi realmente o impulsionador e herói da novela brasileira. Pedro Alvares Cabral ou Duarte Pacheco Pereira?. Graças á nossa colaboradora brasileira, já muito da história da descoberta do país irmão foi revelado, mas não poderíamos deixar de passar em claro, este momento da nossa rica História.
Os Espanhois também fizeram parte desta guerra, estando registado que o espanhol Vicente Pinaez Pinzon chegou a terras de Vera Cruz a 26 de Janeiro de 1500. Dois anos mais tarde que Duarte Pacheco Pereira.
Seja quem for o grande responsável por ter desembarcado pela primeira vez do outro lado do Atlântico, coube ao Rei D.Manuel I a tarefa de ter idealizado esta magnifica aventura.

Uma coisa é certa : Quinhentos anos depois os laços de amizade e solidariedade entre os dois povos mantêm-se. Curioso verificar que depois destes anos todos, é o povo que foi explorador a necessitar do outro. Sintomático não?

( Continua dia 4 Julho...)

terça-feira, 21 de junho de 2011

Quanto vale uma palavra?

O Mundo desportivo está em choque, principalmente os portistas.
André Villas Boas, o super treinador que levou o o FC Porto à conquista do campeonato, taça e Liga Europa vai-se transferir para o Chelsea, após o clube londrino pagar 15 milhões de Euros da cláusula de rescisão. Quem pode, pode.
Aqui tudo normal, não fosse o facto do próprio Villas Boas jurar fidelidade ao clube pelo menos por mais um ano. Isto para tentar ganhar a Champions. Mas nada disso vai acontecer, porque de um dia para o outro, o portista desde pequenino virou azul do Chelsea.
Este verão, o Benfica assiste a uma cena semelhante. Fábio Coentrão, após fazer juras de amor ao clube da Luz, disse no verão que ansiava jogar no Real Madrid.

O que quero destacar são duas coisas : Quanto vale uma palavra nos dias que correm? . E os milhões falam mais alto do que a paixão? seja ela qual for.....

Villas Boas e Coentrão deram um mau exemplo aos seus idolos. Não porque queiram ir para clubes com mais ambição e condições, mas porque juraram fidelidade às suas entidades empregadores. Ora, isto não é caso unico. Também nas empresas acontece isso. Hoje o amor à camisola já é raro, porque o objectivo é sempre fazer a ponte para um sitio melhor. Em vez de contribuir para que essa empresa ou clube seja a melhor.

A partir do momento em que se jura fidelidade e amor à camisola, já não há volta a dar. E o vínculo tem de ser esse. A palavra tem de ser apenas uma e não mudar como se fosse uma camisa.

Virar de intenção ao primeiro aceno de notas é mau exemplo......

Seja em que actividade for

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Nobre Falhanço

Fernando Nobre não passou na eleição para Presidente da Assembleia da Republica.

Na primeira volta obteve 106 votos, na segunda menos um.

Esta é a primeira derrota política de Passos Coelho e a segunda de Nobre depois da Presidenciais de 2011. Que fará agora o deputado? E o Presidente do PSD?

Nota para a falta de solidariedade do CDS nesta questão. A falta de "amizade" dos centristas não augura bom futuro para a coligação de Direita. É incrivel como Portas continua a pensar apenas no seu umbigo. PPC não merece isto.

Realce também para os outros partidos. A tradição democrática foi interrompida, porque PS, BE e PCP queriam que este governo que tem uma tarefa dificil pela frente começasse mal.

Parabens a Passos Coelho pela coerência demonstrada!

Damascus

A vida corre mal para Bashar Al-Assad. A Siria está a ferro e fogo e tal como está a acontecer na Libia, só uma invasão por parte das forças da NATO poderão por fim ao regime.
O mesmo não aconteceu no Iemen onde o Rei teve de abandonar o país e mais não voltará. Veremos como é que se vai organizar o país mais pobre do Mundo....a seguir a Portugal.

É certo que só o uso da força derrotará estes dois Presidentes. E a força será usada por eles para evitar que lhes tirem o poder.

Depois das manifestações, das sanções económicas, resta a via militar para que os dois tiranos deixem de continuar a matar inocentes, mesmo que esteja em causa o direito internacional. Depois ou serão mortos em combate ou levados a julgamento no Tribunal Penal Internacional ou no próprio país, como está a acontecer com Ben Ali e a sua mulher.

Apesar dos constantes discursos à Nação a dizer que não abandonam o poder, a verdade é que mais cedo ou mais tarde acabarão por ceder. Muitos questionam a legimitidade internacional para impor sanções e invadir militarmente. A verdade é que o Mundo não pode ficar de olhos fechados perante as atrocidades que certos radicais decidem implementar nos seus países, apenas porque desejam viver luxuosamente.

A Nato está muito bem a cumprir o seu papel de libertar civis das mãos de tiranos. E não me venham com a questão do petróleo, porque isso é discurso hipócrita.

A democracia ganha sempre....

domingo, 19 de junho de 2011

Olhar a Semana - Ruptura Ideológica

Após a constituição do novo governo e de ter ouvido alguns comentários a propósito do perfil dos novos ministros, dá para perceber que estamos perante uma ruptura ideológica. Aliás, foi o que Passos Coelho sempre prometeu.

A eleição de Passos Coelho vem trazer uma nova viragem ideológica e a escolha destes nomes confirma isso mesmo. Para além de existir um corte com o passado também há a certeza da implementação de novas politicas que radicalmente vão ser diferentes, mexendo em alguns sectores que há muito estão parados.

Também muitas sensibilidades serão afectadas, principalmente ao nível do sindicalismo. No Trabalho e na Educação vai existir muita luta, tendo em conta os protagonistas: Os Ministros são Liberais e os sindicatos ainda são mais radicais. Daí que a convivência nestes dois sectores vá ser interessante de seguir.Com muita contestação na rua....

O perfil destes Ministros não tem a ver só com a sua ideologia, mas também com a sua teimosia e vontade de mudança. Ao que me parece, sendo pessoas desligadas dos partidos podem garantir imparcialidade e independência em relação aos interesses instalados. Veremos se é assim ou não....

Uma nota final para dois Ministros : Vitor Gaspar e Paula Teixeira da Cruz. A Ministra da Justiça tem um conflito com o actual Procurador Geral da Republica. Veremos que acontece e que histórias vão ser escritas entre estes dois. Já o Ministro das Finanças dá garantias plenas que o plano da troika vai ser cumprido na sua integra. É possível que estejamos perante o executivo mais à Direita desde os tempos de Cavaco Silva.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Habemus Governum!!!

O XIX Governo Constitucional já está formado. Como era de esperar, ficaram de fora muitos homens que são do aparelho partidário. É uma lufada de ar fresco.

Curioso dar a Administração Interna a Miguel Macedo. A Área da Segurança normalmente tem uma cara menos ligada aos partidos. Será um duro teste ao ex-lider parlamentar do PSD. Como homem da casa que é, Macedo já sabe o que vai enfrentar e à primeira crise vão-lhe cair em cima.

O CDS consegue bons ministérios. Negócios Estrangeiros, Segurança Social e Agricultura. Tendo em conta o perfil dos Ministeriáveis penso que estão reunidas as condições para se fazer um bom trabalho.

Resta saber como vão aguentar Aguiar Branco e Paula Teixeira da Cruz em Ministérios muito sensíveis. Não percebo a escolha do ex-candidato a lider social democrata. Paula Teixeira da Cruz não vai ter vida fácil com a guerra entre juizes e advogados, mas já mostrou ser uma mulher com garra e ambição.

Mas as atenções vão estar todas viradas para um só homem : Vitor Gaspar!

Love in time of War

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Amigos para sempre?

" Maioria para a Mudança" - É este o nome do acordo político celebrado entre PSD e CDS-PP para assinalar o momento de consagração da terceira AD na nossa história politica.
Após o Governo Durão-Portas não ter conseguido chegar ao fim, é a vez de Passos Coelho chamar o PP ao governo.
Importa assinalar que este é o momento fulcral para que sejam implementadas novas políticas no país, sob pena de acabarmos como a Grécia.
Depois dos anos Socrates, a Maioria para a Mudança tem um enorme desafio nestes 4 anos....
Sempre sob os olhares atentos do FMI....

Causas & Coisas - Colegas

Não são nossos amigos, conhecidos ou outra coisa qualquer.....são colegas.

Em Portugal existe o hábito de tratar colega aqueles que connosco partilham a sala de aula durante a nossa vida escolar ou o local de trabalho na fase mais adulta. São pessoas que conhecemos porque as vemos todos os dias mas no fundo não sabemos nada deles porque são estranhos com quem partilhamos apenas a secretária, o facebook, o lápis ou a caneta.

Chamar colega a outra pessoa é estabelecer uma barreira pessoal entre a intimidade e a rejeição. No fundo, se o colega passar a amigo é porque foi aceite. Caso se mantenha o título de colega, então é sinal de rejeição. Nunca deixará de ser o colega da escola ou do trabalho.

Não há amizades na escola ou no trabalho porque estes se tornaram locais onde as pessoas passam o tempo concentrados numa tarefa. Todos têm a sua vida organizada fora destes sítios que servem apenas como locais de passagem, pelo que há pouco espaço para criar amizades com os colegas.

Aliás, ao chamar colega a uma pessoa não se está a chamar nada.

Ou será que sim?

Penso mais profundamento e chego à conclusão que como não tenho nada para chamar áquele paspalho de quem não gosto mas tenho de olhar para a cara dele/a todos os dias, então vou chamar colega. Assim não lhe chamo palhaço porque pode parecer mal, mas também não é amigo e assim não se criam intimidades com o "palhaço".

Tendo em conta que existem muitos colegas no nosso país, não é de admirar que se dêem muitas facadinhas nas costas!

Causas & Coisas

Causas & Coisas

É a nova rubrica do blogue e vai incidir sobre as Causas e Coisas do dia-a-dia, de uma forma divertida e descomplexada.

Rubrica será semanal, todas as quintas feiras

Começamos hoje para falar sobre os Colegas

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Agora é um Nobre problema....

PSD e CDS não chegaram a acordo para que Nobre seja candidato a Presidente da AR. Como tem vindo a afirmar ao longo do tempo, Portas não considera Nobre o melhor para ocupar o cargo. Disse mesmo que "Teresa Caeiro era melhor deputada que Nobre ou Ferro Rodrigues".
Assim muito dificilmente o ex-candidato presidencial ocupará a cadeira de Segunda figura do Estado.

Como muitos deputados do PSD não irão certamente votar no Presidente da AMI, resta a este abandonar o Parlamento. Ou não? Será que vamos assistir a uma surpresa de ultima hora?

Contrariando tudo aquilo que disse; até em Entrevista ao Expresso, o tempo dentro do Parlamento de Fernando Nobre será o mais curto da história da democracia portuguesa. Segunda Feira entra em funções o novo parlamento e logo naquele dia é a votação para Presidente da AR.

Passos Coelho tem aqui um caso bicudo e pode mesmo antes de tomar posse, ter a sua primeira derrota política. Tudo dependerá dos Passos que Nobre der. Senão, o actual PM tem de encontrar um espaço dentro do grupo parlamentar para que um homem que se candidatou a PR "contra o sistema" , faça parte do aparelho.

E se lhe derem a pasta da Saúde?

Assistiremos a uma Nobre atitude?

RTPrivada

Um dos temas em discussão é a privatização da Estação Publica de Rádio e Televisão. Há muito que se fala nisto mas parece que só com PPC a questão pode ter desenvolvimentos.
Nos dias que correm não faz sentido algum o Estado ter uma Televisão Publica. No antigo regime a TV era um veículo de propaganda e transmissão de acontecimentos com relevo nacional. Hoje já não é assim.
A TV pública é uma estação igual ás demais, tendo inclusive direito a publicidade.
Outra questão que se coloca é o da imparcialidade, sendo que a RTP é acusada de ser parcial com o governo que costuma estar em funções. Temos de ver também que estamos em crise e é necessário cortar em alguns sitios.
O Estado não deixa de fazer as suas comunicações, mas nem isso se coloca porque as chamadas de atenção, hoje são sempre feitas para os três canais.
O tempo em que a TV servia para promover o Estado e o Nacionalismo já lá vai.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Nem os Deuses ajudam a Grécia

A Grécia encontra-se numa situação muito complicada...... Ajudas e mais ajudas do FMI parecem não ser suficiente para aguentar ou mesmo sair da crise.
Apesar dos esforços feitos pelo governo e também das entidades externas, o que assistimos é à queda de um país. Economica mas também socialmente.
Até os países da Zona Euro parecem reluctantes em emprestar dinheiro aos gregos, pois não têm culpa da falta de honestidade e preguiça deste povo do sul.
A saída do Euro é uma inevitabilidade e só resta saber o que vai acontecer depois. A refundação do país era uma solução.
Curioso que dos países que pediram ajuda ao FMI, o unico que não mudou de governo foi o grego. O socialismo continua a imperar apesar de ter herdado esta crise dos sociais democratas.
Que contágio terá sobre os outros pedintes, nomeadamente Portugal?
Mas aqui está a prova que a ajuda do FMI não é condição essencial para um país sair da crise. É preciso esforço próprio!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O caminho nas mãos do PS....

Todos sabemos que o novo governo de Direita vai enfrentar uma contestação social muito grande. A implementação das medidas da troika vai obrigar a um esforço tremendo por parte de todos, nomeadamente aos funcionários publicos.

Ora, muito do sucesso das medidas e da aceitação por parte das pessoas vai depender daquilo que o novo PS fizer. Isto é, se o Partido Socialista com Assis ou Seguro for pelo caminho de ajudar à contestação, PSD e CDS vão ter muito que enfrentar.

Caso contrário, se os socialistas tiverem uma atitude responsável e dialogante a governação vai ficar mais fácil. Ainda não sabemos como será, mas é certo que o PS assinou o memorando da troika, agora resta aferir do seu cumprimento integral ou não. Até porque foi Socrates quem assinou o documento. Sabemos bem como se fazem as coisas na politica, mas é de esperar quer de Assis quer de Seguro um comportamento digno de um secretário geral do PS. Porque quem vai sofrer as consequências de eventuais desvios é o país e não o governo. Mas não poderá o futuro PS fazer ao PSD/CDS o que na optica dos socialistas, os actuais governantes fizeram a Socrates nestes ultimos meses?

domingo, 12 de junho de 2011

OLHAR A SEMANA - UMA CRISE NUNCA VEM SÓ

Portugal passa por um período complexo. As pessoas ainda não entenderam a crise. As eleições serviram para mudar o governo, mas não para mudar as mentalidades. E será que as mentalidades se mudam? Mudam as necessidaes e as possibilidades. Mudam as oportunidades... As mentalidades têm dez séculos de consolidação cultural. Não mudam facilmente. Porque estamos em crise? Ninguém sabe ao certo. Como foi possível endividarmo-nos tão depressa? Há dez anos a dívida era 65% do PIB. Agora é 120%. São demasiados biliões de euros. Onde está o défice? Fala-se nos vencimentos de gestores públicos. Nos Mescedes e BMW. Nas fraudes de políticos... Por favor! Estamos a falar de triliões de euros. É assustador. Ninguém diz, ninguém sabe. As contas públucas são um mistério. Entrar nos orçamento de estado é entrar num poço sem fundo. Escava-se, escava-se... Surgem túneis, galerias, grutas.... Ninguém é responsável e ninguém quis isto. Todos sabem cavar e, no entanto, todos se enterram. Afinal o que é a crise? Ninguém sabe, ninguém viu. Na campanha eleitoral nada se discutiu. Só culpas e desculpas. As eleições falaram. Mas falaram de quê? Mudaram o governo, mas não mudaram mentalidades. Mudaram as moscas, o resto continua a cheirar mal. Muito mal! Nada está organizado. Não há mecanismos de coordenação entre o governo cessante e o novo governo. Tudo deixado à toa, esperando que os prazos se cumpram. Um horror democrático. A total ausência de sentido de Estado. A imagem de Portugal é desbaratada em meses. Afinal o que é a crise? Jorge Pinheiro

sábado, 11 de junho de 2011

Coldplay - Yellow

Uma excelente musica para um dia muito.....amarelo!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O Rei e o Príncipe

Como será a relação institucional e pessoal entre estes dois? Terá certamente traços de uma relação feudal, em que o Rei manda e o Principe obedece com a cabeça.
Passado o exagero, o melhor que podia ter acontecido a Passos Coelho foi ter a certeza que nós próximos quatro terá um Presidente da Republica silencioso. À imagem do que sucedeu no primeiro mandato de Socrates, o PR passará da magistratura activa falada em Janeiro deste para uma cooperação silenciosa.
O facto de Passos Coelho não fazer parte do seu "entourage" laranja não muda o cenário.
É o ultimo mandato de Cavaco com PR e por certo ele não quererá se incomodar, até porque o PM terá de responder perante a Troika e não a Belém.

Aliás, o que veremos é um Cavaco Silva bastante protector em relação ao Primeiro-Ministro. Quando este tiver que enfrentar a contestação social, o PR vai afirmar que " o PM está a ter coragem". Algo que nunca fez com Socrates.

Temo bem que Cavaco Silva funcionará para Passos Coelho como um pai quando o filho não sabe o que fazer da vida....ou da governação.

Fenómeno

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Criminosos de Guerra

Devido ao acto eleitoral realizado em Portugal, escapou-nos um tema de extrema importância, que se passou a semana passada.
A captura de Ratko Mladic e o consequente julgamento por crimes de guerra.
Agora os culpados do massacre de Srebrenica já estão todos nas mãos do tribunal Penal Internacional o que abre as portas à Sérvia para entrar na União Europeia juntamente com a vizinha e rival Croácia.
Mas esta captura mostra bem que os criminosos não têm onde se esconder, por muito tempo que vivam sob disfarces hollywoodescos.
Também se trata de fazer justiça perante os familiares da vítimas do maior massacre bósnio de sempre. Aqui estou de acordo em que se punam aqueles que atentam contra a dignidade da pessoa humana.
Já o cerco a Kadaffi é bem diferente porque se trata de uma intromissão num Estado independente, mas se virmos bem as coisas, também o lider Líbio está a ser responsável pela morte de milhares de pessoas. Ontem conversava com uma pessoa sobre esta invasão, e ele dizia-me que era uma "estupidez".
Pode ser do ponto de vista, do que vai acontecer após a queda de Kaddafi. Mas se a Nato está lá é para impedir que novos ditadores ocupem a cadeira.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

15 Mayo - Los indignados Españoles

España en las últimas semanas ha sido un hervidero de protestas y manifestaciones por un cambio que no ha venido con el espíritu de la transición ni en los años posteriores. Sin embargo, una es la pregunta que nos podemos plantear es ¿por en época electoral? ¿Por qué después de varios meses con esta crisis?

La realidad social y económica se ha despertado en una sociedad que dormía, sin fuerza social en la calle, que sepa como protestar ante las instituciones. Y este el primer gran paso que debemos hacer para ser una verdadera sociedad democrática. La protesta es parte de esta sociedad madura y fundamentada en libertad con derechos pero no debemos olvidar con obligaciones constitucionales.

Tanto la Puerta del Sol de Madrid como la Plaza Cataluña de Barcelona han demostrado que con dosis de democracia que es posible manifestarse, pero por desgracia siempre hay grupos que tratan de enturbiar estas muestras de protesta que pacíficamente y con sentido de ser transversales han podido llegar a ser truncadas.

Mi visión personal se centra en tan solo defender lo que por derecho hemos conseguidos todos los españoles con esfuerzo. Somos la España del siglo XXI y hay medios e instrumentos para pedir a los poderes públicos que actúen y mejoren su profesión. Pero no por ello debemos perturbar la libertad de los demás. Es en este punto donde mayor controversia ha llegado a manifestarse en las calles de muchas ciudades de España.

Libertad y derechos, pero ante todo debemos regenerar el sistema democrático no solo en España, sino incluso en Europa. Y debemos partir del Manifiesto que nos han hecho llegar los organizadores de la concentración. Yo personalmente entiendo que debemos empezar por los tres pilares en los que sostiene la democracia española. Primero, la separación de poderes real y palpable, segundo un mayor grado de independencia para Poder Judicial español (como medio de control de la acción de gobierno) y tercero, un cambio en el régimen electoral más participativo para la sociedad e incluso en cuanto a la representación parlamentaria.

Hay que iniciar este camino de cambio, y yo como jurista creo en la separación de poderes que Montesquieu plasmo para la Historia. Y es así, como se deben iniciar los cambios que merece una sociedad plural, pacífica y democrática para mejorar los órganos que deben regir el futuro de esta gran Nación que es España.

texto de Jordi Moreno

terça-feira, 7 de junho de 2011

o que o PS (ainda) tem de mau

Hoje o país politico ficou escandalizado com as declarações de Ana Gomes sobre a ida de Paulo Portas para o governo. A blogosfera ( que ja tem um papel mais importante nestas matérias), desatou logo a criticar a socialista. No Facebook é só bocas contra ela.
Comparar Paulo Portas a DSK é de facto de um nível muito baixo. Pior só mesmo proferir estas declarações quando os socialistas se reunem para marcar as eleições directas. Ora, o PS saiu copiosamente derrotado numas eleições que pretendia ganhar. Logo a seguir, vem esta senhora que sempre disse mal de Socrates fazer uma comparação estupidesca. Que eu saiba nem DSK nem Portas foram condenados por nada. Não estudou esta mulher Direito? e não foi ela a grande defensora dos timorenses quando a indonésia os atacava?
É altura daqueles que deram má imagem ao PS seguirem também o seu caminho. A democracia precisa de pessoas nos partidos com elevação e sentido de Estado. E o PS tem muitas pessoas com qualidade, só que nos ultimos anos é dos socialistas que têm vindo os piores exemplos.

Apesar de ser contra Socrates, Ana Gomes devia acompanhá-lo e desaparecer de cena. Para bem do PS e do país!

Voto Seguro no PS

Ainda não passaram dois dias sobre as eleições e já outro acto eleitoral se perfilha no horizonte. Hoje a comissão politica do PS vai marcar a data das directas que determinará o sucessor de Socrates. António José Seguro e Francisco Assis são os concorrentes, até porque António quererá acabar o mandatona CML.
É uma boa jogada de Costa, visto que qualquer dos dois candidatos à liderança socialista terá um enorme desafio pela frente. Substituir Socrates e fazer frente ao governo de Direita, mas também ao Presidente Cavaco Silva que agora vai mesmo ficar calado.
Assis é a linha de Socrates mas um pouco mais objectivo. Não tem a experiência em mentir como o ex-primeiro Ministro, mas por certo se rodeará dos Socráticos e guterristas. Também eles derrotados no domingo passado. Assis foi um bom lider parlamentar numa altura em que o governo precisava de uma voz forte no Parlamento.
Se o escolhido for António José Seguro, o PS muda radicalmente. De estilo, de objectivo e de personalidades. Será interessante ver o combate Seguro - Passos Coelho no parlamento porque poê frente-a-frente duas pessoas com visões diferentes sobre o país. Penso que também será um debate ao honesto se os vierem a se defrontar.
O que o PS precisa neste momento é de recuperar a credibilidade e ter um discurso mais realista e responsável. Assim parece-me que é mais Seguro optar pela 2ª via, até porque existe um programa da Troika para cumprir.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Um Portugal diferente

Portugal entra hoje num periodo novo.
Depois das eleições de 2009 em que não houve maioria absoluta e sempre se esteve á espera da queda do governo e do FMI, das presidenciais de 2011 e destas legislativas fora de tempo.
Com o novo governo eleito, tendo que seguir o programa do FMI é tempo do país entrar num novo ciclo.
Acabaram-se as eleições e só daqui a 4 anos voltamos ás urnas. O país não aguenta tantos actos eleitorais seguidos, até porque sabemos da dependência de muitos em relação ao Estado.
Agora é tempo de estabilizar e arregaçar as mangas de forma a podermos contribuir pelo crescimento do nosso país. Sempre com o FMI atento para não haver nenhum descuido.

6 anos depois, Socrates saiu de cena. Tal como Santana Lopes deu a ideia de que irá estar por aí. Alias, o mega cartaz que está na sede do Largo do Rato com a sua cara ainda não foi retirado. É uma espécie de despedida que os portugueses lhe estão a fazer. Será que os processos judiciais contra ele vão ser reabertos? Estaremos cá para ver. Se sim, será a describilização total da justiça e do ex-primeiro Ministro.

Quanto a Passos Coelho, dá um certo gozo ler textos atrás e verificar que a minha opinião em relação novo Primeiro Ministro se manteve. Também aqui acompanhámos o seu percurso.

Nós aqui no blogue terminámos um ciclo. Há dois anos que não fazemos outra coisa que não falar sobre eleições e politica. Em 2011 foram dois os actos eleitorais. No entanto, sentimos o dever cumprido de termos informado e analisado com a maior imparcialidade possível quem nos lê diariamente. Não acertámos nas sondagens mas quase chegámos lá.

O espaço fica aberto para outro tipo de discussões!

Passos de Coelho

Apareceu para concorrer as eleições internas do PSD em 2008. Do nada, contra os gigantes Pedro Santana Lopes e o mito Manuela Ferreira Leite. O menino que tinha tirado o curso de Economia e sido Presidente da JSD perdeu por escassos numeros numa altura em que o PSD ainda vivia fechado nas guerras internas.
Prometeu não fazer oposição interna mas seguir com as suas ideias dentro de um PSD que não admitia meninos vindos fora do aparelho.
Foi ostracizado por Manuela Ferreira Leite nas eleições de 2009 ao ponto desta prescindir do seu serviço no Parlamento. Assim que o mito Ferreira Leite perdeu as legislativas com o pior resultado de sempre, Passos Coelho apareceu novamente já com uma embalagem e um capital muito forte. Nunca durante a campanha eleitoral foi uma voz de divisão interna.
Concorreu às eleições internas de 2010 contra Aguiar Branco e Paulo Rangel, outro candidato surgido do aparelho. Ganhou o congresso que antecedeu as directas e venceu as eleições à segunda tentativa. O primeiro gesto foi o de unir o partido que olhava de lado para o menino de Angelo Correia.
Já como lider da oposição, fora do Parlamento; ajudou Socrates a aprovar dois orçamentos do Estado e três Plano de Estabilidade e Crescimento. Apesar das críticas de alguns barões sociais-democratas manteve-se firme e hirto com as suas ideias. Foi criticado por causa do projecto de nova Constituição, mas todos hoje reconhecem que é necessário alterar a lei fundamental. Disse que ia reduzir o numero de deputados. Muito bem, o povo aplaude esta iniciativa.
À quarta tentativa de Socrates tentar afundar ainda mais os portugueses, Coelho foi fiel a si próprio e disse basta!
Durante a campanha conseguiu algo inédito : reunir todos os antigos lideres do PSD na sua travessia pelo país. Só uma pessoa com forte caracter consegue juntar todos os antecessores, muitos deles não concordavam com Passos Coelho. Até Marcelo e Ferreira Leite que o atacaram publicamente estiveram "duas vezes" com o novo Primeiro-Ministro.
No seu discurso de vitória como novo PM, falou para o país e não para dentro. Falou verdade : os problemas ainda mal começaram.
Não excluiu ninguém e chamou os portugueses para "um compromisso nacional".
Até o Presidente da Republica duvidou das suas capacidades, dizem alguns especialistas da matéria.
Não terá a qualidade de Cavaco Silva, mas anda lá perto.

domingo, 5 de junho de 2011

Paulo e Pedro

Está o país nas mãos destes dois senhores.

O CDS desde 2005 que vem a crescer. Reforçando o seu estatuto, o PP pode agora e vai de certeza exigir mais do seu inimigo de estimação. As palavras de Portas a reclamar-se como candidato a Primeiro-Ministro não eram em vão. Tendo em conta as previsões era bem possivel que PS e PSD ficassem bem juntinhos.

Passos Coelho vai necessitar de Paulo e do seu partido, daí que não pode governar demasiado com o seu umbigo.

Ao que parece, estes dois politicos têm uma agenda em comum e isso pode beneficiar o país. Durará quatro anos?

AD

Um Presidente, Um Primeiro Ministro, Uma Maioria...

Por fim chegou!

Primeiras demissões

Socrates vai falar dentro de minutos : É o fim da linha para o ainda Primeiro-Ministro. Para mim vai-se desculpar com o mesmo : a crise e o facto do PSD ter sido o culpado desta situação.

Francisco Louça foi outro dos derrotados. A linguagem radical e bélica dos Bloquistas já não pega. A sociedade portuguesa evoluiu e até os jovens que fumam charros já perceberam que a solução não é ir acampar para o Rossio. De duas uma : ou um BE acaba ou vai ter arranjar mais parceiros à esquerda para sobreviver.

Ainda estou na duvida se Portas vai fazer coligação com o PSD. Ficaram os dois muitos fortes. Será necessário?

Portugal Mudou

Com que maioria?

Mediatismo eleitoral

As campanhas eleitorais transformaram-se num autêntico festival mediático. Tal como os europeus ou mundiais de futebol, as eleições são uma forma para as pessoas se reunirem e debaterem em publico os resultados .

É assim sempre que o país vai a votos. Ainda bem que assim é porque so mostra que o povo português, ao contrário do que se diz; é interessado na politica e está preocupado com o futuro do país.

Hoje é mais um desses dias em que a blogosfera vai fervilhar e as televisões preparam os seus "especiais".

Escusado seria o acompanhamento dos lideres partidários desde casa até ao hotel onde estão instalados as suas delegações. Não percebo porque Socrates vai de carro desde a Castilho até ao Altis. Deve ser para gastar ao erário publico as ultimas massas.

Já Passos Coelho começa mal o seu reinado como PM, pois vai desde Massamá até ao Sana em Lisboa .... Seria bom ir viver para São Bento assim poupava alguns euros ao país....

Eu sei isto, porque as televisões fazem como nos jogos de futebol. Acompanhar in loco o passeio dos vitoriosos e dos triunfadores, como se isso interesasse para alguma coisa.

Já que vamos mudar de PM, de deputados, talvez de vida; hoje era um bom dia para alguns substituir alguns comentadores da nossa praça. Na blogosfera há muita malta com qualidade....

Vai sair ou vai ficar?

Um dos grandes interessantes da noite eleitoral é saber se José Socrates vai sair da liderança do PS. Que vai perder já não duvida, portanto em S.Bento já não calça mais. Agora se a diferença entre os dois for muito pequena, como tudo indica, pode ser o actual PM fique no Parlamento a fazer oposição a um governo com maioria mas que será fraco visto que o maior partido não conseguirá nem chegar aos 40%........

Tendo em conta que Socrates ainda é um animal politico pode muito querer "regressar" e governar com o FMI...

Com Socrates nunca se sabe...

A primeira vitória é Nossa

Há um mÊs, quando lançámos a cobertura das eleições dissemos que iamos propor algumas medidas e falar sobre temas que realmente estão na ordem do dia.

Falámos sobre os problemas das maiorias absolutas e dissemos que era melhor uma assembleia mais repartida, discutimos se era preferivel mais ou menos intervenção do Estado nos vários sectores, apelámos a que se criem mais mecanismos de forma aos cidadãos participem com mais assiduidade, propusemos reduzir a gordura do Estado e por fim tentámos que na politica haja mais pessoas com carreira profissional.

Assim, demos um contributo positivo para a democracia e que o nosso país tenha um futuro melhor.

É assim que começamos o dia Eleitoral...

sábado, 4 de junho de 2011

Eleições Legislativas 2011

Eleições?
A melhor opinião?
Os melhores comentários?
É aqui, amanhâ ...
Com a qualidade do costume!

Coldplay - Clocks

O relógio não é para ser cantado. Mais uma maravilha dos Coldplay

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Um PM que prometia

Muito prometia este menino bonito do PS.
Um dos braços direitos de Antonio Guterres, o responsavel pela realização do Euro 2004, José Socrates ambicionava ficar na história. Do PS e do país.
Ora, se na história do Partido Socialista ele vai ficar, na de Portugal só se o ainda PM chegar a Presidente de Republica.
Talvez por sobranceria, má-fé, personalidade ou outra coisa qualquer, Socrates previu tudo mal e não soube dar o braço a torcer.
Não se percebe como todos os paises já se adaptavam à crise e o nosso PM falava em crescimento económico. Quando todos falavam no FMI, Socrates lutava para evitar a todo o custo a entrada do Fundo em Portugal.
Não foi por falta de aviso e companheirismo do seu ex-amigo Teixeira do Santos, até porque hoje sabemos que o ministro das finanças tentou "acordar" o Primeiro.
O maior erro de Socrates foi adiar o inevitável. Fê-lo porque sabia que no dia em que o FMI aterrasse em Portugal, os partidos politicos iriam pedir eleições antecipadas. Pior que tudo, foi durante o segundo mandato e com uma maioria relativa no Parlamento não ter chegado a acordo com os principais partidos da oposição. Se assim fosse, teria ganho respeito e credibilidade junto dos portugueses. Preferiu a arrogância democrática em vez do diálogo. Só agora quando percebeu que não ia vencer é que apelou ao consenso. Mais uma vez tarde e a más horas.
Também geriu muito mal os casos em que foi réu. Em vez de manter uma posse de Estado preferiu atacar tudo e todos com as ditas "campanhas negras". Por muitas razões que tenha do Jornal da TVI, não pode nunca um PM utilizar a censura. Os tribunais e o Direito existem para alguma coisa.
Socrates agiu como um menino mimado e não como um lider de um país.
E o seu maior erro foram as mentiras. Custava muito falar verdade?

Portugal à Direita

É neste sentido que o país vai mudar a partir de Domingo. Agora já não há dúvidas, Socrates vai perder as eleições depois de ele próprio ter criado uma crise politica. Achou que o país estava com ele mas enganou-se redondamente. Ainda havia uma esperançazinha socialista mas tudo começou a mudar após aquele debate entre os dois candidatos a Primeiro-Ministro.

Socrates não vai mesmo governar com o FMI tal como tinha prometido há uns tempos.

Após quase 10 anos de Socialismo, a Direita vai regressar ao poder após uma curta passagem de 2002 a 2004. Desta vez, não há o perigo de fuga por parte do futuro PM, pois o presidente da Comissão é também ele um português. Em 2016 há Presidenciais e se Passos Coelho fizer um bom trabalho abre o caminho para Durão Barroso se candidatar a Belém. Contra Socrates? Muito provavelmente.

Importa falar do futuro mais próximo. Este novo governo não terá muita margem de manobra no primeiro mandato devido ao acordo com a troika. Nestes primeiros anos, o governo de direita vai enfrentar muita contestação social, porque vão ser necessárias mais medidas de austeridade para além daquelas que estão no Memorando.

Com um programa liberal e bastante reformador, o PSD de Passos Coelho será o mais Direita dos ultimos anos e ainda por cima com o CDS também no governo. E as reformas prometidas vão ser muitas duras e não irão agradar à maioria das pessoas, mas terão de ser implementadas.

O resultado destas eleições pode significar uma mudança de paradigma e de valores da sociedade portuguesa. Há dias, Portas falou que não havia ideologias, mas a verdade é que Portugal é um país mais à esquerda. A Direita ainda é vista como estando ligada ao salazarismo e capitalismo.

Só que para meter a economia a crescer, as contas publicas na ordem, e existir um certo rigor é preciso novas politicas e um rumo diferente.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Os ex à volta do Futuro

Independentemente de ganhar as eleições no próximo Domingo, Passos Coelho já conseguiu uma coisa : reunir os ex-lideres laranjas á sua volta. Todos nos lembramos em anteriores eleições que havia sempre alguem a se afastar do lider-candidato. Chegando ao ponto de se fazerem criticas durante a campanha eleitoral. E com isso Socrates ganhava pontos.

Estas eleições são diferentes por causa disso. Até hoje já vimos Santana Lopes, Ferreira Leite, Filipe Menezes, Marques Mendes, Marcelo Rebelo de Sousa ao lado de Passos Coelho. Também com ele está Aguiar Branco que esteve contra PPC nas ultimas eleições internas. Falta Barroso, mas esse está por Bruxelas.

Sabemos que quando tudo corre bem, todos se unem, e isso no PSD é uma velha máxima. Mas há algo de diferente no ar. Para além de sentirem o cheiro da vitória, os antigos lideres acreditam verdadeiramente no provável futuro Primeiro-Ministro. Tiro o chapéu a PPC, já que era visto com mau olhado dentro do partido e a primeira coisa que fez foi reunir toda a gente à sua volta. Esqueceu as guerras internas e meteu o partido à frente dos seus interesses pessoais. Não é muito comum assistirmos ao desfilar de ex-lideres laranjas em nome de um ideal. a mudança está a chegar....

Vejam as diferenças

José Socrates, esse defensor do Estado Social tem os dois filhos em Escolas Privadas.
Pedro Passos Coelho esse perigoso homem que vai privatizar tudo e mais alguma tem as duas filhas em escolas publicas.

E agora? Em que acreditar? Será que estamos a ser todos enganados?

Share Button